Outras Notícias

Paz

  • Nobel da Paz 2017 Pela Abolição das Armas Nucleares

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) saúda a atribuição do Prémio Nobel da Paz à Campanha Internacional pela Abolição das Armas Nucleares (ICAN, na sigla em inglês) e considera que esta representa um incentivo à acção de todos quantos intervêm pela abolição das armas nucleares, pelo desarmamento, pela paz.

    Não esquecendo a controvérsia que rodeou a atribuição do Prémio Nobel da Paz noutros momentos, para o CPPC esta atribuição contribui para dar ainda mais força à legítima exigência e aspiração dos povos e do movimento da paz por um mundo livre de armas nucleares e, consequentemente, da ameaça do holocausto nuclear – exigência e aspiração que teve no Apelo de Estocolmo, promovido no início dos anos 50 pelo Conselho Mundial da Paz, a sua primeira e grande expressão ao nível mundial.

  • Nos 40 anos da Acta de Helsínquia, Sólido caminho para a Paz, para o futuro

    Em 1 de Agosto de 1975, representantes de 35 países (33 da Europa, mais os EUA e Canadá) subscreveram, em Helsínquia, a Acta Final da Conferência sobre Segurança e Cooperação na Europa, culminando um processo iniciado dois anos antes. Pela primeira vez na história, um tão elevado número de países convergiu em torno de um importante conjunto de princípios reguladores das relações internacionais, segurança colectiva e desenvolvimento de relações de cooperação entre os Estados, entre os quais se destacam matérias tão relevantes quanto: a igualdade soberana dos Estados; a não intervenção nas questões internas dos Estados; a resolução pacífica dos diferendos internacionais; o respeito pelos direitos humanos e liberdades fundamentais; ou a igualdade de direitos e a autodeterminação dos povos.

  • O Desporto e a Paz

    Realizou-se na Bibiloteca Municipal de Setúbal, uma conversa sobre "O desporto e a paz" , a propósito de Setúbal ser a " Capital Europeia do Desporto 2016".

    A iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Setúbal e do Conselho Português para a paz e Cooperação (CPPC), contou com a participação do vereador Pedro Pina, de Ilda Figueiredo e João Gordo Martins, da direcção do CPPC e do prof. João Lopes, especialista em desporto.

    No debate assinalou-se, de forma participada, a importância do desporto ao serviço do desenvolvimento e da paz, o que, como foi salientado, foi reconhecido pela própria ONU que, em 2013, criou o Dia Internacional do Desporto ao Serviço do Desenvolvimento e da PAZ, escolhendo o dia 6 de Abril, dia que se iniciou a primeira edição dos Jogos Olímpicos da era moderna no ano de 1896.

    Na conversa, vários presentes sublinharam a importância de escolas, autarquias e associações desportivas darem particular atenção a esta perspectiva do desporto ao serviço do desenvolvimento e da paz, integrando-a numa visão mais global de educação e cultura para a paz e pela paz, o que também será apresentado na iniciativa "Municípios pela Paz", que se irá realizar na Câmara Municipal do Seixal, no próximo dia 29 de outubro, a partir das 14,30, e para a qual estão a ser convidados todos os municípios do país.

  • O núcleo do Porto do CPPC realizou o segundo almoço da Paz

    O núcleo do Porto do CPPC realizou o segundo almoço da Paz em que participaram cerca de 50 pessoas. Neste momento de convívio,com musica, poesia, sorteio de uma pintura de Agostinho Santos, houve ainda uma singela homenagem a duas veteranas do núcleo ( Graciete Fernandes e Helena Gonzalez). Foram também recolhidas assinaturas do Apelo Contra as Armas Nucleares e Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC, deu informações sobre novas actividades previstas face ao contexto actual e as ameaças que persistem, apelando a um maior envolvimento de todos na luta pela Paz.

     

  • Palestina

     

    Nas Nações Unidas considera-se que o futuro da Palestina como estado independente está hoje mais ameaçado do que nunca. Isso mesmo foi demonstrado pelo coordenador especial da ONU para o processo de Paz no Médio Oriente, Nickolay Mladenov, na sessão do Conselho de Segurança do passado dia 23 de novembro. Na opinião deste responsável a comunidade internacional deve, pois, intervir mais ativamente para proteger o direito do povo palestino a um estado independente em conformidade com as resoluções já adotadas pela organização.

    De acordo com aquele coordenador especial da ONU, a colonização israelita de territórios palestinos ocupados não só prossegue sem entraves como é apoiada pelo poder de estado. Contra leis e decisões internacionais, o estado de Israel continua a fomentar a construção de colonatos na margem ocidental do rio Jordão insistindo, para tal, nas suas políticas de demolição de infraestruturas e confiscação de terras. Os palestinos tornam-se, assim, deslocados na sua própria terra.

    Com a construção de colonatos o Estado de Israel visa, segundo as Nações Unidas, expulsar os palestinos de vastas áreas de modo a alterar a demografia nos territórios ocupados, a favor dos israelitas.

  • Palestra "Ciência e a Paz"

  • Palestra sobre a Igualdade, os Direitos das Mulheres e a Paz

    Hoje, a presidente da Direcção Nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, participou, na Escola Secundária António Sérgio, em Vila Nova de Gaia, numa palestra, com cerca de 100 alunos e alunas, diversos professores e a Directora do agrupamento, sobre a igualdade, os direitos das mulheres e a Paz.

  • Parabéns Fidel!

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação felicita Fidel Castro no dia da comemoração do seu 90º aniversário.

    Ao longo da sua vida Fidel Castro tem sido um exemplo de um abnegado lutador pelos por importantes valores, como a Paz, a justiça, a amizade e cooperação entre os povos, a liberdade, a soberania, o progresso, a democracia, a cultura. Ao assinalarmos o seu aniversário comemoramos a defesa desses valores e todos os que neles se reconhecem e que por eles lutam.

    Afirmando que fazemos nossos os seus alertas sobre os perigos para a humanidade, com o risco de novas guerras, tomamos também o seu percurso de vida como um exemplo de luta comprometida com a defesa da Paz, única forma de garantir o futuro para a humanidade.

    13 de Agosto de 2016

    Direcção Nacional do CPPC

  • Participação numa Mesa redonda das Jornadas de Medicina Interna

    No passado fim de semana, a presidente da Direcção Nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, em representação, participou numa Mesa redonda das Jornadas de Medicina Interna promovidas pela Sociedade de Médicos de Medicina Interna, que decorreram em Viseu.

    Ilda Figueiredo abordou as causas e os responsáveis da situação dos refugiados e defendeu o cumprimento do Direito Internacional, da Carta das Nações Unidas e da Constituição da República Portuguesa, para pôr fim às guerras, defender a negociação política para a resolução dos conflitos, a solidariedade com os refugiados , a paz e o progresso da humanidade.

  • Pela Paz na Síria

    Pela Paz na Síria

    Fim à ingerência e à agressão

    Pelo respeito da soberania e independência da Síria

    Há mais de cinco anos que a Síria e o seu povo enfrentam uma cruel agressão, resultante da ingerência externa e da acção de terror de grupos de mercenários, financiados, treinados e armados pelos EUA, a França, o Reino Unido, Israel, a Turquia, a Arábia Saudita, o Qatar, entre outros países. Uma guerra de agressão que provocou centenas de milhares de mortos e feridos, milhões de deslocados e refugiados, a destruição de um país, com tudo o que significa para a vida dos trabalhadores e população em geral.

  • Pela salvaguarda dos direitos do povo sírio, da paz e da soberania Fim à agressão à Síria!

    É com profunda preocupação que o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) constata a intensificação da propaganda de guerra com que se tenta legitimar a continuação e, mesmo, o agravamento da agressão contra a República Árabe da Síria e o povo sírio, procurando abrir caminho à aceitação de que esta agressão se passe a realizar, agora, de uma forma abertamente directa.

    Após sete anos de uma ininterrupta e brutal agressão por parte de grupos terroristas – criados, armados, financiados e apoiados pelos EUA e outros países da Europa e do Médio Oriente, como o Reino Unido, a França, a Turquia, Israel, a Arábia Saudita, o Qatar ou a Jordânia –, o CPPC chama a atenção para a tentativa daqueles que, face à derrota dos seus grupos terroristas, procuram pretextos, a coberto de mentiras, para impor uma escalada na guerra e, consequentemente, mais morte e sofrimento ao povo sírio, a exemplo do que aconteceu noutros momentos e noutros países, como o Iraque e a Líbia.

  • Plenário: A importância da Luta pela Paz

  • Plenário: A importância da Luta pela Paz em Lagos

  • Plenário: A importância da Luta pela Paz em Olhão

  • Plenário: A importância da Luta pela Paz em São Brás de Alportel

  • Por Abril! Pela Paz!

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) saúda o 44.º aniversário da Revolução de Abril reafirmando o seu firme apego aos seus valores, realizações e exemplo. Afirmação soberana da vontade do povo, Abril representou a conquista da liberdade e da democracia, o fim da guerra colonial e a paz, uma economia ao serviço da melhoria das condições de vida do povo, a conquista e o usufruto de inúmeros direitos sociais, incluindo a elevação cultural da população, mas também o desenvolvimento de uma política de paz, amizade e cooperação com todos os povos do mundo.

  • Protocolo de Cooperação entre a Câmara Municipal de Évora e o CPPC

    A Câmara Municipal de Évora assinou um protocolo de cooperação com o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) no passado dia 16 de fevereiro, nos Paços do Concelho de Évora.
    O documento tem como principal finalidade definir o quadro de cooperação entre o Município e o CPPC em torno de projetos diversificados, nomeadamente na área da educação para a paz. Deste conjunto, destaca-se a realização de conferências e debates na defesa dos mencionados valores para a paz e cooperação entre os povos, promovendo também ações junto de escolas e associações.
    Cabe ao núcleo de Évora do CPPC realizar atividades na cidade e no concelho. O Município compromete-se a apoiar estas realizações nomeadamente em termos de comunicação e logística.
    Participaram na cerimónia de assinatura do protocolo o Presidente da Câmara de Évora Dr. Carlos Pinto Sá a Presidente do CPPC Ilda Figueiredo e, representando o Núcleo de Évora Abílio Fernandes, António Jara e Pedro Branco.

     

  • Reflexão sobre a Paz

    O CPPC assinalou o Dia Internacional da Paz, 21 de Setembro, na Biblioteca Municipal Ary dos Santos, em Sacavém (concelho de Loures), com uma conversa sobre a Paz, onde Gustavo Carneiro, da Direcção Nacional do CPPC, abordou o tema com uma plateia de estudantes e professores do ensino secundário.

    #internationaldayofpeace #diainternacionaldapaz

  • Reunião entre CPPC e o STAL

    Uma delegação do Conselho Português para a Paz e Cooperação composta por Ilda Figueiredo e Carlos Carvalho, reuniu, ontem, na sede do STAL - Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local, em Lisboa, com o seu presidente José Correia e os dirigentes Macário Dias e Fátima Amaral.

    Na reunião trocaram-se opiniões sobre a preocupante situação internacional e as ameaças à Paz bem como sobre a importância da luta dos trabalhadores pelo progresso social, a democracia e a paz.

    Decidiu-se intensificar a cooperação já existente, designadamente nas áreas da comunicação, da divulgação de tomadas de posição sobre temas comuns ao CPPC e ao STAL, sublinhando-se a vontade de aprofundar parcerias e iniciativas conjuntas, seja em torno do 40º aniversário da Constituição da República Portuguesa, seja da defesa da água pública ou da solidariedade internacional, entre outras.

     

     

  • Reunião Europeia dos Movimentos da Paz do Conselho Mundial da Paz

    CPPC participa em reunião europeia de movimentos da Paz

    Decorreu hoje, em Belgrado, na Sérvia, uma reunião europeia dos movimentos da Paz do Conselho Mundial da Paz. O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), coordenador para a região Europa desta organização internacional, convocou esta reunião, na qual se faz representar pela sua presidente, Ilda Figueiredo, e ainda por Filipe Ferreira, da Direcção Nacional.
    Em debate estiveram, entre outras questões, a definição de campanhas comuns em prol da paz, do desarmamento e da solidariedade com países e povos em luta contra o imperialismo. A exigência de dissolução da NATO, que este ano cumpre 65 anos, é uma dessas questões.