Outras Notícias

Porto

  • O Núcleo do Porto do CPPC vai realizar a quarta edição do Paz em Ciclo - cinema e debate

     

  • Realizou-se ontem, no Porto, a segunda sessão do "Paz em Ciclo 4" - ciclo de cinema e debates, com o filme "Alemanha, Ano Zero", de Roberto Rossellini. Após o filme houve um momento de debate com Jorge Ribeiro, jornalista e escritor, Joaquim Mesquita, membro da Direcção Nacional do CPPC e Ilda Figueiredo, Presidente da Direcção Nacional.

     

  • No próximo dia 26 de Junho - 16h30 no Círculo Católico de Operários do Porto - Rua Duque de Loulé, 202 - Porto, teremos o fime:

    Feliz Natal - Christian Carion

    Feliz Natal (Francês: Joyeux Noël) é um filme de 2005 sobre a trégua da Primeira Guerra Mundial, em dezembro de 1914, retratada através dos olhos de soldados franceses, escoceses e alemães.

    O filme foi nomeado para Melhor Filme Estrangeiro no 78.º Academy Awards.

    No final haverá um debate e um convívio.

    Participe. Entrada livre

  • Decorreu ontem, dia 27, mais uma sessão do “Paz em Ciclo II”, ciclo de cinema e debates, organizado pelo núcleo do Porto do CPPC. “Horizontes de Glória”, de Stanley Kubrick, foi o filme desta sessão, e o debate que se seguiu contou com a participação do coronel David Martelo e de Ilda Figueiredo.

     

  • O núcleo do Porto do CPPC realizou mais uma iniciativa da terceira série de " Paz em ciclo", em que participaram mais de meia centena de pessoas. Desta vez foi exibido o filme " Bom povo português" de Rui Simões.

    No final, decorreu um animado debate, aberto por Ilda Figueiredo, presidente da direcção do CPPC, e Maria José Ribeiro da URAP. durante o debate, não só foram questionados aspectos do polémico filme como, sobretudo, foi debatida a repressão do fascismo, a guerra colonial, a exploração dos trabalhadores, mas também a luta contra a exploração, a repressão e a guerra, na defesa da paz, da liberdade, do progresso social. Igualmente, foram assinalados aspectos centrais das conquistas de Abril, incluindo o fim do colonialismo e a Constituição da República Portuguesa, e os retrocessos das sucessivas políticas de direita, com especial atenção para a situação actual. O caminho da luta e a firme decisão de continuar a defender os valores de Abril foram aspectos centrais desta iniciativa.

    No dia 11 de Maio continuará a III série de " Paz em ciclo", com o filme " Intervenção divina " sobre a Palestina, a que se seguirá um debate.
     
  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação concluiu, no Porto, no passado dia 26 de Junho, a 5ª edição do “Paz em Ciclo” com mais um filme e um debate.
    Desta vez, o último filme foi “Feliz Natal”, sobre a 1ª Guerra Mundial de 1914 a 1918, ou a Grande Guerra como ficou conhecida na linguagem popular, devido à devastação e morte de muitos milhões de soldados e civis, trazendo consigo o abismo e o desespero provocado por um conflito que penetrava como uma faca na civilização europeia, como referiu, no debate que se seguiu, o activista do CPPC, Alexandre Silva, que acrescentou: “ Foi um conflito que se caracterizou, desde o seu começo, como uma longa, esgotante e perturbadora guerra de posição, tendo as trincheiras como cenário principal, que mobilizou milhões de pessoas, simples moradores das cidades e aldeias, camponeses e intelectuais. escritores David Jones, Rupert Brooke, Isaac Rosenberg tendo este morrido na batalha, deixando-nos textos incríveis sobre as trincheiras, e tantos outros, sem esquecer o mais famoso intelectual que sobreviveu às trincheiras, Bertolt Brecht.”

  • Solidário com os objectivos do Dia Nacional de Luta convocado pela CGTP-IN com o lema “Unidos para valorizar o trabalho e os trabalhadores”, em defesa da soberania, da justiça e do progresso social, o Conselho Português para a Paz e Cooperação participará, e convida todos a participar, nas manifestações convocadas para Lisboa e Porto no próximo dia 3 de Junho.

    O ponto de encontro para os amigos que queiram participar com o CPPC será:

    -Em Lisboa pelas 15h no Parque Eduardo VII, junto ao Marquês de Pombal e da Rua Joaquim antónio de Aguiar.

    -No Porto pelas 15h junto à sede da Junta de Freguesia do Bonfim.

  • PORTO

    Pela Paz! Não à Agressão à Síria!

    20 de Setembro - 17,30

    Praça da Liberdade

    junto à igreja dos Congregados

  • pelo fim das armas nucleares hibakusha visitou a cidade do porto 1 20181202 2059421651

    No âmbito das comemorações dos 40 anos da geminação com a cidade de Nagasaki, a cidade do Porto acolheu em outubro Seiichiro Mise, sobrevivente à bomba atómica (hibakusha) largada sobre a cidade japonesa de Nagasaki no final da II Guerra Mundial, que tem viajado por todo o mundo a bordo do ‘Peace Boat’ para advogar a erradicação de armamento nuclear à escala global.

    As comemorações integraram também a exposição ‘Bomba Atómica - Hiroxima e Nagasaki’, organizada pelo Nagasaki National Peace Memorial Hall for the Atomic Bomb Victims, composta por painéis fotográficos, relatos escritos de sobreviventes dos bombardeamentos atómicos e uma maqueta exemplificativa do que é uma bomba atómica, que esteve patente ao público na Câmara Municipal do Porto.

    Algumas instituições de ensino tiveram a oportunidade de receber Seiichiro Mise que partilhou o seu testemunho e o CPPC esteve com ele na escola Carolina Michaëlis. A sessão contou ainda com a exposições de desenhos alusivos à Paz realizados por alunos e com a exposição contra as armas nucleares produzida pelo CPPC.

    Na sessão esteve presente Ilda Figueiredo que convidou Seiichiro Mise a assinar, simbolicamente, a petição a favor da assinatura do tratado de proibição de armas nucleares.
    #hibakusha #peaceboat #porto #armas_nucleares #paz

  • No passado dia 1 de Fevereiro, activistas do Núcleo do Porto do CPPC, participaram no Dia Nacional de Luta convocado pela CGTP-IN. Durante a manifestação foram distribuídos centenas de Notícias da Paz.

  • Participa com o CPPC nos desfiles de comemoração do 1º de Maio convocados pela CGTP-IN.

    Coimbra
    Praça da República, 28 (junto à Delegação do Sindicato dos Professores da Região Centro), pelas 14h00

    Lisboa
    Martim Moniz junto ao Centro Comercial Mouraria, pelas 14h30.

    Porto
    Avenida dos Aliados (junto à Agência Abreu), pelas 15h00

  •  
    Decorreu ontem no Clube dos Fenianos Portuenses, no Porto, uma sessão comemorativa da aprovação da Constituição da República Portuguesa. Esta iniciativa contou com a participação de Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC, Avelino Gonçalves, deputado constituinte pelo PCP, Adelino Teixeira de Carvalho, deputado constituinte pelo PS, Coronel David Martelo, militar de Abril, César Príncipe, jornalista e escritor e Joaquim Mesquita, membro da DN do CPPC e dirigente da CGTP e da LOC.

    No dia em que se celebrou o 38º aniversário da Constituição da República Portuguesa e a poucos dias de comemorar os 40 anos do 25 de Abril, cerca de cinquenta pessoas estiveram presentes nesta sessão, integrada na campanha “Construir a Paz com os Valores de Abril”, que o CPPC está a desenvolver como forma de celebrar o 40º aniversário do 25 de Abril. Os convidados e participantes no debate alertaram para os ataques que têm sido feitos à Constituição e aos direitos que o povo português conquistou no 25 de Abril, convergindo no objectivo de unir forças para continuar a valorizar e a defender a Constituição e as demais conquistas de Abril.
    — em Porto
  • Lê o folheto: http://issuu.com/sim_a_paz/docs/folheto_fv

     

  • Esta segunda-feira, no Porto, largas dezenas de activistas da Paz, participaram numa iniciativa pública que denunciou os exercícios militares da NATO que estão a decorrer em Portugal, Espanha e Itália até ao próximo dia 6 de Novembro.

    As intervenções de Tiago Oliveira (USP/CGTP), de Olga Dias( MDM) e Ilda Figueiredo (CPPC) repudiaram a realização dos exercícios militares da NATO, a participação das forças portuguesas em agressões militares da NATO a outros povos, afirmando ser urgente a dissolução da NATO, o fim das armas nucleares e de extermínio em massa, o fim das bases militares estrangeiras, defendendo o desarmamento geral e controlado e exigindo o respeito pela Constituição da República e da Carta das Nações Unidas. Distribuiram-se cerca de mil documentos "Sim à Paz, Não aos exercícios militares da NATO"