Outras Notícias

Paz

  • No passado fim de semana, a presidente da Direcção Nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, em representação, participou numa Mesa redonda das Jornadas de Medicina Interna promovidas pela Sociedade de Médicos de Medicina Interna, que decorreram em Viseu.

    Ilda Figueiredo abordou as causas e os responsáveis da situação dos refugiados e defendeu o cumprimento do Direito Internacional, da Carta das Nações Unidas e da Constituição da República Portuguesa, para pôr fim às guerras, defender a negociação política para a resolução dos conflitos, a solidariedade com os refugiados , a paz e o progresso da humanidade.

  • É com grande satisfação e esperança que as forças anti-imperialistas e da paz saúdam o mais recente evento da reaproximação entre os líderes coreanos, o Encontro de Alto Nível Coreano na Casa da Paz, em Panmunjom, em 27 de abril, que resultou em um consistente e auspicioso compromisso.

    "Não haverá mais guerra na Península Coreana e assim se inicia uma nova era de paz", afirma a declaração bilateral do encontro. Fica evidente que o desejo do povo coreano é a paz, a prosperidade partilhada e a unificação.

  • É com satisfação e expectativa que o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) acompanha os esforços, iniciativas e passos de aproximação entre a República Popular Democrática da Coreia e a República da Coreia, que teve nos acontecimentos do passado fim-de-semana um importante e significativo desenvolvimento.

    A «Declaração de Panmunjom para a paz, a prosperidade e a unificação da Península da Coreia», celebrada entre os líderes dos dois países – respectivamente Kim Jong-Un e Moon Jae-in – afirma o início de uma «nova era de paz» e que «não haverá mais guerra na Península da Coreia», a qual é, desde há 70 anos, uma das regiões mais militarizadas do mundo. Entre as intenções apontadas pelos representantes máximos das duas partes da Península da Coreia está a sua total desnuclearização.

  • Pela Paz na Síria

    Fim à ingerência e à agressão

    Pelo respeito da soberania e independência da Síria

    Há mais de cinco anos que a Síria e o seu povo enfrentam uma cruel agressão, resultante da ingerência externa e da acção de terror de grupos de mercenários, financiados, treinados e armados pelos EUA, a França, o Reino Unido, Israel, a Turquia, a Arábia Saudita, o Qatar, entre outros países. Uma guerra de agressão que provocou centenas de milhares de mortos e feridos, milhões de deslocados e refugiados, a destruição de um país, com tudo o que significa para a vida dos trabalhadores e população em geral.

  • É com profunda preocupação que o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) constata a intensificação da propaganda de guerra com que se tenta legitimar a continuação e, mesmo, o agravamento da agressão contra a República Árabe da Síria e o povo sírio, procurando abrir caminho à aceitação de que esta agressão se passe a realizar, agora, de uma forma abertamente directa.

    Após sete anos de uma ininterrupta e brutal agressão por parte de grupos terroristas – criados, armados, financiados e apoiados pelos EUA e outros países da Europa e do Médio Oriente, como o Reino Unido, a França, a Turquia, Israel, a Arábia Saudita, o Qatar ou a Jordânia –, o CPPC chama a atenção para a tentativa daqueles que, face à derrota dos seus grupos terroristas, procuram pretextos, a coberto de mentiras, para impor uma escalada na guerra e, consequentemente, mais morte e sofrimento ao povo sírio, a exemplo do que aconteceu noutros momentos e noutros países, como o Iraque e a Líbia.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) saúda o 44.º aniversário da Revolução de Abril reafirmando o seu firme apego aos seus valores, realizações e exemplo. Afirmação soberana da vontade do povo, Abril representou a conquista da liberdade e da democracia, o fim da guerra colonial e a paz, uma economia ao serviço da melhoria das condições de vida do povo, a conquista e o usufruto de inúmeros direitos sociais, incluindo a elevação cultural da população, mas também o desenvolvimento de uma política de paz, amizade e cooperação com todos os povos do mundo.

  •  protocolo de colaboracao com a camara municipal de loures 1 20180621 1912841287

    O CPPC e a Câmara Municipal de Loures assinam na próxima quinta-feira, 21 de Junho, um protocolo de colaboração. A cerimónia terá lugar às 17 horas no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, no Parque Adão Barata. Na ocasião será inaugurada uma exposição pela paz e a proibição das armas nucleares.

  • A Câmara Municipal de Évora assinou um protocolo de cooperação com o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) no passado dia 16 de fevereiro, nos Paços do Concelho de Évora.
    O documento tem como principal finalidade definir o quadro de cooperação entre o Município e o CPPC em torno de projetos diversificados, nomeadamente na área da educação para a paz. Deste conjunto, destaca-se a realização de conferências e debates na defesa dos mencionados valores para a paz e cooperação entre os povos, promovendo também ações junto de escolas e associações.
    Cabe ao núcleo de Évora do CPPC realizar atividades na cidade e no concelho. O Município compromete-se a apoiar estas realizações nomeadamente em termos de comunicação e logística.
    Participaram na cerimónia de assinatura do protocolo o Presidente da Câmara de Évora Dr. Carlos Pinto Sá a Presidente do CPPC Ilda Figueiredo e, representando o Núcleo de Évora Abílio Fernandes, António Jara e Pedro Branco.

     

  • O CPPC assinalou o Dia Internacional da Paz, 21 de Setembro, na Biblioteca Municipal Ary dos Santos, em Sacavém (concelho de Loures), com uma conversa sobre a Paz, onde Gustavo Carneiro, da Direcção Nacional do CPPC, abordou o tema com uma plateia de estudantes e professores do ensino secundário.

    #internationaldayofpeace #diainternacionaldapaz

  • Uma delegação do Conselho Português para a Paz e Cooperação composta por Ilda Figueiredo e Carlos Carvalho, reuniu, ontem, na sede do STAL - Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local, em Lisboa, com o seu presidente José Correia e os dirigentes Macário Dias e Fátima Amaral.

    Na reunião trocaram-se opiniões sobre a preocupante situação internacional e as ameaças à Paz bem como sobre a importância da luta dos trabalhadores pelo progresso social, a democracia e a paz.

    Decidiu-se intensificar a cooperação já existente, designadamente nas áreas da comunicação, da divulgação de tomadas de posição sobre temas comuns ao CPPC e ao STAL, sublinhando-se a vontade de aprofundar parcerias e iniciativas conjuntas, seja em torno do 40º aniversário da Constituição da República Portuguesa, seja da defesa da água pública ou da solidariedade internacional, entre outras.

     

     

  • CPPC participa em reunião europeia de movimentos da Paz

    Decorreu hoje, em Belgrado, na Sérvia, uma reunião europeia dos movimentos da Paz do Conselho Mundial da Paz. O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), coordenador para a região Europa desta organização internacional, convocou esta reunião, na qual se faz representar pela sua presidente, Ilda Figueiredo, e ainda por Filipe Ferreira, da Direcção Nacional.
    Em debate estiveram, entre outras questões, a definição de campanhas comuns em prol da paz, do desarmamento e da solidariedade com países e povos em luta contra o imperialismo. A exigência de dissolução da NATO, que este ano cumpre 65 anos, é uma dessas questões.

     

     

  •  

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação ( CPPC) participa nas iniciativas da Semana da Paz que a Junta da União das Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova vai realizar em torno do dia Internacional da Paz - 21 de Setembro.

    Nesta semana, será divulgada a exposição " Construir a Paz com os valores de Abril" e a presidente da direcção do CPPC participará numa numa palestra sobre a Paz.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação e a Câmara Municipal de Almada realizaram, no passado dia 19 de Março um Seminário Internacional sob o lema "A Actualidade da Luta pela Paz".

    A mesa do seminário, contou com a participação do Presidente da Câmara de Almada Joaquim Judas, da presidente do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, da Presidente da Direcção Nacional do CPPC Ilda Figueiredo e do moderador, Abílio Fernandes, da Presidência do CPPC.

  • A iniciativa, intitulada «65 anos de luta pela Paz – Desafios actuais», contou com a participação da presidente do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, a presidente da direcção do CPPC, Ilda Figueiredo, e do jornalista José Goulão.