Outras Notícias

paz e desenvolvimento

  • homenagem a rui namorado rosa 1 20190314 1664181930

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu presidente e membro da Direção Nacional e é atualmente membro da sua Presidência.

    Conhecido e prestigiado cientista, investigador e professor universitário, com vasta e importante obra publicada nas áreas cientifica e de intervenção cívica, Rui Namorado Rosa é um grande ativista da paz ao longo da sua vida, com intervenção nacional e internacional na defesa da paz e na denúncia da guerra e do militarismo, tendo representado o CPPC em diversas conferências e reuniões internacionais, designadamente no âmbito do Conselho Mundial da Paz.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação participou na Manifestação Nacional de Mulheres promovida pelo Movimento Democrático de Mulheres de dia 11 de Março, onde activistas do CPPC se juntaram à exigência de Igualdade, Direitos, Desenvolvimento e Paz.

  • O CPPC convida todos os amigos e amigas a estarem presentes na inauguração, no Seixal, da exposição Construir a Paz com os valores de Abril, que terá lugar no dia 11 de Julho, às 18h no átrio dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal.

     

     

  • O CPPC convida todos os amigos e amigas a estarem presentes na inauguração, em Almada, da exposição Construir a Paz com os valores de Abril, que terá lugar no dia 11 de Julho, às 17h na sala Pablo Neruda do Fórum Municipal Romeu Correia.

     

  • A inauguração, em Almada, da exposição “Construir a Paz com os Valores de Abril”, contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Joaquim Judas, de Ilda Figueiredo presidente da Direcção Nacional do CPPC, de membros do núcleo local do CPPC e outros.

    Elaborada pelo CPPC e produzida com o apoio das Câmaras Municipais de Almada e do Seixal a exposição inaugurada no passado dia 11 de Julho, pode ser visitada na Sala Pablo Neruda do Fórum Municipal Romeu Correia até o final deste mês, passando, em seguida, pelas bibliotecas municipais de Almada.

     

  • Elaborada pelo CPPC e produzida com o apoio das Câmaras Municipais de Almada e do Seixal a exposição “Construir a Paz com os Valores de Abril”, foi inaugurada no átrio dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal, no passado dia 11 de Julho, com a participação do Presidente da Câmara Municipal, Joaquim Santos, da vereadora Corália Loureiro e de Ilda Figueiredo presidente da direcção nacional do CPPC.

    Cerca de duas dezenas de pessoas assistiram à inauguração, incluindo representantes do núcleo local do CPPC.

    A exposição permanecerá átrio dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal até o final do mês, estando prevista a sua apresentação noutros locais no município.

     

     

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação apresentou no dia 19, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, o livro «Décadas de Luta pela Paz». Participaram na sessão Gustavo Carneiro, da Direcção Nacional do CPPC, e os professores daquela instituição João Paulo Oliveira e Costa e João Luís Lisboa. Partindo do conteúdo do livro, o debate centrou-se nas principais ameaças à paz na actualidade e na necessidade de levar mais longe a acção pelo desarmamento e a paz.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) integrou a manifestação comemorativa do 1.º de Maio, promovida pela CGTP-IN em Lisboa. Empunhando uma faixa relativa à campanha pela adesão de Portugal ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares e bandeiras com a célebre pomba desenhada por Pablo Picasso para o movimento mundial da paz, os activistas do CPPC entoaram palavras de ordem pelo desarmamento, pela paz e de solidariedade com os povos, nomeadamente da Síria e da Palestina. Ao longo da manifestação e na banca do CPPC, na Alameda Dom Afonso Henriques, foram recolhidas centenas de assinaturas para a petição pela proibição das armas nucleares.

  • lutar pelos direitos lutar pelo direito a paz 1 20180607 1430204535

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação saúda os trabalhadores portugueses e a CGTP-IN na sua luta por uma sociedade mais justa, mais fraterna, mais solidária, que contribua para um mundo de Paz, e associa-se à manifestação nacional que se realiza no próximo dia 9 de Junho, às 15h00, do Campo Pequeno ao Marquês de Pombal, em Lisboa.

    O CPPC defende um Portugal de desenvolvimento económico, de progresso e a justiça social, que assegure os direitos e o bem-estar de todos os portugueses, só possível com uma política que efectivamente sirva este objectivo e que garanta a soberania e a independência nacional – como consagra o projecto de desenvolvimento inscrito na Constituição da República Portuguesa.

    Informamos que o ponto de encontro, dos que queiram participar na manifestação junto do pano do CPPC, será frente à entrada principal do espaço comercial do Campo Pequeno, a partir das 15h00.

    O CPPC recolherá durante a manifestação assinaturas para a petição visando a adesão de Portugal ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares, e divulgará a campanha "Sim à Paz! Não à NATO!".

    Participe!

  •  de 700 participantes deram corpo a um grande encontro pela paz 28 20181026 1370400071

    As organizações e entidades promotoras do Encontro pela Paz que, no passado sábado, 20 de Outubro, se realizou no Pavilhão Paz e Amizade, em Loures, saúdam os mais de 700 participantes, vindos de vários pontos do País, que com a sua participação activa fizeram desta iniciativa um importante momento que, certamente, irá contribuir para o desenvolvimento da luta pela paz em Portugal.

    Ao mesmo tempo, valorizam as mais de 45 organizações e entidades que se juntaram ao processo preparatório do Encontro pela Paz e todos os que, da sua tribuna, partilharam análises, experiências e pontos de vista: homens, mulheres e jovens; dirigentes e activistas das organizações envolvidas, sindicalistas, autarcas, padres, militares, professores, jornalistas, investigadores, juristas, estudantes, entre muitos outros.

    Os promotores do Encontro pela Paz agradecem a todos os trabalhadores do Município de Loures que garantiram, durante todo o dia, um funcionamento exemplar e condições óptimas para um trabalho frutuoso, e aos grupos musicais que com a sua actuação em muito valorizaram o Encontro: o coro da Liga dos Amigos da Mina de São Domingos e as Batucadeiras da Quinta da Princesa (Seixal).

  • ciclo cinema pela paz loule 1 20180828 1074885782

    Dia 17 de Agosto decorreu mais uma sessão do Ciclo de Cinema Pela Paz em Loulé, com o visionamento do filme "Vem e vê" de Elem Klimov, precedido de um debate com a participação de António Goulart de Medeiros, coordenador da União dos Sindicatos do Algarve e Luísa Martins coordenadora do projecto Loulé-Cidade Educadora. O debate teve como moderadora Sofia Costa membro do CPPC e contou ainda com o contributo de Zeca, um louletano com grande experiência cinematográfica nos estúdios da Fox em Sidney, onde tem estado emigrado.

    A invasão da União Soviética pelas forças Nazis e a destruição de cerca 5000 aldeias Soviéticas, as mortes e as monstruosidades cometidas durante a II Grande Guerra foram bastante comentados, por estarem evidenciadas no filme. Assim como a resistência da população e do exército Soviético, fundamentais para a derrota do Nazi-fascismo. Na próxima sexta-feira, dia 24, decorrerá a última sessão deste ciclo, com o filme "O Pianista".

  • No Dia Internacional da Mulher o Conselho Português para a Paz e Cooperação saúda a Manifestação Nacional de Mulheres promovida pelo Movimento Democrático de Mulheres no próximo dia 11 de Março, onde se fará ouvir a voz das mulheres pela Igualdade, Direitos, Desenvolvimento e Paz.

    Solidário com o MDM e com os objectivos desta iniciativa o CPPC participará e apela à participação na manifestação.

    O ponto de encontro dos que queiram participar na Marcha com CPPC será na placa central do Rossio, frente ao Café Nicola pelas 14h.

     

  •  manifestacao nacional de mulheres lisboa 1 20190314 1408010308

    O Conselho Português para a Paz e a Cooperação participou na Manifestação Nacional de Mulheres, “Pela igualdade na vida – o combate do nosso tempo”, organizada pelo MDM.

    Defendendo os valores de Abril e da Paz enquanto pilares para um futuro melhor, activistas do CPPC participaram na manifestação e distribuíram centenas de exemplares do mais recente Notícias da Paz.

     

  • Saudando a Manifestação Nacional de Mulheres de 10 de Março, em Lisboa, promovida pelo Movimento Democrático de Mulheres e reconhecendo-se nos seus objectivos o Conselho Português para a Paz e Cooperação estará presente nesta jornada de luta e convida todos os amantes da paz a participarem na manifestação e a se juntarem à faixa com que o CPPC desfilará.

    Concentração Praça dos Restauradores, do lado do Marquês de Pombal, 14h30

    O CPPC saúda calorosamente as Mulheres na luta contra a discriminação e violência, contra as desigualdades, na luta pelos seus direitos, pela afirmação da sua força fundamental para que no país haja uma verdadeira política de igualdade e justiça social.

    As Mulheres estiveram e estão na luta pela paz e contra a guerra, que está profundamente ligada à luta pelo progresso social. Estiveram e estão na luta por um Mundo livre de Armas Nucleares, em defesa do seu futuro, do futuro da Humanidade. A perigosa situação que se vive hoje no mundo exige a participação de todos - Mulheres e Homens - na intervenção e luta para alcançar estes objectivos.

    Pela Paz, todos não somos de mais.
    CPPC

  • marcha da paz em gaia mobilizou mais de 500 criancas e jovens 1 20190619 1880111559

    Na manhã do passado dia 14 de Junho, mais de 500 crianças, jovens, professores e outros membros da comunidade educativa de cinco agrupamentos de escolas do município de Vila Nova de Gaia realizaram uma marcha pela Paz, entre a praça do Corte Inglés e a praça da Câmara Municipal, ao som dos mareantes, grupo de jovens estudantes de uma das escolas da cidade que tocam bombos.

    Na marcha, desfilaram com faixas e outros materiais pintados pelos alunos nas escolas apelando à paz e denunciando os flagelos da guerra, como aconteceu com os bombardeamentos nucleares de Hiroxima e Nagasaqui, pelos EUA, no final da Segunda Guerra Mundial.

  • No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Paz, decorrerá a Marcha dos Combatentes pela Paz, promovida pela Associação dos Deficientes das Forças Armadas e pela Liga do Combatentes, co-organizado pela Câmara Municipal de Lisboa e com o CPPC como uma das organizações parceiras.

  • No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Paz, O Conselho Português para a Paz e Cooperação esteve presente na Marcha dos Combatentes pela Paz, promovida pela Associação dos Deficientes das Forças Armadas e pela Liga do Combatentes, co-organizado pela Câmara Municipal de Lisboa e que contou com o CPPC como uma das organizações parceiras.

    #internationaldayofpeace #diainternacionaldapaz

     

  • marcha pela paz covilha 2018 1 20180531 1167572849

    Covilhã – 6 de Junho – 10,30
    (Concentração junto à estátua Campos Melo)

    O Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC) associa-se às iniciativas promovidas pela Direção do Agrupamento de Escolas Frei Heitor Pinto, na Covilhã, envolvendo os alunos dos 7º aos 12º Anos, os CEF´s e os Profissionais, com a finalidade de enaltecer os valores ligados à PAZ e à Cooperação, à Amizade, ao Diálogo e à Tolerância, entre tantos outros valores que devem estar sempre presentes na sociedade e, em particular, no ambiente escolar, na relação entre pessoas, populações e países.

  • marcha pela paz vn gaia 1 20190605 1072180764

  • O CPPC regozija-se pela recente votação da Assembleia-Geral das Nações Unidas pelo fim do bloqueio dos Estados Unidos a Cuba, a mais expressiva de sempre, com 191 votos a favor e apenas duas abstenções, a dos próprios EUA e a de Israel. Esta manifestação de repúdio por um bloqueio criminoso, ilegal e imoral, que dura desde o início dos anos 60 do século passado e que constitui um atentado aos direitos humanos e um considerável obstáculo ao desenvolvimento económico e social deste país das Caraíbas, torna ainda mais urgente o seu imediato levantamento.

    Independentemente das razões diferenciadas que terão levado muitos países a votar pelo fim do bloqueio – ou até da inusitada abstenção do país que tem na sua mão a capacidade de lhe pôr cobro por ser o país que o impõe –, é de sublinhar a quase unanimidade existente em torno desta questão, o que é indissociável da persistência e tenacidade do povo cubano, que, ano após ano, levantou o tema na Assembleia-Geral da ONU e recolheu apoios maioritários e sempre crescentes.

    Para que a esta rejeição generalizada corresponda efectivamente o fim do bloqueio será decisivo que o povo cubano continue, como até aqui, a resistir às pressões e ingerências externas, e particularmente dos EUA, e prossiga o rumo que livremente escolheu e que, apesar do bloqueio, garante a toda a população serviços públicos essenciais, habitação e segurança.

    Imprescindível também é que as organizações, movimentos e pessoas solidárias com Cuba e o seu povo prossigam a denúncia da iniquidade do bloqueio e das suas consequências e que continuemos a lutar pelo seu fim.

    Direcção Nacional do CPPC