Outras Notícias

Porto

  • concerto pela paz porto 2019 7 20190110 1027713117

    Foi o magnifico Concerto pela Paz que decorreu no Teatro Rivoli, no Porto, na tarde do passado dia 5 de Janeiro, organizado pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, com o apoio da Câmara Municipal do Porto, do Teatro Rivoli e das várias organizações e artistas que solidariamente aceitaram participar, em defesa da Paz, dizendo não às agressões e violências que põem em causa o direito dos povos à felicidade e à Paz.

    Cerca de 700 pessoas ouviram a música da Orquestra Juvenil de Bonjóia, o Bando dos Gambozinos, o Balleteatro, o quarteto de saxofones da Academia de Música de Costa Cabral e o quarteto “Room 204” da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto. A apresentação incluindo a apresentação de poesia foi de Clara Godin e João Tarrafa.

  • O CPPC promove a 18 de Fevereiro, a partir das 16, no Teatro Municipal Rivoli, no Porto, mais um concerto pela Paz. Participam Miguel Araújo, Ginasiano Escola de Dança, Coral de Letras da Universidade do Porto, Conservatório de Música do Porto e Bando dos Gambozinos.

  • Foi magnífico o Concerto pela Paz que esgotou o Teatro Rivoli, no Porto, no passado dia 7 de Janeiro. Promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), teve o apoio da Câmara Municipal do Porto e o empenhamento e participação de diversas organizações e cerca de 200 artistas, desde as crianças e jovens do Bando dos Gambozinos, da Orquestra Juvenil de Bonjóia, da Orquestra de Jazz do Conservatório de Música do Porto e do Balleteatro, até ao Grupo Uma Vontade de Música, ao Coral de Letras da Universidade do Porto, acompanhado ao piano por Fausto Neves, culminando com Pedro Abrunhosa e seus músicos.
    No átrio do Rivoli esteve patente uma exposição de belos poemas de crianças e jovens de escolas do Porto que trabalharam em torno da Paz e ali puderam ser apreciados por cerca de mil pessoas que assistiram ou participaram no Concerto pela Paz.
    Este foi o segundo Concerto pela Paz que o CPPC organizou no Rivoli com apoio da Câmara Municipal do Porto, com quem existe um protocolo de colaboração, e o empenhamento solidário de centenas de activistas da Paz, com destaque para associações, artistas, escolas, professores, técnicos municipais e outros. Como foi referido por Ilda Figueiredo, presidente da direcção do CPPC, na apresentação do Concerto, «esperamos que para o ano haja mais».
    Ali foi referido que a participação no Concerto pela Paz é uma maneira de assinalar, a muitas vozes, a nossa indignação face às guerras de agressão e expressar, a muitas vozes também, a nossa solidariedade com os povos vítimas do colonialismo, de actos de ingerência externa e de conflitos armados, de injustiças e desigualdades sociais, da opressão, dos desrespeito da sua soberania e independência nacionais. E de dizermos, todos, Paz sim, guerra não!

    Vídeo disponível em https://youtu.be/3hNzsSVwXR8

    (fotos de Egídio Santos, a quem agradecemos)

  • Decorreu, no passado dia 20 de Abril, a Conferência sobre o Holocausto e a II Guerra Mundial, que o CPPC realizou em colaboração com o diretor da Escola Secundária Alexandre Herculano, no Porto, no âmbito do protocolo existente com a CMP, tendo a participação do professor universitário Manuel Loff, da presidente da direcção do CPPC, Ilda Figueiredo, e do diretor do agrupamento de escolas, Manuel Lima.

  • Convite
    A paz, a arte e os artistas

    O núcleo do Porto do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) convida-o/a para uma exposição de pintura, que integra obras de artistas que solidariamente colaboram connosco, visando apoiar ações e atividades na defesa e promoção da Paz.

  • Agradecemos que participe e divulgue esta iniciativa do CPPC, no Porto, na próxima segunda-feira, dia 21 de Julho - 18 horas, no Clube dos Fenianos Portuenses.

    A seguir à abertura da exposição, teremos uma palestra sobre a situação internacional, com destaque para Ucrânia e Palestina.

    Entretanto, um pouco antes da iniciativa acima referida, pelas 17,30 horas, em frente à estação do metro da Trindade, iremos distribuir à população documentos de solidariedade com a população da Palestina, vítima dos massacres do governo de Israel, iniciativa para a qual também o/a convidamos.

    Participe!

     

  • CPPC assinala 70 anos da vitória sobre o nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial com um conjunto de iniciativas

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) evoca com um vasto conjunto de iniciativas o 70.º aniversário da vitória sobre o nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial, que se assinala na Europa nos dias 8 e 9 de Maio:

    • No dia 8, contacto com a população, com distribuição de documentos, em Lisboa, às 16 horas na Cidade Universitária;

    • No dia 9, às 11H30, contacto com a população do Porto, na Via Catarina;

    • No dia 9, em Setúbal, o CPPC promove, juntamente com outras organizações e movimentos, um cordão humano na Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, às 11 horas, e um debate público sobre o tema na Sociedade Musical Capricho Setubalense, com início marcado para as 15h30;

    • Ao mesmo tempo, o membro da Direcção Nacional do CPPC, Filipe Ferreira, integra uma delegação do Conselho Mundial da Paz que participa, entre 6 e 9 de Maio, nas comemorações dos 70 anos da vitória sobre o nazi-fascismo em Moscovo, na Rússia;

    . No dia 13 de Maio, a Presidente da Direcção Nacional do CPPC participa, em Bruxelas, a convite do Grupo da Esquerda Unitária Europeia / Esquerda verde Nórdica no Parlamento Europeu (GUE/NGL), na Conferência sobre “70 anos da Vitória sobre o Nazi-Fascismo- Unidade na luta pela paz e contra o Fascismo e a Guerra”.

    • No dia 16, às 14h30, o CPPC promove uma conferência intitulada «Nos 70 anos da derrota do nazi-fascismo: Celebrar a vitória, defender a Paz», no Centro de Informação Urbana de Lisboa (Picoas Plaza – Rua Viriato 13, Núcleo 6,1.º), que conta com a participação da presidente e do vice-presidente do CPPC, Ilda Figueiredo e Rui Namorado Rosa, e os representantes dos movimentos da Paz da Bélgica e da Irlanda, Mario Frassen e Roger Cole; na ocasião, será inaugurada a exposição do CPPC, com o mesmo título;

    • No dia 29, terá lugar uma conferência no Porto, seguida da inauguração da exposição. O local e a hora serão revelados mais tarde.

    Com estas iniciativas, o CPPC pretende levar mais longe os valores da paz, da cooperação e da solidariedade e alargar o campo dos que defendem o desarmamento, o fim das bases militares estrangeiras e a dissolução dos blocos político-militares e reconhecem o direito inalienável dos povos a decidirem soberanamente dos seus destinos.

    O CPPC procurará fazer deste aniversário um momento particular de reflexão sobre as causas da guerra e os interesses que lhe estão subjacentes, para, dessa forma, contribuir para promover a paz e evitar que semelhante tragédia volte a acontecer.

  • Integrado nas acções que assinalaram o Dia Internacional da Paz, o CPPC e a UPP inauguraram, no Porto, no dia 20 de Setembro a exposição " Construir a Paz com os valores de Abril". Seguiu-se um animado debate sobre a situação internacional, com dezenas de pessoas, tendo-se registado diversas intervenções que alertaram para os perigos existentes nesta fase de intensificação das agressões imperialistas dos EUA, da NATO e de diversos países da União Europeia. O Debate foi coordenado por Joana Espain Oliveira do Núcleo do Porto do CPPC e que contou com a participação de Sérgio Vinagre, médico e director da Universidade Popular do Porto e Ilda Figueiredo, presidente da direção do CPPC.

    No final, houve um convívio , depois do apelo feito a que haja mais aderentes nesta luta pela paz, pois todos não somos demais!

     

  • O CPPC promoveu, no Porto, no dia 9 de Novembro, no Clube dos Fenianos Portuenses, um debate bastante participado, inserido na campanha que está a desenvolver pela assinatura por parte de Portugal do Tratado de Proibição de Armas Nucleares.

    Participaram: Ilda Figueiredo, presidente da direcção do CPPC; o jornalista Alfredo Maia e o escultor e Professor da FBAUP Norberto Jorge.

    Ali se informou das iniciativas que o CPPC tem em curso, foram recolhidas dezenas de assinaturas para a petição tendo-se também registado novas adesões ao CPPC e mobilizado novos amigos e aderentes para a participação nesta campanha.

    Pode também subscrever a petição em: http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=nao-armas-nucleares

  • debate no porto pela paz todos nao somos demais 1 20180926 2022157942

  •  debate no porto pela paz todos nao somos demais 1 20181008 1445566132

  • O CPPC promove, no dia 9 às 18h00, no Clube dos Fenianos Portuenses, um debate inserida na campanha que está a desenvolver pela assinatura por parte de Portugal do Tratado de Proibição de Armas Nucleares. Participam Ilda Figueiredo, presidente da direcção do CPPC; o jornalista Alfredo Maia e o escultor Norberto Jorge.

    No âmbito desta campanha, o CPPC lançou uma petição, que pode ser subscrita aqui: http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=nao-armas-nucleares

     

  •  coloquio desporto ao servico do desenvolvimento porto 1 20190422 1749420658

    O CPPC estará representado pela Presidente da Direcção Nacional, Ilda Figueiredo, no colóquio "Desporto ao Serviço do Desenvolvimento e da Paz", que se realizará no Anfiteatro Nobre da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, no próximo dia 24 de Abril, pelas 14h30.

  • es antonio nobre porto 1 20181203 1376817178

    Realizou-se um debate na Escola Secundária António Nobre, no Porto, em que participaram dezenas de alunos e professores, tendo por base as duas exposições do CPPC que a Biblioteca da ES apresentou sobre as duas grandes guerras mundiais no século XX. Estas iniciativas têm o apoio da Câmara Municipal do Porto, através do seu Pelouro da Educação. Na palestra intervieram, em nome do CPPC, Ilda Figueiredo, presidente da direcção do CPPC e Daniel Vieira com mestrado na área da história e igualmente membro do CPPC, que se referiram às causas e consequências das referidas guerras, designadamente em Portugal, e salientaram a importância da defesa da Paz, incluindo na actualidade. No debate vivo que se seguiu com os alunos, foi também salientada a importância do desenvolvimento de um espírito crítico para que se possa compreender melhor a situação actual e defender a paz perante uma ideologia dominante que faz a apologia do reforço do armamento e da guerra. Foram salientados os princípios e os valores que a Constituição da República Portuguesa defende, designadamente no seu artigo 7º.