Outras Notícias

Palestina

  •  

    Por decisão da Assembleia Geral da ONU, o ano 2014 é o Ano Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino. Também por decisão da Assembleia Geral da ONU, todos os anos celebra-se, a 29 de Novembro, o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino. O dia foi escolhido, em 1977, porque nesse mesmo dia, em 1947, a Assembleia Geral da ONU havia aprovado a Resolução 181 sobre a Partilha da Palestina, decretando a criação de dois Estados no território histórico da Palestina. O Estado de Israel foi criado logo no ano seguinte, com uma declaração unilateral e uma campanha planeada de violência e de terror que se traduziu numa autêntica limpeza étnica da população palestina. Mas o prometido Estado da Palestina aguarda ainda hoje, 67 anos volvidos, a sua concretização.

  •  

    Excelentíssimo Senhor Embaixador da Palestina
    Estimados Representantes de Organizações Palestinas
    Sr. Deputado Bruno Dias
    Srª Deputada Catarina Marcelino
    Sr. Vice Presidente da Câmara Municipal de Almada
    Estimados Companheiros da CGTP-IN, do MPPM e do CPPC e outras organizações aqui presentes

    Caros Amigos,
    Em nome do Conselho Português para a Paz e Cooperação uma saudação calorosa a todos os participantes neste Seminário que se insere na proclamação pelas Nações Unidas de - 2014 - Ano Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino.

  • Estimados Representantes de Organizações Palestina
    Excelentíssimos convidados

    Cumpre-me fazer o encerramento deste Seminário, tarefa difícil face à excelência das intervenções e comunicações aqui trazidas pelos ilustres conferencistas que ao longo do dia nos honraram com a sua presença.

    As minhas primeiras palavras vão para a Câmara Municipal de Almada, a quem, felicito por acolher esta iniciativa inserida na luta que os povos amantes da Paz travam, sem esmorecimento, há décadas, pelo direito do povo palestino a um Estado independente e soberano dentro das fronteiras de 1967 e com Jerusalém leste como capital.

  • sessao de solidariedade com a palestina 1 20180516 1034045222

  • cartaz palestina cuba 1 20140828 1316969723

    30 de Agosto

    "Taberna do Arrufa" - Cuba - Beja

    com a participação do Comandante António Lara Cardoso
    (membro da direcção nacional do CPPC).

    Participa!

  • sessao de solidariedade com a palestina em coimbra 1 20180621 1436400721

    O CPPC promove no próximo dia 25 de Junho às 19 horas no Café Santa Cruz, em Coimbra, uma sessão de solidariedade com a Palestina, na qual participam o escritor e professor José António Gomes e a ilustradora Ana Biscaia.

  • Realizou-se, no passado dia 30 de Agosto, uma sessão de solidariedade com o povo palestino na Vila de Cuba, distrito de Beja.

    Presentes na mesa, estiveram o comandante António Lara Cardoso, membro da direcção nacional do CPPC, José Baguinho do núcleo do CPPC de Beja, que dirigiu a sessão e Francisca Bicho, professora de história.

    Nesta iniciativa, realizada na "Taberna do Arrufa" foi ainda possível ver a exposição do CPPC, "Construír a Paz com os valores de Abril".

     

  • A CGTP-IN, o CPPC e o MPPM convidam-no a participar numa sessão de solidariedade e esclarecimento sobre a actual situação na Palestina, com a presença do Ex.mo Senhor Embaixador da Palestina em Portugal, Hikmat Ajjuri.

    Contam-se por muitas centenas as vítimas mortais, são milhares de feridos e dezenas de milhar de desalojados o resultado da criminosa agressão do governo israelita ao povo palestino da Faixa de Gaza, desde o dia 7 de Julho.

    De dia para dia, cresce a escalada de horror, a comunidade internacional, surda aos protestos que se levantam um pouco por todo o mundo, indiferente à dor e ao sofrimento de um povo martirizado por décadas de ocupação e repressão, assiste em silêncio ao massacre, um exercício de pura e genocida brutalidade praticado sobre uma população indefesa, por um dos mais poderosos exércitos do mundo.

    É tempo de dizer basta.

    Participantes na sessão:

    Fernando Maurício - CGTP

    José Baptista Alves - CPPC

    Maria do Céu Guerra - MPPM

     

     

  • O CPPC, o MPPM e o Teatro Extremo realizam na próxima sexta-feira, dia 1 de Agosto pelas 21h, uma sessão de solidariedade com o povo palestino.
    A sessão terá lugar no Teatro Extremo (Rua Serpa Pinto, 16 - Almada).

    Participa!

  • Mais de 200 pessoas encheram a sala Agostinho Fortes na Casa do Alentejo, para a sessão de solidariedade com o povo palestino promovida pela CGTP-IN, o CPPC e o MPPM.

    Para além das organizações promotoras, a sessão contou com a intervenção do Ex.mo Sr. Embaixador da Palestina em Portugal Hikmat Ajjuri, que fez um apanhado histórico para melhor enquadrar a situação que se vive actualmente na Palestina.

    No final da sessão foi reafirmado o compromisso dos presentes em continuar as acções de solidariedade e aprovada, por unanimidade, uma moção a dirigir aos órgãos de soberania portugueses.

  • Sessão de Solidariedade com a Palestina

    13 de Setembro de 2014 | 21h

    Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro

    com a participação de Filipe Ferreira da Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação

    organização:
    Associação de Colectividades do Conselho do Barreiro
    Conselho Português para a Paz e Cooperação

    Apoio:
    Câmara Municipal do Barreiro

  • A Casa do Alentejo, em Lisboa, encheu-se ao final da tarde de dia 20 de Dezembro para uma sessão de solidariedade com a Palestina, promovida pelo CPPC em parceria com a CGTP-IN, o MDM e o MPPM.

    O ponto de partida foi a nova provocação dos EUA de reconhecerem Jerusalém como capital de Israel, mas em todas as intervenções se denunciou a longa e brutal ocupação sionista da Palestina e as desumanas violações dos mais elementares direitos humanos que sempre a acompanharam e a cumplicidade dos Estados Unidos.

    O CPPC esteve representado por Gustavo Carneiro, da direcção. Pela CGTP-IN interveio o Secretário-geral, Arménio Carlos, pelo MDM Regina Marques e pelo MPPM Carlos Almeida.

  • solidariedade com a palestina - braga - agosto de 2014 1 20140828 1891288051

    Cerca de duzentas pessoas na vigília de solidariedade com o povo da Palestina em Braga

    Cerca de duas centenas de pessoas associaram-se, na noite de ontem à vigília promovida, na Arcada, em Braga, pela União de Sindicatos de Braga, pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, e pelo Movimento “Solidariedade.com.a.Palestina”, pela Paz, em solidariedade com a Palestina e com o seu povo, contra a guerra criminosa e opressora levada a cabo pelo Estado de Israel.

  • solidariedade com a palestina - porto - agosto de 2014 1 20140828 1540972229

    No acto público de solidariedade com a Palestina, realizado na manhã do dia 9 de Agosto, no Porto, participaram cerca de 200 pessoas e intervieram representantes de várias organizações que apoiaram a iniciativa do Conselho Português para a Paz e Cooperação.

  • O Lago de Camões, em Lisboa, encheu-se ao fim da tarde de hoje, com a presença convicta e combativa de activistas pela paz e pelos direitos do povo palestino.

    Num acto público promovido por mais de 50 organizações e que recolheu o apoio de mais de 100 personalidades, ouviram-se as intervenções de representantes do Conselho Português para a Paz e Cooperação, da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional, do Movimento Democrático de Mulheres e do Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e a Paz no Médio Oriente, organizações que lançaram o apelo para a realização da iniciativa.

  • Leia a intervenção do Conselho Português para a Paz e Cooperação na iniciativa desta tarde no Largo de Camões em Lisboa:

    Basta de crimes! Não à provocação de Trump!
    Liberdade para a Palestina!
    Paz no Médio Oriente!

  • Realizou no final da tarde de 15 de Maio uma iniciativa na Praça da Palestina, no Porto, de solidariedade com a Palestina e de denúncia dos massacres que causaram mais de 60 mortos e feriram mais de 2700 pessoas no mesmo dia em que os EUA abriram a sua embaixada em Jerusalém contra as resoluções da ONU e o direito internacional e quando se assinalam os 70 anos da Nakba, a grande tragédia.

    Ali se gritou Palestina Vencerá!Não à provocação, fim à ocupação! Ali estavam presentes cerca de duas centenas de pessoas a apoiar os protestos legítimos e vigorosos do povo palestino, a denunciar a violenta e criminosa repressão contra os que na Palestina estão neste momento também nas ruas a lutar pelos seus direitos e pela paz.

  • Realizou-se ontem, dia 6 de Agosto, em Aveiro uma acção de solidariedade com a Palestina.

    Marcada ao final da tarde num dos sítios com mais circulação do concelho - a estação de comboio - esta foi uma iniciativa com grande impacto, quer pela participação de várias dezenas de pessoas, quer pela chamada de atenção a algumas centenas que por lá passaram, havendo mesmo algumas que se juntaram à acção e assinaram a petição do CPPC.

    Esta iniciativa, promovida pelo CPPC em conjunto com a União de Sindicatos de Aveiro, contou com a presença e intervenção de Joaquim Mesquita, da Direcção Nacional do CPPC, que sublinhou a solidariedade do povo português e, particularmente, dos habitantes do distrito de Aveiro, com a Palestina e a sua justa luta pela paz, liberdade e independência - contra o fim da ocupação e do genocídio!

     

  • Conjunto de 25 organizações portuguesas subscreve documento em solidariedade com presos palestinos em greve de fome nas prisões israelitas.

    SOLIDARIEDADE COM OS PRESOS PALESTINOS EM GREVE DA FOME NOS CÁRCERES DE ISRAEL

    Cerca de 1500 palestinos encarcerados nas prisões de Israel por resistirem à ocupação e à repressão lançaram no dia 17 de Abril uma greve da fome designada «greve da liberdade e dignidade».

    A greve da fome é uma medida extrema: privados de outros meios de protesto, os presos usam o seu próprio corpo, põem em risco a sua própria vida para reclamar a melhoria das suas condições e a sua libertação.

    Os presos em greve da fome, de todas as tendências políticas, reivindicam direitos básicos como o direito de telefonar às suas famílias, visitas familiares, o acesso ao ensino superior à distância, cuidados médicos e tratamento adequados e o fim dos regimes de isolamento e de detenção sem acusação nem julgamento.