Outras Notícias

Núcleo do Algarve reuniu em Loulé

O Núcleo do Algarve do Conselho Português para a Paz e Cooperação reuniu no dia 05 de Março de 2017, na Biblioteca Municipal de Loulé para analisar a actividade desenvolvida no ano de 2016 e discutir a programação das iniciativas a levar a cabo no presente ano.

A reunião contou com a presença de João Martins, membro da Presidência e da Direcção Nacional, e Sofia Costa, membro do Núcleo do Algarve.

Os presentes valorizaram as inúmeras iniciativas realizadas, destacando: os 6 debates para a educação para a Paz, em parceria com o Sindicato dos Professores da Zona Sul nas Escolas Secundárias Pinheiro e Rosa em Faro, Tavira, Silves, Gil Eanes em Lagos, Loulé e Olhão, com a participação de Ilda Figueiredo, Presidente da Direcção do CPPC; a iniciativa cultural “Sons, cores e palavras pela Paz”, realizada no Clube Farense, com a participação de Ilda Figueiredo, João Martins, Augusto Miranda, dirigente do Club Farense, Paulo Moreira, actor da ACTA-Companhia de Teatro do Algarve, José Luís Argain, professor universitário e músico, e Catarina Inês, artista plástica; as reuniões com várias entidades da região, nomeadamente com o Sindicato dos Professores da Zona Sul, o Clube Farense e os Municípios de Loulé, Silves e Lagoa; a assinatura de protocolos de cooperação com os Municípios de Loulé e Silves; as 3 exposições “Construir a Paz com os Valores de Abril”, “100 anos da Grande Guerra” e “Celebrar a Vitória, defender a Paz” patentes em vários espaços da região; a dinamização da campanha “Sim à Paz, Não à NATO!”; o Encontro de Lançamento dos Municípios pela Paz, onde foram celebrados compromissos com os Municípios de Loulé, Silves e Lagoa e Vila Real de Santo António que manifestou posteriormente a vontade de aderir ao Movimento; a divulgação e distribuição do Notícias da Paz, o jornal do CPPC.

Ler mais...

Almoço da Paz - Porto 2017

Realizou-se, no passado dia 11 de Fevereiro, no Porto, o Almoço da Paz promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), que contou com a participação de mais de 70 pessoas que reafirmaram o seu compromisso com a Paz, dando continuidade ao rico património de luta contra a guerra e de promoção da Paz.

Ali se recordaram, como fez José Pedro Rodrigues, a luta contra o colonialismo e o fascismo, os elevados custos do militarismo, nomeadamente da NATO, e se falou das actividades que prosseguem, como fez Ilda Figueiredo, que salientou o recente Concerto pela Paz, realizado no passado dia 7 de Janeiro, no Teatro Rivoli, Porto, e anunciou o próximo, já em preparação, para o dia 31 de Março, em Vila Nova de Gaia.

Houve também um momento cultural com música, canto e poesia, além de um sorteio de uma obra de arte. Vários dos participantes inscreveram-se no CPPC e foi distribuído por todos o boletim Notícias da Paz.

Foi prestada uma curta homenagem ao ativista, recentemente falecido, António Henriques Sá Magalhães, membro do núcleo do Porto, e grande entusiasta do Almoço da Paz.

Paz em Ciclo V - Porto

O Conselho Português para a Paz e Cooperação concluiu, no Porto, no passado dia 26 de Junho, a 5ª edição do “Paz em Ciclo” com mais um filme e um debate.
Desta vez, o último filme foi “Feliz Natal”, sobre a 1ª Guerra Mundial de 1914 a 1918, ou a Grande Guerra como ficou conhecida na linguagem popular, devido à devastação e morte de muitos milhões de soldados e civis, trazendo consigo o abismo e o desespero provocado por um conflito que penetrava como uma faca na civilização europeia, como referiu, no debate que se seguiu, o activista do CPPC, Alexandre Silva, que acrescentou: “ Foi um conflito que se caracterizou, desde o seu começo, como uma longa, esgotante e perturbadora guerra de posição, tendo as trincheiras como cenário principal, que mobilizou milhões de pessoas, simples moradores das cidades e aldeias, camponeses e intelectuais. escritores David Jones, Rupert Brooke, Isaac Rosenberg tendo este morrido na batalha, deixando-nos textos incríveis sobre as trincheiras, e tantos outros, sem esquecer o mais famoso intelectual que sobreviveu às trincheiras, Bertolt Brecht.”

Ler mais...