Liberdade para os patriotas cubanos
Há 15 anos injusta e desumanamente presos nos EUA
 
O Conselho Português para a Paz e Cooperação associa-se aos cidadãos de todo o Mundo que hoje, dia 12 de Setembro de 2013, fazem questão de não deixar esquecer a enorme injustiça e sacrifício imposto aos cinco heróis cubanos presos nos Estados Unidos da América, ao longo dos últimos 15 anos.
 
Estes 5 patriotas cubanos, acusados de “conspiração por cometer espionagem”, condenados a penas que vão de 15 anos de prisão até duas prisões perpétuas, encontravam-se nos EUA a investigar uma rede terrorista que executava ataques contra a população cubana, a partir do território daquele país.
 
Desde 1959, ano da vitoriosa Revolução Cubana, que os EUA têm utilizado todos os meios para vergar Cuba, em particular pela desumanidade dos efeitos do seu apoio às redes terroristas responsáveis pelos ataques dos quais resultaram inúmeros mortos e do bloqueio económico com procura punir e chantagear o povo cubano. Para além das frequentes denúncias de envolvimento da CIA em tentativas de assassinato de líderes políticos e das fortes e bem orquestradas campanhas de desinformação visando desacreditar e denegrir a Revolução cubana.
 
É neste contexto que os EUA, através dum julgamento destinado à partida a punir estes cinco patriotas, exibem todo o seu ódio e preconceito contra o povo cubano e sua Revolução.
 
São cinco os heróis cubanos: Gerardo Hernández, António Guerrero, Ramón Labañino, Fernando González e René González.
 
René González já cumpriu a sua pena e hoje encontra-se em liberdade. Os outros quatro patriotas cubanos continuam nas prisões dos EUA.
 
Exigir do Governo dos Estados Unidos a imediata e incondicional libertação destes heróis anti-terroristas cubanos, condenados por um verdadeiro tribunal de excepção, determinado a castigar apesar da fragilidade da acusação, em flagrante desrespeito das mais elementares regras do direito, universalmente aceites, é um imperativo de consciência de que o Conselho Português para a Paz e Cooperação não abdica, por motivos humanitários, éticos, políticos e de compromisso com a Paz.
 
Nesse sentido, o CPPC apela à solidariedade de todos os cidadãos, para que se manifestem por todos os meios ao seu alcance pela libertação imediata dos quatro patriotas cubanos ainda nas prisões dos EUA e participem na Concentração, convocada para o dia 12 de Setembro, no Largo do Camões.
 
12 de Setembro de 2013
 
Conselho Português para a Paz e Cooperação