Outras Notícias

Paz

  • A 21 de Setembro assinala-se o dia Internacional da Paz, declarado pela ONU, a 30 de Novembro de 1981, como o dia da não-violência e cessar fogo em todo o mundo, o dia em que, para além de se pensar ou falar em Paz entre os povos, deve-se agir em prol da Paz, enquanto factor indispensável ao progresso, ao desenvolvimento e justiça social.

    Num ano em que se intensificou o aumento de conflitos, bloqueios, ingerências externas, repressão contra povos e subversão do direito internacional, o Conselho Português para a Paz e Cooperação reafirma o seu empenho e o seu compromisso no reforço do movimento da Paz em Portugal, continuando a denunciar e a combater as crescentes injustiças e todas as formas de opressão dos povos, defendendo o cumprimento do artigo 7º da Constituição de Abril e o espírito da Carta da ONU.

    A Paz só é tangível quando todos os povos tiverem o direito ao bem estar, à alimentação, à água, à saúde, à habitação, à educação, ao trabalho, à cultura, ao lazer e à recreação, a um ambiente saudável, à liberdade, à soberania, à justiça e ao desenvolvimento económico, sendo estas condições essenciais a uma vida digna e estável. Assim, as populações devem exigir dos seus governos uma política de Paz, solidariedade e cooperação, em que sejam respeitados os direitos dos povos e as suas liberdades fundamentais, a igualdade entre os Estados e a soberania e independência dos países, apelando também a soluções pacíficas dos conflitos internacionais.

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação assinala este dia participando em diversas iniciativas, a começar a 20 de Setembro, com a realização de uma conversa sobre o dia Internacional da Paz e a inauguração da exposição “Construir a Paz com os valores de Abril” na Universidade Popular do Porto.
    Prossegue, de 21 a 28 de Setembro, na Junta da União das Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova, onde se realiza a Semana da Paz e será divulgada a exposição “Construir a Paz com os valores de Abril", que contará, no dia 21 de Setembro, às 17:00, na Junta de Freguesia de S. Pedro da Cova, com a participação da Presidente da Direcção do CPPC numa tertúlia sobre a Paz.

    Por fim, dia 22 de Setembro na Biblioteca Pública Municipal de Setúbal, pelas 21:00, será debatido o tema “A situação internacional e a luta pela Paz” também com a participação da Presidente da Direcção do CPPC.

    Direcção do CPPC

  • Comemora-se hoje o Dia Internacional da Paz, iniciativa lançada pelas Nações Unidas em 1981. Associando-se à comemoração deste dia, o Conselho Português para a Paz e Cooperação está ciente da sua importância e da absoluta necessidade de, no tempo em que vivemos, unir esforços e vontades para defender a Paz, intervir contra a guerra, a militarização das relações internacionais, a corrida aos armamentos, e pelo desarmamento, a dissolução dos blocos político-militares e relações internacionais baseadas na cooperação e na amizade entre os povos e no respeito pela soberania e independência dos Estados.

    A luta pela Paz ganha hoje redobrada actualidade dada a multiplicação de ingerências, agressões e conflitos, que estão a provocar a morte, o sofrimento e a destruição em muitos pontos do mundo, incluindo o maior número de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, na sua maioria provenientes precisamente dos países vítimas da guerra e agressão externas, como a Síria, o Iémen, a Líbia, o Iraque, o Afeganistão, a Ucrânia, a Palestina, entre outros.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação participará das comemorações do Dia Internacional da Paz, próxima 4ª feira 21 de Setembro, em Rio Maior.

     

  • dia internacional da paz soure 1 20180924 1223659261

    O CPPC participará pelas 15h00 do dia 21 de Setembro na Sessão Evocativa do Dia Internacional da Paz, que decorrerá no Salão Nobre dos Paços do Concelho em Soure.

    Nesta sessão, que se insere nas Festas de São Mateus, promovidas pelo município, e que contará com a presença do presidente da Câmara Municipal de Soure, Dr. Mário Jorge Nunes e da presidente da Direcção Nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, será inaugurada a exposição "Pela paz, pela segurança, pelo futuro da Humanidade!".

  • dia internacional da paz 21 de setembro 1 20190921 1244687860

    Neste 21 de Setembro, Dia Internacional da Paz, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) apela ao empenhamento e mobilização em defesa dos princípios inscritos na Carta das Nações Unidas e na Constituição da República Portuguesa, como a soberania e os direitos dos povos, a igualdade soberana dos estados, a solução pacífica e negociada dos conflitos internacionais, o não recurso à força ou à ameaça do recurso à força nas relações internacionais, o desarmamento geral, simultâneo e controlado.

    É na concretização destes princípios que será possível salvaguardar a paz e a segurança no mundo, hoje seriamente ameaçadas pela ação daqueles que afrontam, de forma clara, as normas de convivência pacífica entre os povos e os Estados alcançadas e estabelecidas no Direito Internacional após o final da Segunda Guerra Mundial. Cabe aos povos do mundo, através da sua mobilização, união e ação organizada, fazer com que os governos os implementem e defendam.

  • dia internacional da paz loures 1 20191001 1658283978

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) em parceria com o Município de Loures assinalaram o Dia Internacional da Paz, 21 de setembro, promovendo a exibição da exposição "Pela Paz, pelo futuro da humanidade, pela assinatura por parte de Portugal do tratado de proibição de Armas Nucleares”, no Museu de Cerâmica de Sacavém.

    No dia 21 de setembro, foi ainda hasteada, no museu, a bandeira do Movimento dos Municípios pela Paz, do qual Loures faz parte.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação participou nas comemorações do Dia Internacional da Paz em Rio Maior, no passado dia 21 de Setembro.

    Ao longo do dia várias iniciativas, envolvendo escolas, associações e artistas locais, assinalaram em diversos locais da cidade a efeméride.

    No cineteatro municipal foi inaugurada a exposição do CPPC “Construir a Paz com os Valores de Abril” que ficará patente ao público na Biblioteca Municipal de Rio Maior até o final do mês.

     

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) e a Câmara Municipal do Seixal assinalaram o Dia Internacional da Paz, 21 de Setembro, com uma acção de rua com a participação do grupo de percussão “Toca a Rufar”, junto à Baía do Seixal, seguida de uma sessão na Quinta da Fidalga dirigida por Maria José Cantarinha da direcção nacional e membro do núcleo local do CPPC.

    Na mesa estiveram ainda Joaquim Santos, Presidente da Câmara Municipal do Seixal e Gustavo Carneiro da direcção nacional do CPPC, cuja intervenção focou a actualidade e premência da luta pela Paz, no actual contexto de instabilidade internacional. Tema incontornável foram as anunciadas manobras da NATO, a realizar em Portugal, Espanha e Itália entre 3 de Outubro e o início de Novembro de 2015, envolvendo mais de 40 países e mais 25 mil efectivos, e a necessidade de, em coerência com a defesa da Paz e dos preceitos da Constituição da República Portuguesa, nomeadamente do seu artigo 7º, contestar activamente a realização destas manobras belicistas e exigir a disolução desse bloco politico-militar.

    O Presidente da Câmara Municipal do Seixal, evocou ainda a experiência de vários munícipios portugueses com a criação das Zonas Livres de Armas Nucleares (ZLAN), afirmando a disponibilidade do município para a participação em iniciativas semelhantes de defesa da Paz. Os 65 anos decorridos após a assinatura do Apelo de Estocolmo contra as armas nucleares e os 40 anos da Acta de Helsínquia, foram também temas abordados.

    No local esteve patente a exposição "Construir a Paz com os Valores de Abril", iniciativa do CPPC que teve o apoio da Câmara do Seixal e foram recolhidas assinaturas para o abaixo-assinado (http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT78172) contestando a realização das manobras da NATO, texto lançado por um conjunto de organizações portuguesas.

     

  • Realizou-se hoje, em Gondomar, cidade europeia do desporto, um conjunto de iniciativas com a participação de associações e escolas de seis municípios do país. Como referiram no final os presidentes das Câmaras Municipais do Seixal e de Gondomar e a presidente da direção do CPPC, centenas de crianças, jovens e adultos empenharam-se no promoção do Desporto Pela Paz, assinalando o Dia Internacional do Desporto ao Serviço do Desenvolvimento e da Paz, proclamado pela ONU há quatro anos e hoje comemorado pelo Movimento Municípios Pela Paz. A iniciativa terminou com a música de jovens da orquestra Geração D`ouro, de Gondomar, e as danças dos Pauliteiros de Malhadas, Miranda do Douro. Durante a tarde decorreram jogos, e uma caminhada pela paz que envolveu crianças, jovens e adultos de Gaia, Valongo, Gondomar, Seixal, Loures e Miranda do Douro.

  • dia internacional do desporto para o desenvolvimento e a paz 1 20190403 1841677140

    Convidamos todos a participar nas comemorações do Dia Internacional do Desporto para o Desenvolvimento e a Paz, que têm lugar no dia 6 de abril, a partir das 9 horas, no Pavilhão Municipal do Alto do Moinho, no Seixal.

    A iniciativa, realizada em parceria entre o Conselho Português para a Paz e Cooperação e a Câmara Municipal do Seixal, no âmbito do Movimento Municípios pela Paz, contempla um torneio de corfebol que será seguido do colóquio "O Desporto e a Paz", com a participação do presidente do Comité Olímpico de Portugal.

  • A propósito do Dia Mundial da Ciência para a Paz e o Desenvolvimento e da Semana Internacional da Ciência e da Paz, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) afirma a importância do desenvolvimento científico e tecnológico em prol do progresso social das Nações, também no sentido de se atingir a paz e a cooperação entre os povos, a sustentabilidade, a justiça e a dignidade.

  • debate paz e refugiados 1 20190524 2017168136

    No próximo dia 29 de Maio, pelas 18 horas, vai realizar-se um debate sobre Paz e Refugiados, na 3ª Bienal Internacional de Arte Gaia 2019, em Lever /GAIA, com a participação de Ilda Figueiredo - presidente da direção do Conselho Português para a Paz e Cooperação e curadora da exposição" Paz e Refugiados",
    José Goulão e Vitor Pinto Basto - jornalistas e membros da Presidência do CPPC.

  • direitos humanos e a paz 1 20190116 1505807167

    Tendo em conta o Apelo na defesa da Paz, as organizações e entidades promotoras do Encontro pela Paz que se realizou a 20 de Outubro, em Loures, convidam à participação e divulgação da sessão que vai decorrer no próximo dia 23 de Janeiro, pelas 18 horas, na Casa do Alentejo, sobre a Paz e os Direitos Humanos, no quadro do 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos do Homem.

    Num momento particularmente complexo como o que estamos a viver, a sua participação é particularmente importante para juntarmos as nossas vozes na defesa da paz e na denúncia das ameaças aos direitos e à dignidade humana, das ingerências e atropelos ao direito soberano e à independência dos povos pondo em causa a paz.

    Pela Paz, todos não somos demais.

  • Sim à Paz! Não aos Exercícios Militares da NATO!

    Participa e divulga!

    24 de Outubro - 15h - LISBOA

    Desfile

    Rua do Carmo até à Praça Luís de Camões

     

  • educacao para a paz vila nova de gaia 1 20190408 1575961353

    Em Vila Nova de Gaia, integrado no programa de Educação para a Paz, que o CPPC está a promover em colaboração com a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e as escolas que aderiram, professores e alunos organizaram trabalhos sobre a Paz que esta semana estão expostos nas sedes de alguns agrupamentos de escolas.

    No agrupamento de Escolas Soares dos Reis decorreu ontem, dia 3 de Abril, uma sessão pública com música e poesia que os alunos apresentaram e uma palestra em que interveio a diretora do agrupamento Maria Manuela Vieira Machado e a presidente da Direção Nacional do CPPC, Ilda Figueiredo.

    Nos trabalhos dos alunos, na música e na poesia, a defesa da paz são os denominadores comuns, contrapondo-os à guerra e às tragédias que provoca de destruição, sofrimento e morte. Ilda Figueiredo saudou estes importante contributos para a educação para a paz e para a construção de um mundo com justiça, progresso social e paz, a via necessária para garantir a possibilidade de serem felizes.

    Foram também distribuídos documentos do CPPC.

  • educac 1 20190410 1259323092

    Realizou-se um importante de bate orientado por Ilda Figueiredo, sobre o desarmamento nuclear, na Escola Secundária de Canelas, em que participaram cerca de 100 alunos, diversos professores e o director do Agrupamento de Escolas de Canelas, em Vila Nova de Gaia.

    Os alunos realizaram também um grande painel alusivo ao tema e na escola esteve também a exposição do CPPC sobre o perigo das armas nucleares e a exigência da assinatura e ratificação, por Portugal, do Tratado de Proibição das Armas Nucleares.

  • educacao para a paz viana do castelo 1 20200225 1510577561

    Realizou-se na Escola Frei Bartolomeu dos Mártires em Viana do Castelo uma participada sessão, orientada por Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC. Na iniciativa que contou com a participação de cerca de 100 alunos e diversos professores, sobre a paz e o desarmamento nuclear tendo por base a exposição do CPPC sobre o mesmo tema.

    Foram também abordadas propostas do CPPC no âmbito da educação para a paz, ilustradas com exemplos de trabalhos realizados noutras escolas, incluindo trabalhos plásticos, poesia, caminhadas pela paz e concertos pela paz. Foi anunciado o Concerto pela Paz, em Viana do Castelo, a 16 de maio e o próximo Encontro pela Paz, a 30 de maio, em Setúbal.

  •  educacao para a paz vila nova de gaia 2 20190510 1982145482

    Realizou-se hoje, na sede do Agrupamento de Escolas Sofia de Mello Breyner, em Arcozelo, Vila Nova de Gaia, um colóquio sobre a importância da Paz, em que participou Ilda Figueiredo em representação do CPPC.

    Durante o colóquio abordou-se sobretudo o significado dos aniversários da derrota do nazi-fascismo, com o fim da segunda Guerra Mundial, e da revolução do 25 de Abril de 1974. Mas também estiveram em debate as guerras mais recentes, designadamente no Médio Oriente, e a situação na Venezuela. Foi salientada a importância de se unirem vontades na defesa da liberdade, da democracia e da paz, respeitando sempre o direito soberano de cada povo escolher o seu caminho, como defende a Constituição da República Portuguesa e a Carta da ONU.

  • educacao para a paz na escola basica 2 e 3 ciclos de corroios seixal 1 20200212 1291660524

    No passado dia 7 de fevereiro 2020, o CPPC realizou uma sessão sobre a Paz na escola básica 2º e 3º ciclos em Corroios, por solicitação da Câmara Municipal do Seixal.

    Zulmira Ramos, da Direção do CPPC, dinamizou uma “Conversa sobre a Paz” para cerca de 12 alunos dos 10 aos 16 anos, tendo sublinhado que, para além da ausência de ações beligerantes e de confrontos armados, a ausência de desigualdades económicas, sociais, culturais e políticas é uma condição fundamental na construção da Paz. Focou também o nível das despesas militares, contrapondo a esta perigosa corrida armamentista a absoluta necessidade de construir escolas, hospitais e habitações em países que estão em extrema pobreza. Referiu as consequências das guerras, com milhões de mortes, estropiados e refugiados, incitando à participação cívica e à solidariedade e amizade entre todos, desde logo no ambiente escolar.

    Os alunos participaram, ao longo da exposição, com dúvidas e apreciações.

  • encontro cosi cppc 1 20191001 1989777787

    No dia 4 de Setembro, o CPPC recebeu, na Casa da Paz, Carolus Wimmer, presidente do COSI - Comité de Solidariedade Internacional e Defesa da Paz, da Venezuela. No encontro entre as duas delegações foram abordados os problemas que o povo da República Bolivariana da Venezuela está a enfrentar, tendo em conta o criminoso bloqueio económico e financeiro que EUA e seus aliados, incluindo a União Europeia, mantêm à Venezuela. Foi reafirmado pelo CPPC a continuação da solidariedade e empenhamento na defesa do direito soberano da Venezuela escolher o seu caminho de progresso e paz e o prosseguimento da exigência junto das autoridades portuguesas da defesa dos princípios consignados no artigo 7º da Constituição da República Portuguesa. Foram também abordadas linhas de trabalho futuro e de cooperação entre COSI e CPPC.