Outras Notícias

205º aniversário do início da luta pela independência da Venezuela

O Conselho Português para a Paz e Cooperação esteve hoje presente na iniciativa promovida pela embaixada da República Bolivariana da Venezuela, junto ao busto do libertador Simon Bolívar em Lisboa, para assinalar o 205º aniversário do início da luta pela independência da Venezuela.

Participaram na iniciativa dezenas de pessoas, incluindo representantes de várias organizações e do corpo diplomático.

 

 

 

 

Dia da Dignidade Nacional: Projecção do documentário "4 de Fevereiro na História" na Casa da Paz

No passado dia 4 de Fevereiro, na Casa da Paz, o Conselho Português para a Paz e Cooperação assinalou o Dia da Dignidade Nacional da República Bolivariana da Venezuela.
Nesta ocasião em que se assinalava o 23º aniversário do levantamento cívico militar de 1992 e que contou com a presença do Ex.mo Senhor Embaixador da Venezuela Lucas Ríncon Romero foi projectado o documentario "4 de Fevereiro na História".

 

Declaração da CELAC - Compromisso histórico com a Paz

ii cimeira da celac 1 20140131 1148936652

O Conselho Português para a Paz e Cooperação saúda a declaração da América Latina e das Caraíbas como «zona de Paz», assumida pelos chefes de Estado dos países membros da CELAC (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos) na II Cimeira desta organização, que se realizou nos dias 28 e 29 de Janeiro em Havana, Cuba.

O CPPC valoriza particularmente o facto de, num momento em que um pouco por todo o Mundo, se verificam constantes ameaças à paz e à soberania de países e povos, em que a União Europeia e EUA militarizam cada vez mais as relações internacionais, e recorrem à agressão contra estados e povos para impor a sua influência e domínio, 33 chefes de Estado de uma região - que era, até há alguns anos, considerada o «pátio das traseiras» dos EUA - assumam o seu apego aos «princípios e normas do direito internacional», ao direito inalienável de cada estado escolher o seu sistema económico, político, social e cultural como condição essencial para assegurar a convivência pacífica entre as nações», à «solução pacífica das controvérsias na região e no Mundo» e à promoção do desarmamento nuclear como «objectivo prioritário» para manter a paz na região. Não menos relevante é o acordo unânime em não intervir nos assuntos internos de qualquer outro país e no peremptório repúdio do uso da força.

Saudando os povos da América Latina e das Caraíbas por esta relevante conquista, o CPPC apela a que sustentem esta declaração e contribuam para a sua concretização e a que prossigam a sua luta pelo encerramento das várias bases estrangeiras existentes na região. O CPPC faz votos que o exemplo da CELAC inspire análogos esforços de cooperação fraterna que conduzam a que sejam assumidos e concretizados compromissos semelhantes em outras regiões do Mundo.

 

Volta para casa mais um de "Os Cinco" heróis cubanos

os cinco 1 20140228 1517325565Foi libertado mais um dos cinco cubanos, que desde 1998 se encontram injustamente encarcerados nos EUA, cujo único acto foi tentar impedir que o seu país e os seus compatriotas fossem vítimas de acções terroristas perpetradas por organizações sediadas nos EUA, mais concretamente em Miami.

 

Fernando González Llort, foi libertado, após cumprir a dura pena a que havia sido injustamente condenado pelos EUA - sem comprovação de culpabilidade, sem terem sido respeitados os seus direitos e através de processos irregulares - e chegou hoje a Cuba, tornando-se assim o segundo de “Os Cinco” a sair em liberdade, após René González.

 

Durante estes 15 anos, os “Cinco” foram e têm sido vítimas de graves violações dos mais básicos direitos humanos, do desrespeito de convenções internacionais e da própria lei norte-americana, tendo nomeadamente sido colocados no “segredo” e impedidos de receber visitas de familiares.

 

O CPPC saúda e expressa a sua solidariedade com Fernando González e a sua luta que é também a luta do povo cubano, e lembra os restantes três cubanos que permanecem ainda encarcerados nos EUA, exigindo o respeito pelos seus direitos e a libertação, sem condicionamentos, de Antonio Guerrero, Gerardo Hernández, Ramón Labañino e o seu imediato regresso a Cuba, pondo fim, desta forma, a uma injusta e inaceitável situação que se prolonga há 15 anos.

Nova vitória de Cuba contra o iníquo bloqueio económico dos EUA

O Conselho Português para a Paz e Cooperação congratula-se com a importante vitória de Cuba na Assembleia–Geral da ONU na luta contra o bloqueio económico a Cuba. Foi no passado dia 29 de Outubro que, mais uma vez, com 188 votos a favor, e pela vigésima segunda ocasião consecutiva, a Assembleia-Geral das Nações Unidas solicitou aos Estados Unidos da América que ponha fim ao bloqueio económico, comercial e financeiro contra Cuba.

Ler mais...