Considerando que o Tratado Internacional de Não Proliferação de armas nucleares (TNP) advoga o fim das armas nucleares pelos estados detentores dessas armas e o desencorajamento de que estados não nucleares as obtenham ou desenvolvam;

Considerando que a Assembleia Geral das Nações Unidas, convocou uma Conferência para Helsínquia, Finlândia, a ter lugar em Dezembro de 2012, com o objectivo de estabelecer uma ZLAN no Médio Oriente (M.O.).

Considerando que outras regiões do mundo, incluindo a América Latina e África, foram já reconhecidas como ZLAN.

Tendo ainda em conta que o aumento da presença militar norte-americana na região tem aumentado as tensões no M.O., ameaçando assim a paz e a segurança de todas as nações da região e do mundo;

Considerando que o estabelecimento de um ZLAN, sob a supervisão da Agência Internacional de Energia Atómica, eliminaria o processamento, refinação, fabrico e posse de todas as armas nucleares no M.O.;

A Assembleia do Conselho Mundial da Paz, exige a abolição de todas as armas nucleares existentes na região, e o reconhecimento desta como ZLAN, ao mesmo tempo que condenamos os planos de guerra imperialistas para esta região seja utilizando armas nucleares ou convencionais, empregues a partir de terra do mar ou do ar.

A Assembleia do Conselho Mundial da Paz
22 de Julho de 2012, Katmandu, Nepal