Outras Notícias

Israel procura cimentar a ocupação

Com 58 votos a favor e 50 contra, o parlamento israelita aprovou no passado dia 17 de novembro um projeto de lei com o fito de “regularizar” retroativamente os colonatos israelitas ilegalmente construídos na margem ocidental do rio Jordão, em território palestino ocupado. O projeto terá ainda de passar por mais votações antes de se tornar lei.

Com esta iniciativa o parlamento israelita procura fabricar uma pretensa legalidade para cobrir a contumaz usurpação de territórios palestinos por parte de colonos israelitas, processo que tem contado com a tolerância, quando não apoio oficial e instigação, do próprio estado israelita.

Tal ocupação é ilegal à luz do direito internacional; e até mesmo da lei israelita – embora, neste caso, em termos meramente formais como tem sido notório.

Ler mais...

Debate participado em Gaia sobre Médio Oriente e paz

A situação no Médio Oriente e a luta pela Paz foi o tema do debate muito participado que decorreu no auditório da Biblioteca Municipal em Vila Nova de Gaia, iniciativa do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), que contou com o apoio da Câmara Municipal de Gaia e as intervenções do jornalista José Goulão, Ilda Figueiredo e João Rouxinol.

Debateu-se a grave situação no Médio Oriente, destacando José Goulão as causas e os responsáveis, desde a invasão do Afeganistão, passando pelo Iraque, a Líbia e a Síria, sem esquecer a Palestina e toda a região. Foi particularmente denunciada a estratégia de rapina de recursos e de controlo da região que tem sido conduzida por EUA, NATO, União Europeia e seus aliados,sem esquecer Israel e a Arábia Saudita, responsáveis principais pela tragédia que se vive na região, com destruição de Estados, sofrimento e deslocação de milhões de pessoas. Ilda Figueiredo e João Rouxinol sublinharam a importância da luta pela paz, da solidariedade com os povos vítimas das guerras, a convergência de esforços e vontades no alargamento do movimento pela paz e o contributo que o CPPC e o Conselho Mundial da Paz estão a dar, dando como exemplo a próxima Assembleia Mundial da Paz, no Brasil, de 17 a 20 de Novembro, onde o CPPC participará.

No debate muito animado que se seguiu, sublinhou-se a importância de reforçar o CPPC e a luta pela paz, tendo-se verificado algumas novas adesões no final desta importante sessão.

EUA – TIREM AS MÃOS DA SÍRIA

Preocupado com a escalada de agressão dos EUA e seus aliados na Síria, com os riscos que a situação representa para Paz mundial e consciente da necessidade de uma ampla unidade das forças que defendem a Paz o Conselho Português para a Paz e Cooperação subscreveu e divulga o apelo internacional "EUA - tirem as mãos da Síria".
O apelo pode ser subscrito em handsoffsyriacoalition.net/

Ler mais...

67 anos depois, a ocupação prossegue

O povo palestiniano assinala, no próximo dia 15 de Maio, o 67.º aniversário da «Nakba» (a Catástrofe), que marca o início da ocupação israelita da Palestina com o seu rol de massacres, deportações, privação de direitos humanos e violências de todo o género sobre a população árabe, que se prolongam até à actualidade.

Ao declarar unilateralmente a sua independência no território que as armas e o terror almejaram conquistar, Israel desrespeitou o Plano de Partilha da Palestina elaborado no ano anterior pelas Nações Unidas, que dividia o antigo domínio britânico em dois Estados, Palestina e Israel.
Se Israel teve efectivamente o seu Estado, cujo território não cessa de aumentar, os palestinianos tornaram-se exilados no seu próprio país, divididos entre Líbano, Síria, Jordânia e Egipto. Graças à «Nakba», é palestiniana uma das maiores comunidades de refugiados do mundo.

Ler mais...