Outras Notícias

Colóquio: A Venezuela no quadro Mundial

O presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos,
e a presidente da direção nacional do Conselho Português para a Paz
e Cooperação, Ilda Figueiredo, convidam-no(a) a assistir ao colóquio
A Venezuela no Quadro Mundial, que se realiza no dia 27 de novembro, sexta-feira, às 18.30 horas, no Auditório dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal.


PROGRAMA

18.30 horas
Sessão de abertura e boas-vindas


18.45 horas
Momento de poesia de autores sul-americanos

19 horas
A Venezuela no Quadro Mundial
Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal do Seixal
Lucas Enrique Rincón Romero, embaixador da República Bolivariana
da Venezuela em Portugal
Ilda Figueiredo, presidente da direção nacional do Conselho Português
para a Paz e Cooperação

20 horas
Debate

20.30 horas
Encerramento

 

205º aniversário do início da luta pela independência da Venezuela

O Conselho Português para a Paz e Cooperação esteve hoje presente na iniciativa promovida pela embaixada da República Bolivariana da Venezuela, junto ao busto do libertador Simon Bolívar em Lisboa, para assinalar o 205º aniversário do início da luta pela independência da Venezuela.

Participaram na iniciativa dezenas de pessoas, incluindo representantes de várias organizações e do corpo diplomático.

 

 

 

 

Volta para casa mais um de "Os Cinco" heróis cubanos

os cinco 1 20140228 1517325565Foi libertado mais um dos cinco cubanos, que desde 1998 se encontram injustamente encarcerados nos EUA, cujo único acto foi tentar impedir que o seu país e os seus compatriotas fossem vítimas de acções terroristas perpetradas por organizações sediadas nos EUA, mais concretamente em Miami.

 

Fernando González Llort, foi libertado, após cumprir a dura pena a que havia sido injustamente condenado pelos EUA - sem comprovação de culpabilidade, sem terem sido respeitados os seus direitos e através de processos irregulares - e chegou hoje a Cuba, tornando-se assim o segundo de “Os Cinco” a sair em liberdade, após René González.

 

Durante estes 15 anos, os “Cinco” foram e têm sido vítimas de graves violações dos mais básicos direitos humanos, do desrespeito de convenções internacionais e da própria lei norte-americana, tendo nomeadamente sido colocados no “segredo” e impedidos de receber visitas de familiares.

 

O CPPC saúda e expressa a sua solidariedade com Fernando González e a sua luta que é também a luta do povo cubano, e lembra os restantes três cubanos que permanecem ainda encarcerados nos EUA, exigindo o respeito pelos seus direitos e a libertação, sem condicionamentos, de Antonio Guerrero, Gerardo Hernández, Ramón Labañino e o seu imediato regresso a Cuba, pondo fim, desta forma, a uma injusta e inaceitável situação que se prolonga há 15 anos.

Dia da Dignidade Nacional: Projecção do documentário "4 de Fevereiro na História" na Casa da Paz

No passado dia 4 de Fevereiro, na Casa da Paz, o Conselho Português para a Paz e Cooperação assinalou o Dia da Dignidade Nacional da República Bolivariana da Venezuela.
Nesta ocasião em que se assinalava o 23º aniversário do levantamento cívico militar de 1992 e que contou com a presença do Ex.mo Senhor Embaixador da Venezuela Lucas Ríncon Romero foi projectado o documentario "4 de Fevereiro na História".

 

Declaração da CELAC - Compromisso histórico com a Paz

ii cimeira da celac 1 20140131 1148936652

O Conselho Português para a Paz e Cooperação saúda a declaração da América Latina e das Caraíbas como «zona de Paz», assumida pelos chefes de Estado dos países membros da CELAC (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos) na II Cimeira desta organização, que se realizou nos dias 28 e 29 de Janeiro em Havana, Cuba.

O CPPC valoriza particularmente o facto de, num momento em que um pouco por todo o Mundo, se verificam constantes ameaças à paz e à soberania de países e povos, em que a União Europeia e EUA militarizam cada vez mais as relações internacionais, e recorrem à agressão contra estados e povos para impor a sua influência e domínio, 33 chefes de Estado de uma região - que era, até há alguns anos, considerada o «pátio das traseiras» dos EUA - assumam o seu apego aos «princípios e normas do direito internacional», ao direito inalienável de cada estado escolher o seu sistema económico, político, social e cultural como condição essencial para assegurar a convivência pacífica entre as nações», à «solução pacífica das controvérsias na região e no Mundo» e à promoção do desarmamento nuclear como «objectivo prioritário» para manter a paz na região. Não menos relevante é o acordo unânime em não intervir nos assuntos internos de qualquer outro país e no peremptório repúdio do uso da força.

Saudando os povos da América Latina e das Caraíbas por esta relevante conquista, o CPPC apela a que sustentem esta declaração e contribuam para a sua concretização e a que prossigam a sua luta pelo encerramento das várias bases estrangeiras existentes na região. O CPPC faz votos que o exemplo da CELAC inspire análogos esforços de cooperação fraterna que conduzam a que sejam assumidos e concretizados compromissos semelhantes em outras regiões do Mundo.