Outras Notícias

paz e desenvolvimento

  • O CPPC convida todos os amigos e amigas a estarem presentes na inauguração, no Seixal, da exposição Construir a Paz com os valores de Abril, que terá lugar no dia 11 de Julho, às 18h no átrio dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal.

     

     

  • O CPPC convida todos os amigos e amigas a estarem presentes na inauguração, em Almada, da exposição Construir a Paz com os valores de Abril, que terá lugar no dia 11 de Julho, às 17h na sala Pablo Neruda do Fórum Municipal Romeu Correia.

     

  • A inauguração, em Almada, da exposição “Construir a Paz com os Valores de Abril”, contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Joaquim Judas, de Ilda Figueiredo presidente da Direcção Nacional do CPPC, de membros do núcleo local do CPPC e outros.

    Elaborada pelo CPPC e produzida com o apoio das Câmaras Municipais de Almada e do Seixal a exposição inaugurada no passado dia 11 de Julho, pode ser visitada na Sala Pablo Neruda do Fórum Municipal Romeu Correia até o final deste mês, passando, em seguida, pelas bibliotecas municipais de Almada.

     

  • Elaborada pelo CPPC e produzida com o apoio das Câmaras Municipais de Almada e do Seixal a exposição “Construir a Paz com os Valores de Abril”, foi inaugurada no átrio dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal, no passado dia 11 de Julho, com a participação do Presidente da Câmara Municipal, Joaquim Santos, da vereadora Corália Loureiro e de Ilda Figueiredo presidente da direcção nacional do CPPC.

    Cerca de duas dezenas de pessoas assistiram à inauguração, incluindo representantes do núcleo local do CPPC.

    A exposição permanecerá átrio dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal até o final do mês, estando prevista a sua apresentação noutros locais no município.

     

     

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação apresentou no dia 19, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, o livro «Décadas de Luta pela Paz». Participaram na sessão Gustavo Carneiro, da Direcção Nacional do CPPC, e os professores daquela instituição João Paulo Oliveira e Costa e João Luís Lisboa. Partindo do conteúdo do livro, o debate centrou-se nas principais ameaças à paz na actualidade e na necessidade de levar mais longe a acção pelo desarmamento e a paz.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) integrou a manifestação comemorativa do 1.º de Maio, promovida pela CGTP-IN em Lisboa. Empunhando uma faixa relativa à campanha pela adesão de Portugal ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares e bandeiras com a célebre pomba desenhada por Pablo Picasso para o movimento mundial da paz, os activistas do CPPC entoaram palavras de ordem pelo desarmamento, pela paz e de solidariedade com os povos, nomeadamente da Síria e da Palestina. Ao longo da manifestação e na banca do CPPC, na Alameda Dom Afonso Henriques, foram recolhidas centenas de assinaturas para a petição pela proibição das armas nucleares.

  • lutar pelos direitos lutar pelo direito a paz 1 20180607 1430204535

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação saúda os trabalhadores portugueses e a CGTP-IN na sua luta por uma sociedade mais justa, mais fraterna, mais solidária, que contribua para um mundo de Paz, e associa-se à manifestação nacional que se realiza no próximo dia 9 de Junho, às 15h00, do Campo Pequeno ao Marquês de Pombal, em Lisboa.

    O CPPC defende um Portugal de desenvolvimento económico, de progresso e a justiça social, que assegure os direitos e o bem-estar de todos os portugueses, só possível com uma política que efectivamente sirva este objectivo e que garanta a soberania e a independência nacional – como consagra o projecto de desenvolvimento inscrito na Constituição da República Portuguesa.

    Informamos que o ponto de encontro, dos que queiram participar na manifestação junto do pano do CPPC, será frente à entrada principal do espaço comercial do Campo Pequeno, a partir das 15h00.

    O CPPC recolherá durante a manifestação assinaturas para a petição visando a adesão de Portugal ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares, e divulgará a campanha "Sim à Paz! Não à NATO!".

    Participe!

  •  de 700 participantes deram corpo a um grande encontro pela paz 28 20181026 1370400071

    As organizações e entidades promotoras do Encontro pela Paz que, no passado sábado, 20 de Outubro, se realizou no Pavilhão Paz e Amizade, em Loures, saúdam os mais de 700 participantes, vindos de vários pontos do País, que com a sua participação activa fizeram desta iniciativa um importante momento que, certamente, irá contribuir para o desenvolvimento da luta pela paz em Portugal.

    Ao mesmo tempo, valorizam as mais de 45 organizações e entidades que se juntaram ao processo preparatório do Encontro pela Paz e todos os que, da sua tribuna, partilharam análises, experiências e pontos de vista: homens, mulheres e jovens; dirigentes e activistas das organizações envolvidas, sindicalistas, autarcas, padres, militares, professores, jornalistas, investigadores, juristas, estudantes, entre muitos outros.

    Os promotores do Encontro pela Paz agradecem a todos os trabalhadores do Município de Loures que garantiram, durante todo o dia, um funcionamento exemplar e condições óptimas para um trabalho frutuoso, e aos grupos musicais que com a sua actuação em muito valorizaram o Encontro: o coro da Liga dos Amigos da Mina de São Domingos e as Batucadeiras da Quinta da Princesa (Seixal).

  • ciclo cinema pela paz loule 1 20180828 1074885782

    Dia 17 de Agosto decorreu mais uma sessão do Ciclo de Cinema Pela Paz em Loulé, com o visionamento do filme "Vem e vê" de Elem Klimov, precedido de um debate com a participação de António Goulart de Medeiros, coordenador da União dos Sindicatos do Algarve e Luísa Martins coordenadora do projecto Loulé-Cidade Educadora. O debate teve como moderadora Sofia Costa membro do CPPC e contou ainda com o contributo de Zeca, um louletano com grande experiência cinematográfica nos estúdios da Fox em Sidney, onde tem estado emigrado.

    A invasão da União Soviética pelas forças Nazis e a destruição de cerca 5000 aldeias Soviéticas, as mortes e as monstruosidades cometidas durante a II Grande Guerra foram bastante comentados, por estarem evidenciadas no filme. Assim como a resistência da população e do exército Soviético, fundamentais para a derrota do Nazi-fascismo. Na próxima sexta-feira, dia 24, decorrerá a última sessão deste ciclo, com o filme "O Pianista".

  • No Dia Internacional da Mulher o Conselho Português para a Paz e Cooperação saúda a Manifestação Nacional de Mulheres promovida pelo Movimento Democrático de Mulheres no próximo dia 11 de Março, onde se fará ouvir a voz das mulheres pela Igualdade, Direitos, Desenvolvimento e Paz.

    Solidário com o MDM e com os objectivos desta iniciativa o CPPC participará e apela à participação na manifestação.

    O ponto de encontro dos que queiram participar na Marcha com CPPC será na placa central do Rossio, frente ao Café Nicola pelas 14h.

     

  •  manifestacao nacional de mulheres lisboa 1 20190314 1408010308

    O Conselho Português para a Paz e a Cooperação participou na Manifestação Nacional de Mulheres, “Pela igualdade na vida – o combate do nosso tempo”, organizada pelo MDM.

    Defendendo os valores de Abril e da Paz enquanto pilares para um futuro melhor, activistas do CPPC participaram na manifestação e distribuíram centenas de exemplares do mais recente Notícias da Paz.

     

  • Saudando a Manifestação Nacional de Mulheres de 10 de Março, em Lisboa, promovida pelo Movimento Democrático de Mulheres e reconhecendo-se nos seus objectivos o Conselho Português para a Paz e Cooperação estará presente nesta jornada de luta e convida todos os amantes da paz a participarem na manifestação e a se juntarem à faixa com que o CPPC desfilará.

    Concentração Praça dos Restauradores, do lado do Marquês de Pombal, 14h30

    O CPPC saúda calorosamente as Mulheres na luta contra a discriminação e violência, contra as desigualdades, na luta pelos seus direitos, pela afirmação da sua força fundamental para que no país haja uma verdadeira política de igualdade e justiça social.

    As Mulheres estiveram e estão na luta pela paz e contra a guerra, que está profundamente ligada à luta pelo progresso social. Estiveram e estão na luta por um Mundo livre de Armas Nucleares, em defesa do seu futuro, do futuro da Humanidade. A perigosa situação que se vive hoje no mundo exige a participação de todos - Mulheres e Homens - na intervenção e luta para alcançar estes objectivos.

    Pela Paz, todos não somos de mais.
    CPPC

  • No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Paz, decorrerá a Marcha dos Combatentes pela Paz, promovida pela Associação dos Deficientes das Forças Armadas e pela Liga do Combatentes, co-organizado pela Câmara Municipal de Lisboa e com o CPPC como uma das organizações parceiras.

  • No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Paz, O Conselho Português para a Paz e Cooperação esteve presente na Marcha dos Combatentes pela Paz, promovida pela Associação dos Deficientes das Forças Armadas e pela Liga do Combatentes, co-organizado pela Câmara Municipal de Lisboa e que contou com o CPPC como uma das organizações parceiras.

    #internationaldayofpeace #diainternacionaldapaz

     

  • marcha pela paz covilha 2018 1 20180531 1167572849

    Covilhã – 6 de Junho – 10,30
    (Concentração junto à estátua Campos Melo)

    O Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC) associa-se às iniciativas promovidas pela Direção do Agrupamento de Escolas Frei Heitor Pinto, na Covilhã, envolvendo os alunos dos 7º aos 12º Anos, os CEF´s e os Profissionais, com a finalidade de enaltecer os valores ligados à PAZ e à Cooperação, à Amizade, ao Diálogo e à Tolerância, entre tantos outros valores que devem estar sempre presentes na sociedade e, em particular, no ambiente escolar, na relação entre pessoas, populações e países.

  • marcha pela paz vn gaia 1 20190605 1072180764

  • O CPPC regozija-se pela recente votação da Assembleia-Geral das Nações Unidas pelo fim do bloqueio dos Estados Unidos a Cuba, a mais expressiva de sempre, com 191 votos a favor e apenas duas abstenções, a dos próprios EUA e a de Israel. Esta manifestação de repúdio por um bloqueio criminoso, ilegal e imoral, que dura desde o início dos anos 60 do século passado e que constitui um atentado aos direitos humanos e um considerável obstáculo ao desenvolvimento económico e social deste país das Caraíbas, torna ainda mais urgente o seu imediato levantamento.

    Independentemente das razões diferenciadas que terão levado muitos países a votar pelo fim do bloqueio – ou até da inusitada abstenção do país que tem na sua mão a capacidade de lhe pôr cobro por ser o país que o impõe –, é de sublinhar a quase unanimidade existente em torno desta questão, o que é indissociável da persistência e tenacidade do povo cubano, que, ano após ano, levantou o tema na Assembleia-Geral da ONU e recolheu apoios maioritários e sempre crescentes.

    Para que a esta rejeição generalizada corresponda efectivamente o fim do bloqueio será decisivo que o povo cubano continue, como até aqui, a resistir às pressões e ingerências externas, e particularmente dos EUA, e prossiga o rumo que livremente escolheu e que, apesar do bloqueio, garante a toda a população serviços públicos essenciais, habitação e segurança.

    Imprescindível também é que as organizações, movimentos e pessoas solidárias com Cuba e o seu povo prossigam a denúncia da iniquidade do bloqueio e das suas consequências e que continuemos a lutar pelo seu fim.

    Direcção Nacional do CPPC

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) convida-vos a participar na sessão pública - Pelo fim das Armas Nucleares - que vai realizar no próximo Sábado, dia 16 de Dezembro, a partir das 14h30, na Escola Profissional Bento de Jesus Caraça - Rua Vítor Cordon nº1, em Lisboa, e que contará com a participação de Jean-Paul Lainé, Presidente da Federação Mundial dos Trabalhadores Científicos, Frederico Carvalho, Membro da Presidência do CPPC e Ilda Figueiredo, Presidente da Direcção Nacional do CPPC.

    Esta iniciativa pública segue-se à Assembleia da Paz, que terá lugar durante a manhã, sob o lema " Não ao militarismo e à guerra! Pela Paz e o desarmamento!".

  • Assinalando o Dia Internacional da Paz, o CPPC em conjunto com outras organizações subscritoras da campanha em defesa da Paz "Não aos Exercícios Militares da NATO", efectuaram uma distribuição de documentos no interface de transportes públicos do Cais do Sodré em Lisboa.

    No local também foram recolhidas assinaturas para o abaixo assinado contra as manobras da NATO (http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT78172).

     

  • no centenario do nascimento de nelson mandela 1 20180722 2038751639

    Assinalando o centenário do nascimento de Nelson Mandela, que hoje se completa, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) recorda o combatente íntegro e corajoso pela libertação do seu povo do regime opressivo do apartheid e pela construção de uma África do Sul verdadeiramente democrática e inclusiva.

    Nelson Mandela, como Oliver Tambo, Walter Sisulu ou Joe Slovo, fez parte de uma geração que dedicou toda a sua vida e muitos anos da sua liberdade – 27, no caso de Mandela – pelo fim do odioso regime de segregação racial e opressão social que vigorou durante décadas na África do Sul. Nesse intenso e duro combate que durou toda a sua vida, Mandela e os seus companheiros foram capazes de organizar e mobilizar amplas camadas da população sul-africana para a intervenção política e social, a ousadia de enveredar pela luta armada quando tal se revelou indispensável e a coragem de dialogar com o inimigo quando era isso que melhor servia a sua causa e o seu povo.