Outras Notícias

Conselho Mundial da Paz exige a libertação dos “5 Cubanos” detidos nos EUA

Conselho Mundial da Paz exige a 
libertação dos “5 Cubanos” detidos nos EUA
 
O Conselho Mundial da Paz (CMP) faz sua a voz dos milhões de pessoas que por todo o mundo exigem a libertação dos restantes 4 presos políticos cubanos detido nas prisões norte-americanas. 
Há 15 anos acusações falsas e arbitrárias, dos EUA e suas forças de segurança, levaram os 5 patriotas cubanos a uma prisão desumana, privando-os frequentemente até de visitas das suas famílias. 
 
O CMP exige a imediata e incondicional libertação de Ramón, Gerardo, Fernando e Antonio, vítimas de actos de vingança da administração norte-americana, que há mais de 50 anos, não consegue aceitar, o facto do povo cubano ter escolhido um caminho de desenvolvimento diferente, o da revolução. 
 
A detenção e aprisionamento dos “5 Cubanos” em 1998, e de 4 deles, até os dias de hoje, tem motivos puramente políticos e ideológicos. Constitui ainda um acto cínico e hipócrita, uma vez que a administração norte-americana está, alegadamente, a desenvolver uma “guerra contra o terrorismo”, ao mesmo tempo que aloja e dá cobertura a grupos terroristas em Miami que foram denunciados pelos “5 Cubanos”. 
 
O CMP expressa a sua solidariedade para com os 5 heróis cubanos, às suas famílias e ao povo cubano. O CMP está de forma resoluta ao lado de Cuba Socialista, da sua Revolução e da sua liderança.
 
Liberdade para os 5 Cubanos – Solidariedade com Cuba Socialista 
 
12 de Setembro de 2013
 
O Secretariado do CMP


 

É preciso impedir a agressão imperialista à Síria

A Síria, com mais de dez mil anos de civilização, berço do alfabeto mais antigo, com sua capital Damasco, uma das cidades mais antigas do mundo, está prestes a ser atacada militarmente pela potência bélica mais poderosa, letal e sem escrúpulos que a humanidade já conheceu.
 
Por Socorro Gomes, presidente do Conselho Mundial da Paz
 
Há mais de dois anos, os Estados Unidos, o Reino Unido, a França, o regime sionista de Israel, as monarquias reacionárias do Oriente Médio e a Turquia sustentam com armas e dinheiro os mercenários, terroristas que sob o apelido de rebeldes, fizeram das ruas e cidades sírias um palco de destruição e morte. Hospitais, escolas, bairros residenciais, igrejas, mesquitas, infraestruturas do Estado, são atacados sistematicamente criando o caos e o terror entre a população.
Ler mais...

Tomada de posição do Conselho Mundial da Paz sobre a nova agressão israelita contra a Faixa de Gaza

O Conselho Mundial da Paz denuncia a agressão do governo e do exército de Israel contra a população palestiniana na Faixa de Gaza.
 
Num breve período de tempo, centenas de alvos, principalmente civis, foram atingidos pelo exército israelita, causando morte e destruição junto do povo palestiniano.
 
A história dos crimes contra a humanidade cometidos por Israel está cheia de ataques semelhantes.
 
Ninguém pode realmente acreditar que Israel retirou desta parte da Palestina, especialmente quando a máquina militar de Israel se prepara para uma nova invasão da Faixa de Gaza.

Ler mais...

CMP lançou "Um apelo para a abolição de todas as armas nucleares!"

O Conselho Mundial da Paz (CMP), de que o CPPC é membro do Secretariado, lançou "Um apelo para a abolição de todas as armas nucleares!" que divulgamos abaixo.

"68º Aniversário do bombardeamento de Hiroxima e Nagasaki:

Um apelo para a abolição de todas as armas nucleares!

Declaração do Conselho Mundial da Paz

1 de Agosto de 2013

Há 68 anos, em 6 e 9 de Agosto de 1945, os Estados Unidos lançaram bombas atómicas sobre as cidades japonesas de Hiroxima e Nagasaki, matando mais de 200.000 civis inocentes. Os efeitos devastadores deste hediondo acto permanecem até aos dias de hoje. Quase sete décadas depois, o governo dos EUA ainda recusa aceitar a natureza criminosa deste acto e recompensar as suas vítimas.

Ler mais...

Resolução de solidariedade com Cuba socialista aprovada na Assembleia Mundial da Paz.

A Assembleia do CMP, ocorrida em Katmandu, Nepal, reafirma a sua profunda solidariedade com Cuba Socialista, com o seu povo e a sua revolução.

Os delegados à Assembleia condenam o criminoso embargo económico imposto pelos EUA contra Cuba, cujo objectivo é punir o povo cubano por defender as suas conquistas e o direito a decidirem de forma soberana o seu futuro.

O CMP expressa o seu apoio e exige a libertação dos cinco prisioneiros políticos cubanos das prisões norte-americanas, encarcerados injustamente. Denunciamos, também, a “Posição Comum” da União Europeia, cujo objectivo é a ingerência nos assuntos internos de Cuba.

A Assembleia do CMP condena, uma vez mais, os EUA pela manutenção da base militar de Guantánamo, em solo cubano e exige o encerramento do campo de concentração aí existente e o desmantelamento de toda a base militar.

A Assembleia do Conselho Mundial da Paz
22 de Julho de 2012, Katmandu, Nepal