Outras Notícias

paz e desenvolvimento

  • Almoço da Paz - Porto 2017

    Realizou-se, no passado dia 11 de Fevereiro, no Porto, o Almoço da Paz promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), que contou com a participação de mais de 70 pessoas que reafirmaram o seu compromisso com a Paz, dando continuidade ao rico património de luta contra a guerra e de promoção da Paz.

    Ali se recordaram, como fez José Pedro Rodrigues, a luta contra o colonialismo e o fascismo, os elevados custos do militarismo, nomeadamente da NATO, e se falou das actividades que prosseguem, como fez Ilda Figueiredo, que salientou o recente Concerto pela Paz, realizado no passado dia 7 de Janeiro, no Teatro Rivoli, Porto, e anunciou o próximo, já em preparação, para o dia 31 de Março, em Vila Nova de Gaia.

    Houve também um momento cultural com música, canto e poesia, além de um sorteio de uma obra de arte. Vários dos participantes inscreveram-se no CPPC e foi distribuído por todos o boletim Notícias da Paz.

    Foi prestada uma curta homenagem ao ativista, recentemente falecido, António Henriques Sá Magalhães, membro do núcleo do Porto, e grande entusiasta do Almoço da Paz.

  • Cidadania, Direitos Humanos e Paz

    A convite da Professora de Filosofia Maria José Cantarinha, da Escola Secundária de Santo António, no Barreiro, o CPPC, por intermédio de Amílcar Silva Campos, participou a 7 de Março, num Colóquio subordinado ao tema “Cidadania, Direitos Humanos e Paz”.

    Esta iniciativa que suscitou o interesse e participação dos jovens presentes, realizou-se no âmbito do Plano Anual de Atividades do Grupo de Filosofia da referida Escola e dirigiu-se a duas turmas do 10º Ano que, no decurso do presente Ano Letivo, já haviam trabalhado e divulgado, junto das restantes Turmas, os temas da Paz e dos Direitos Humanos.

     

  • Comemorações Populares do 25 de Abril 2015 - Coimbra

     

    O CPPC participou nas comemorações populares do 25 de Abril em Coimbra.

  • Comemorações Populares do 25 de Abril 2015 - Porto

    O CPPC participou nas comemorações populares do 25 de Abril, no Porto, com uma faixa, bandeiras e distribuição de centenas de " Notícias da Paz".

  • Concerto pela Paz - V.N. Gaia | 2017

    Na noite de 31 de Março decorreu, no Centro Paroquial de Mafamude, um novo Concerto pela Paz, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e da Federação das Coletividades de Vila Nova de Gaia. No total, estiveram presentes mais de 350 pessoas, entre intervenientes e publico.

    O concerto abriu com um trio instrumental da Escola de Música de Perosinho, a que se seguiu uma bela dança por crianças do Ginasiano Escola de Dança, a orquestra de guitarras do Conservatório de Música de Gaia, a poesia por quatro artistas da Ilha Mágica, o Grupo de flautas transversais da Academia de Música de Vilar do Paraíso e, por fim, o Ensemble vocal Lígia Castro que juntou em palco mais de 70 coralistas que encerraram o concerto.

  • CPPC na Escola Sophia de Mello Breyner, em Arcozelo

    No âmbito do protocolo entre o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) e a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, a presidente da direcção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, participou num animado debate, na biblioteca da Escola Sophia de Mello Breyner, em Arcozelo- Vila Nova de Gaia, sobre a importância da luta pela Paz, com a participação de várias turmas de alunos e alguns professores.

    Entretanto, no átrio da Escola, encontra-se a exposição "100 anos da Grande Guerra e a Luta pela Paz" que tem sido visitada por alunos e professores.

  • CPPC no Algarve - Maio 2017

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação participou em quatro iniciativas no Algarve, durante o dia 11 de Maio, através da presidente da direção nacional e de vários membros do núcleo local.

    Durante a manhã, com apoio do Sindicato dos Professores da Zona Sul, representado por Isa Martins, realizou-se uma palestra na Escola Básica e Secundária de Albufeira sobre a importância da luta pela Paz.

    Pela tarde, após uma reunião com o Cineclube de Faro tendo em vista uma parceria para exibir filmes sobre a temática da Paz, decorreu no Club Farense, um Debate Público sob o tema "A Situação Internacional e os Problemas da Paz, organizado pela União dos Sindicatos do Algarve/CGTP-IN e o CPPC- Conselho Português para a Paz e Cooperação. Para além do Coordenador da USAL/CGTP-IN, António Goulart, o debate contou ainda com a moderação de Isa Martins, dirigente do SPZS e Ilda Figueiredo, presidente da Direção Nacional do CPPC.

  • Dia Internacional da Paz – 21 de Setembro – Oeiras

    No Auditório Municipal Lourdes Norberto (Linda – a –Velha) realizou-se no dia 21 de Setembro uma Sessão Comemorativa do Dia Internacional da Paz.

    Na sessão - debate Intervieram Carlos Carvalho da Direcção Nacional do CPPC, Amilcar Campos activista do CPPC, Augusto Flor Presidente da Confederação Portuguesa das Colectividades de Recreio, Cultura e Desporto e Célia Portela da União dos Sindicatos de Lisboa / CGTP-IN, seguida de um animado debate com os participantes. Ao que se seguiu um acto cultural em que foi declamada poesia por Armando Caldas e Fernando Tavares Marques e um momento musical com a intervenção do cantor Batista.

     

  • Educação para a Paz - Perafita

    Hoje, em duas escolas de Perafita (Ribeiras e Perafita), em Matosinhos, a presidente da direcção nacional do CPPC participou em iniciativas de educação para a Paz, envolvendo mais de 150 alunos e diversos professores.

    Ali se falou da Paz, da sua importância, dos seus vários pressupostos, da revolução de Abril em Portugal que pôs fim ao fascismo e à guerra colonial, com a liberdade, a democracia, os direitos e progresso social, condições indispensáveis para a paz.

     

  • Migrações e desenvolvimento - Loures

    A convite da Câmara Municipal de Loures, que organizou este importante evento, o CPPC participou no passado dia 22 de Fevereiro, na mesa redonda "Migrações e Desenvolvimento".

     

  • Saberes e Sabores - Seixal - 2017

    «Paz, Democracia e Cidadania» foi o tema central da 9.ª edição do Encontro Intercultural Saberes e Sabores, promovido pela Câmara Municipal do Seixal, que teve lugar de 9 a 13 de março, no Pavilhão Municipal do Alto do Moinho, este ano sob o mote do Ano Internacional do Entendimento Global.

    O CPPC, através do seu núcleo do Seixal, esteve presente nesta iniciativa com uma banca onde procedeu à distribuição e divulgação do Notícias da Paz.

  • "A Luta pela Paz com os Valores de Abril"

    "A Luta pela Paz com os Valores de Abril"

    Com Baptista Alves Vice-presidente da Direcção Nacional do CPPC.

    Debate, Sábado dia 3 de Maio pelas 15h no Museu da Cidade em Almada. (Pr. João Raimundo - Cova da Piedade).

    Promovido pelo Núcleo de Almada do CPPC.

     

  • 1º de Maio 2017 - Porto

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação participou nas comemorações do 1º de Maio promovidas pela CGTP-IN no Porto.

    Activistas do CPPC desfilaram com uma faixa e distribuíram o mais recente número do Notícias da Paz.

  • 1º de Maio de 2017 - Lisboa

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação participou nas comemorações do 1º de Maio promovidas pela CGTP-IN em Lisboa.

    Activistas do CPPC desfilaram com uma faixa e distribuíram o mais recente número do Notícias da Paz.

    O CPPC esteve ainda presente ao longo do dia, na Alameda Dom Afonso Henriques, com uma banca onde os interessados puderam contactar com o CPPC, com as suas posições e materiais.

  • 21 DE SETEMBRO DIA INTERNACIONAL DA PAZ - SEIXAL

  • 25 DE ABRIL - PORTO

    O CPPC que participa na Comissão Organizadora das Comemorações Populares do 25 de Abril, associa-se e participa no desfile na cidade do Porto.

    Assim, convidamos todos os amantes da Paz para que se juntem ao pano do Conselho Português para a Paz e Cooperação.

    O local de encontro será pelas 14 horas junto ao Museu Militar ( ex-pide) na Rua do Heroísmo.

  • 38.º aniversário da República Árabe Saarauí Democrática - Debate Beja

    Dezenas de pessoas participaram no dia 26 num debate que, em torno do 38.º aniversário da República Árabe Saarauí Democrática (RASD), se realizou na Casa da Cultura de Beja, promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação e pela Câmara Municipal de Beja.

    O debate, inserido numa exposição fotográfica, “Filhos das Nuvens – A última colónia” da autoria de José Baguinho, relata uma visita de solidariedade aos acampamentos de refugiados saarauís, organizada pelo CPPC, em 2009.

    Na iniciativa usaram da palavra a Sra. Vereadora da Câmara de Beja, Dr.ª Sónia Calvário, o representante da Frente Polisário em portugal, Sr Ahmed Fal, o responsável pela exposição e membro do núcleo do CPPC em Beja, José Baguinho e Inês Seixas, da direcção do CPPC.

    No debate, bastante participado, os cerca de quarenta visitantes manifestaram um grande interesse pela situação vivida nos acampamentos Saarauis e pela luta levada a cabo pelo povo Saaraui pelo direito à autodeterminação, a uma pátria livre e independente.

    A Exposição está patente na casa da cultura de Beja até o dia 27 de Março, planeando-se que após essa data seja exibida em diversos espaços do concelho de Beja.

     

  • 40 Anos da Revolução de Abril - Construir a Paz com os Valores de Abril

     
    CPPC participará e apela à participação de todos, nas comemorações populares do 25 de Abril em Coimbra, Lisboa e Porto. Para os amigos que queiram participar com o CPPC, os pontos de encontro são:

    Coimbra
    14h30
    Praça da República, 28 (junto ao Sind. Professores)

    Lisboa
    14h30
    Marquês de Pombal / Duque de Loulé (frente ao Banco do Brasil)

    Porto
    14h30
    Largo Soares dos Reis (junto a estatua de Virgínia de Moura, frente ao Museu Militar)
    40º Aniversário da Revolução de Abril

    40 anos nos separam do fim da ditadura fascista de Salazar e Caetano, da opressão, da exploração e do fim da Guerra Colonial que durante 13 anos ceifou, sem dó nem piedade, a juventude portuguesa e a juventude dos povos colonizados, numa guerra fraticida que deixou marcas de grande dor e sofrimento em toda a população, dum e do outro lado do conflito.

    É, por isso, que afirmamos que o 25 de Abril de 1974 foi um acto de PAZ. Desde logo, pelo reconhecimento expresso no Programa do Movimento das Forças Armadas de que a solução do conflito colonial era política e não militar e, posteriormente, já em pleno processo revolucionário, pelo reconhecimento do direito à independência das colónias, culminando com a introdução no Art.º 7º da Constituição da República Portuguesa (CRP), do qual se transcreve:

    Artigo 7º
    (Relações internacionais)

    1. Portugal rege-se nas relações internacionais pelos princípios da independência nacional, do direito dos povos à autodeterminação e à independência, da igualdade entre os Estados, da solução pacífica dos conflitos internacionais, da não ingerência nas assuntos internos dos outros Estados e da cooperação com todos os ou tros povos para a emancipação e o progresso da Humanidade.

    2. Portugal preconiza a abolição de todas as formas de imperialismo, colonialismo e agressão, o desarmamento geral, simultâneo e controlado, a dissolução dos blocos político-militares e o estabelecimento de um sistema de segurança colectiva, com vista à criação de uma ordem internacional capaz de assegurar a paz e a justiça nas relações entre os povos.

    3. Portugal reconhece o direito dos povos à insurreição contra todas as formas de opressão, nomeadamente contra o colonialismo e o imperialismo, e manterá laços especiais de amizade e cooperação com os países de língua portuguesa
    Portugal entrou assim numa nova Era, assumindo em pleno, na ordem interna e externa, todos os avanços civilizacionais que o final do século XX registava, projectando um Futuro de paz, de progresso e de cooperação e amizade com todos os povos do mundo.

    A CRP, apesar das 7 revisões constitucionais a que foi sujeita, todas para a limitarem na sua índole libertadora e progressista, continua a ser uma plataforma fundamental, na defesa dos valores de Abril, em torno da qual se impõe mobilizar os portugueses.

    Num quadro internacional caracterizado por redobrada agressividade do imperialismo, tanto mais quanto a crise económica mundial se revela inultrapassável, sob o domínio das teses neoliberais, Portugal intensifica a sua participação na NATO - fora-da-Lei Fundamental - e militares portugueses são envolvidos em acções de agressão contra outros povos.

    Na ordem interna, uma prática política de sistemático desrespeito da CRP e de afronta às principais Conquistas da Revolução de Abril, levada a cabo ao longo dos últimos 37 anos, conduziu o nosso país a uma situação de pré-desastre económico-financeiro com consequências dramáticas para a vida dos portugueses, fazendo mesmo perigar a própria independência nacional.

    O CPPC, na passagem do 40º Aniversário do glorioso 25 de Abril de 1974 e do início do processo revolucionário ímpar que devolveu a Portugal a dignidade perdida sob a ditadura fascista, impondo-o ao convívio da comunidade das nações como um país democrático e progressista, reafirma:

    Urge reconduzir Portugal aos valores de Abril!

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação

    Abril de 2014

  • 65 anos de Luta pela Paz - Conselho Mundial da Paz

    O CPPC assinala os 65 anos do Conselho Mundial da Paz no próximo dia 17 de Junho, quarta-feira, pelas 18 horas, na Escola Profissional Bento de Jesus Caraça (Rua Victor Cordon, 1, Lisboa). A iniciativa, intitulada «65 anos de luta pela Paz – Desafios actuais», conta com a participação da presidente do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, a presidente da Direcção do CPPC, Ilda Figueiredo, e do jornalista José Goulão.

     

     

  • 65 anos de Luta pela Paz - Conselho Mundial da Paz

    O CPPC assinala os 65 anos do Conselho Mundial da Paz no próximo dia 17 de Junho, quarta-feira, pelas 18 horas, na Escola Profissional Bento de Jesus Caraça (Rua Victor Cordon, 1, Lisboa). A iniciativa, intitulada «65 anos de luta pela Paz – Desafios actuais», conta com a participação da presidente do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, a presidente da direcção do CPPC, Ilda Figueiredo, e do jornalista José Goulão.