Outras Notícias

paz e desenvolvimento

  • Debate | Artistas pela Paz | Bienal Internacional de Arte Gaia 2017

    A intervenção de Vítor Pinto Basto.

    Mães vítimas da guerra e como a arte pode ajudar à Paz

    Tenho para mim que não há melhor guerreiro do que um defensor da paz. Este, estoico, transmite a mensagem que a beleza de uma flor ou de um gesto amoroso vale mais que todas as balas do mundo. O problema é que se fazem guerras por causa de saques absurdos ou de ódios lamentáveis e as vítimas contam-se não só em quem nas guerras morre mas também entre quem recebe soldados feridos e deles trata.

  • Debate Contra as Guerras de Rapina

    Duas dezenas de defensores da Paz animaram a sessão pública de que o Conselho Português para Paz e Cooperação (CPPC) foi parte integrante na passada sexta-feira, na Sociedade de Instrução e Recreio Barreirense-SIRB, “Os Penicheiros”.

    Hernâni Magalhães, da Direcção Nacional do CPPC, a propósito de rapina citou os recursos minerais em geral e o coltan (columbite-tantalite) em particular - como no Congo- o petróleo e a água como os produtos naturais de que a voracidade do capitalismo procura apropriar-se, na lógica do mercado, levando a guerra a todos os continentes. “Mas na luta pela paz nem todas as guerras são iguais”, sublinhou, evocando a guerra de libertação nacional dos povos das ex-colónias portuguesas que contribuíram para o derrube da ditadura em Portugal. Abordou exemplos da tentativa dos Estados Unidos erguer autênticas fronteiras comerciais ao desenvolvimento de várias zonas do planeta, como a Rússia e a China, a intromissão nos assuntos internos de países e a notória exploração de conflitos com o apoio à vertente neo-nazi que neles, cada vez em maior escala, ganha espaço, pelo que a situação na Ucrânia mereceu especial atenção.

    Hélder Madeira, natural do Bareiro, membro da presidência do CPPC, retomou as linhas de força do Plano de Acção e da Resolução que a Assembleia da Paz do CPPC, de 7 de Dezembro de 2013, aprovou, sublinhando os golpes a que tem sido sucessivamente submetida, por sucessivos governos, a Constituição da República no que concerne o seu artigo 7º, que pugna por uma “política externa independente norteada pelos valores da Paz, da solidariedade e cooperação entre países e povos”. Recordou ainda a criação antes do 25 de Abril do Conselho Nacional de Paz e Cooperação na qual esteve na linha da frente com Laura Lopes e Silas Cerqueira, homenageados em Lisboa pelo CPPC, a 31 de Maio deste ano.

    A iniciativa foi dirigida por Daniel Ventura, Presidente da Mesa da Assembleia-Geral dos “Penicheiros”, que vincou o apego da colectividade à luta pela paz, o que fez recordar as iniciativas que naquele espaço se realizaram, ao longo de muitos anos e tão diversas como as de solidariedade com os povos da Palestina, Saara Ocidental ou Cuba. E portanto não foi por acaso que a convocação da sessão fosse partilhada pelos "Penicheiros" e a Associação das Colectividades Barreirense.
     
  • Debate em Coimbra: A situação internacional e a Luta pela Paz

  • Debate Público: A situação internacional e os problemas da paz" - Faro

  • Debate: Artistas pela Paz

  • Debates sobre a Paz em Escolas Secundárias do Algarve

    Nos dias 10 e 11 de Fevereiro O CPPC participou em debates que decorreram em cinco Escolas Secundárias do Algarve: Silves, Messines, Vila Real de Santo António, Cacela e Tavira.

    No seu conjunto, participaram cerca de 350 jovens e diversos professores, com os quais foi possível debater os conflitos actuais, apelando à mobilização na defesa e promoção da Paz, para garantir o futuro com respeito pela democracia e pelo direito dos povos a viverem em paz, com progresso e desenvolvimento.

    Foi ainda inaugurada, na Escola Secundária de Vila Real de Santo António, a exposição sobre os "100 anos da Grande Guerra e a luta pela Paz".

     

  • Décadas de Luta pela Paz - Porto

  • Dia da Terra (Yom Al-Ard) Palestina


    30 de Março de 1976 deixa na memória do povo palestino um dia marcado por uma greve geral e grandes manifestações de protesto, resultado da repressão provocada pelas forças armadas de Israel, nas quais foram assassinados 6 jovens palestinos e centenas foram presos ou feridos por militares israelitas que ilegalmente pretendiam expropriar a população para construírem colonatos.

    É um dia que representa a resistência e luta do povo palestino contra a ocupação de Israel, pelo direito a uma Palestina livre e independente.

  • Dia do Desporto pela Paz - Gondomar

    Desporto pela Paz é uma iniciativa que se vai realizar em Gondomar, a partir das 14 horas do próximo dia 6 de Abril - que a ONU declarou como Dia Internacional do Desporto ao serviço do Desenvolvimento e da Paz - no âmbito do Movimento Municípios pela Paz em colaboração com o Conselho Português para a Paz e Cooperação e a Câmara Municipal de Gondomar.

    Com um programa que inclui jogos diversificados e a participação de vários municípios, coletividades e escolas, haverá também uma caminhada pela Paz e no encerramento, pelas 17 horas, atuará a Orquestra Geração D´Ouro.

     

  • Dia Escolar da Não-Violência e da Paz

    Celebra-se hoje, 30 de Janeiro, o Dia Escolar da Não-Violência e da Paz, criado por iniciativa do poeta, pedagogo e pacifista espanhol Llorenç Vidal. Desde 1964 que a celebração deste dia pretende sensibilizar políticos, governantes, pais, educadores, professores e jovens para a necessidade de uma educação permanente pela não-violência e pela paz.

    A comemoração deste dia vai de encontro ao espírito do Preâmbulo da Constituição da UNESCO, que consagra a necessidade de educar para a solidariedade e para o respeito pelos outros, porque «uma vez que as guerras nascem na mente dos homens, é na mente dos homens que deve edificar-se a paz». A escolha do dia, longe de ser um acaso, recaiu na data do assassinato de Mahatma Ghandi, dirigente político indiano, intransigente defensor da paz, da não violência, da justiça e da tolerância entre os povos.

  • Dia Internacional da Paz

    A 21 de Setembro assinala-se o dia Internacional da Paz, declarado pela ONU, a 30 de Novembro de 1981, como o dia da não-violência e cessar fogo em todo o mundo, o dia em que, para além de se pensar ou falar em Paz entre os povos, deve-se agir em prol da Paz, enquanto factor indispensável ao progresso, ao desenvolvimento e justiça social.

    Num ano em que se intensificou o aumento de conflitos, bloqueios, ingerências externas, repressão contra povos e subversão do direito internacional, o Conselho Português para a Paz e Cooperação reafirma o seu empenho e o seu compromisso no reforço do movimento da Paz em Portugal, continuando a denunciar e a combater as crescentes injustiças e todas as formas de opressão dos povos, defendendo o cumprimento do artigo 7º da Constituição de Abril e o espírito da Carta da ONU.

    A Paz só é tangível quando todos os povos tiverem o direito ao bem estar, à alimentação, à água, à saúde, à habitação, à educação, ao trabalho, à cultura, ao lazer e à recreação, a um ambiente saudável, à liberdade, à soberania, à justiça e ao desenvolvimento económico, sendo estas condições essenciais a uma vida digna e estável. Assim, as populações devem exigir dos seus governos uma política de Paz, solidariedade e cooperação, em que sejam respeitados os direitos dos povos e as suas liberdades fundamentais, a igualdade entre os Estados e a soberania e independência dos países, apelando também a soluções pacíficas dos conflitos internacionais.

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação assinala este dia participando em diversas iniciativas, a começar a 20 de Setembro, com a realização de uma conversa sobre o dia Internacional da Paz e a inauguração da exposição “Construir a Paz com os valores de Abril” na Universidade Popular do Porto.
    Prossegue, de 21 a 28 de Setembro, na Junta da União das Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova, onde se realiza a Semana da Paz e será divulgada a exposição “Construir a Paz com os valores de Abril", que contará, no dia 21 de Setembro, às 17:00, na Junta de Freguesia de S. Pedro da Cova, com a participação da Presidente da Direcção do CPPC numa tertúlia sobre a Paz.

    Por fim, dia 22 de Setembro na Biblioteca Pública Municipal de Setúbal, pelas 21:00, será debatido o tema “A situação internacional e a luta pela Paz” também com a participação da Presidente da Direcção do CPPC.

    Direcção do CPPC

  • DIA INTERNACIONAL DA PAZ - 21 de Setembro

    Comemora-se hoje o Dia Internacional da Paz, iniciativa lançada pelas Nações Unidas em 1981. Associando-se à comemoração deste dia, o Conselho Português para a Paz e Cooperação está ciente da sua importância e da absoluta necessidade de, no tempo em que vivemos, unir esforços e vontades para defender a Paz, intervir contra a guerra, a militarização das relações internacionais, a corrida aos armamentos, e pelo desarmamento, a dissolução dos blocos político-militares e relações internacionais baseadas na cooperação e na amizade entre os povos e no respeito pela soberania e independência dos Estados.

    A luta pela Paz ganha hoje redobrada actualidade dada a multiplicação de ingerências, agressões e conflitos, que estão a provocar a morte, o sofrimento e a destruição em muitos pontos do mundo, incluindo o maior número de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, na sua maioria provenientes precisamente dos países vítimas da guerra e agressão externas, como a Síria, o Iémen, a Líbia, o Iraque, o Afeganistão, a Ucrânia, a Palestina, entre outros.

  • Dia Internacional da Paz - Rio Maior

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação participará das comemorações do Dia Internacional da Paz, próxima 4ª feira 21 de Setembro, em Rio Maior.

     

  • Dia Internacional da Paz 2016 - Rio Maior

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação participou nas comemorações do Dia Internacional da Paz em Rio Maior, no passado dia 21 de Setembro.

    Ao longo do dia várias iniciativas, envolvendo escolas, associações e artistas locais, assinalaram em diversos locais da cidade a efeméride.

    No cineteatro municipal foi inaugurada a exposição do CPPC “Construir a Paz com os Valores de Abril” que ficará patente ao público na Biblioteca Municipal de Rio Maior até o final do mês.

     

  • Dia Internacional da Paz assinalado no Seixal

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) e a Câmara Municipal do Seixal assinalaram o Dia Internacional da Paz, 21 de Setembro, com uma acção de rua com a participação do grupo de percussão “Toca a Rufar”, junto à Baía do Seixal, seguida de uma sessão na Quinta da Fidalga dirigida por Maria José Cantarinha da direcção nacional e membro do núcleo local do CPPC.

    Na mesa estiveram ainda Joaquim Santos, Presidente da Câmara Municipal do Seixal e Gustavo Carneiro da direcção nacional do CPPC, cuja intervenção focou a actualidade e premência da luta pela Paz, no actual contexto de instabilidade internacional. Tema incontornável foram as anunciadas manobras da NATO, a realizar em Portugal, Espanha e Itália entre 3 de Outubro e o início de Novembro de 2015, envolvendo mais de 40 países e mais 25 mil efectivos, e a necessidade de, em coerência com a defesa da Paz e dos preceitos da Constituição da República Portuguesa, nomeadamente do seu artigo 7º, contestar activamente a realização destas manobras belicistas e exigir a disolução desse bloco politico-militar.

    O Presidente da Câmara Municipal do Seixal, evocou ainda a experiência de vários munícipios portugueses com a criação das Zonas Livres de Armas Nucleares (ZLAN), afirmando a disponibilidade do município para a participação em iniciativas semelhantes de defesa da Paz. Os 65 anos decorridos após a assinatura do Apelo de Estocolmo contra as armas nucleares e os 40 anos da Acta de Helsínquia, foram também temas abordados.

    No local esteve patente a exposição "Construir a Paz com os Valores de Abril", iniciativa do CPPC que teve o apoio da Câmara do Seixal e foram recolhidas assinaturas para o abaixo-assinado (http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT78172) contestando a realização das manobras da NATO, texto lançado por um conjunto de organizações portuguesas.

     

  • Dia Internacional do Desporto ao Serviço do Desenvolvimento e da Paz

    Realizou-se hoje, em Gondomar, cidade europeia do desporto, um conjunto de iniciativas com a participação de associações e escolas de seis municípios do país. Como referiram no final os presidentes das Câmaras Municipais do Seixal e de Gondomar e a presidente da direção do CPPC, centenas de crianças, jovens e adultos empenharam-se no promoção do Desporto Pela Paz, assinalando o Dia Internacional do Desporto ao Serviço do Desenvolvimento e da Paz, proclamado pela ONU há quatro anos e hoje comemorado pelo Movimento Municípios Pela Paz. A iniciativa terminou com a música de jovens da orquestra Geração D`ouro, de Gondomar, e as danças dos Pauliteiros de Malhadas, Miranda do Douro. Durante a tarde decorreram jogos, e uma caminhada pela paz que envolveu crianças, jovens e adultos de Gaia, Valongo, Gondomar, Seixal, Loures e Miranda do Douro.

  • Dia internacional do Desporto para o Desenvolvimento e a Paz

     

    A Organização das Nações Unidas deliberou reconhecer 5 de Abril como O DIA INTERNACIONAL DO DESPORTO PARA O DESENVOLVIMENTO E A PAZ.

    Em Portugal, por iniciativa do Desportivo Operário do Rangel - Amadora – realizou-se, nesse dia, um Colóquio-Debate para o qual foi convidado o Conselho Português para a Paz e Cooperação, que esteve representado por Carlos Carvalho, membro da Direcção Nacional.

    O painel integrava ainda a Plataforma das ONG para o Desenvolvimento, o Comité Paralímpico de Portugal e o Orgão Coordenador do Plano Nacional da Ética Desportiva.

    Uma iniciativa com muito interesse em que as causas da paz e da cooperação foram por todos reconhecidas como valor que importa defender e promover. O desporto assume, como reconhece a ONU, um papel relevante como mensageiro da Paz entre os povos.

    O CPPC manifesta à Organização Promotora, Desportivo Operário do Rangel, o seu apreço pelo convite e, a todas as organizações e entidades representadas, a sua disponibilidade para participar em iniciativas conjuntas que visem promover os valores da paz, da solidariedade e da cooperação.

  • Dia Mundial da Ciência para a Paz e o Desenvolvimento/ Semana Internacional da Ciência e da Paz

    A propósito do Dia Mundial da Ciência para a Paz e o Desenvolvimento e da Semana Internacional da Ciência e da Paz, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) afirma a importância do desenvolvimento científico e tecnológico em prol do progresso social das Nações, também no sentido de se atingir a paz e a cooperação entre os povos, a sustentabilidade, a justiça e a dignidade.

  • Dia Mundial da População - Mensagem do Secretário Geral da ONU

    U N I T E D   N A T I O N S                                    N A T I O N S   U N I E S

    O SECRETÁRIO-GERAL

    --

    MENSAGEM NO DIA MUNDIAL DA POPULAÇÃO

    11 de Julho de 2014

    O mundo de hoje tem a maior geração de jovens da história - 1,8 mil milhões de jovens, a maioria a viver em países em desenvolvimento - com um enorme potencial para ajudar a enfrentar os grandes desafios que a humanidade enfrenta. Mas muitos jovens são privados das oportunidades a que têm direito, tais como obter uma educação de qualidade, encontrar trabalho digno, e participar na vida política das suas sociedades. O Dia Mundial da População é uma oportunidade para renovar o compromisso de ajudar os jovens a desencadear o progresso em toda a sociedade.

    É preciso agir urgentemente. Muitos jovens não dispõem dos recursos de que necessitam para sair da pobreza. Estou particularmente preocupado com as adolescentes que podem vir a  enfrentar problemas como a discriminação, a violência sexual, o casamento precoce e gravidez indesejada. E mesmo os jovens mais afortunados, que têm a sorte de poder obter diplomas universitários, muitos encontram-se sem emprego ou presos a empregos de baixos salários e sem futuro.

    A solução está no investimento em saúde, educação, formação e emprego para os jovens, à medida que atravessam a fase crítica  de transição para a vida adulta. Isso irá melhorar as perspectivas para as suas vidas e nosso futuro comum.

    Os próprios jovens estão a manifestar-se. No início deste ano, mais de mil organizações de juventude deram o seu apoio à iniciativa Global Youth Call (Apelo Global da Juventude), acolhida por 40 países, que recomenda a inclusão de objetivos e metas voltadas para a juventude na agenda de desenvolvimento pós-2015.

    No próximo ano atingimos o prazo para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, desenhar a agenda que se segue e a adoptar de um acordo legal significativo sobre a mudança climática. Os jovens têm um papel importante em todos esses processos. O ano de 2015 também marca o 20º aniversário do Programa de Mundial de Acção sobre a Juventude. As suas linhas de orientação práticas para a ação nacional e apoio internacional continuam a ser pertinentes hoje em dia, em particular, porque exigem que os governos respeitem os direitos humanos e as liberdades fundamentais de todos os jovens e respondam eficazmente a todas as violações.

    Neste Dia Mundial da População, apelo a todos aqueles que têm influência para darem prioridade aos os jovens nos planos de desenvolvimento, fortalecer as parcerias com organizações lideradas por jovens, e envolver os jovens em todas as decisões que os afetam. Ao capacitar os jovens de hoje, vamos lançar as bases para um futuro mais sustentável para as gerações vindouras.

    -------------------------

    Sites relevantes:

    http://www.un.org/en/events/populationday/index.shtml

    http://www.unfpa.org/public/home/news/pid/17697

  • Encontro de Lançamento: Movimento Municípios pela Paz

    Realiza-se no próximo sábado, dia 29 de outubro, na Câmara Municipal do Seixal com a colaboração do CPPC, uma iniciativa para a qual foram convidados todos os municípios do país, visando a criação do movimento Municípios pela Paz.

    A iniciativa será no edifício dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal, durante a tarde.