Outras Notícias

Declaração do Conselho Mundial da Paz (CMP) sobre os planos para atacar a Síria

Declaração do Conselho Mundial da Paz (CMP) sobre os planos para atacar a Síria
 
O CMP denuncia veementemente os planos dos EUA, França, Reino Unido, Turquia, NATO e seus aliados, Israel, Quatar e Arábia Saudita para atacar a Síria em função do alegado uso de armas de destruição massiva pelo governo sírio.
 
O CMP e o movimento mundial pela paz já testemunharam anteriormente e por várias vezes estas tácticas sujas. Os imperialistas usaram os mesmos falsos pretextos na Jugoslávia em 1999, mais tarde, no Afeganistão e no Iraque e depois na Líbia em 2011. Os objectivos foram sempre controlar esferas de influência e recursos, para mudar regimes violentamente e instalar regimes favoráveis e "amigos".
 
O CMP tem muitas vezes expressado as suas posições de princípio, sobre o direito de cada povo a determinar livre e democraticamente o seu futuro e caminho de desenvolvimento, e isto é mais do que válido, também, para o caso da Síria, que é o alvo de forças reaccionárias locais e estrangeiras, as forças fundamentalistas, de mãos dadas com grupos mercenários de toda a região, patrocinados, treinados e apoiados pela NATO e os seus aliados locais no Golfo e no Médio Oriente.
 
Os imperialistas planeavam a escalada, hà muito tempo, na Síria, usando a Turquia como um trampolim para a preparação e infiltração de grupos armados, enquanto a instalavam mísseis Patriot da NATO perto da fronteira turco-síria.
 
A União Europeia desempenhou o seu papel através de sanções políticas e económicas contra a Síria, em plena coordenação com os EUA e Israel, que cinicamente discutem as opções para atacar abertamente a Síria e o Irão no futuro.
 
O pretexto actual de que a Síria usou armas químicas é tão falso quanto alegações semelhantes feitas sobre o Iraque e a Jugoslávia. As forças amantes da paz são usadas para a fabricação de provocações, calúnias e mentiras. Os objectivos dos imperialistas e dos seus media globais são a subjugação dos povos na região e a implementação dos seus planos para o "Novo Médio Oriente ", a exploração da região mais rica em recursos minerais. A agressividade crescente dos imperialistas na região vai de mãos dadas com o ataque contra os direitos dos povos, os seus direitos de soberania e de não ingerência nos seus assuntos internos . Todos os governos da NATO e da UE compartilham responsabilidades, neste momento, perante o crime planeado contra o povo sírio.
 
O CMP condena os planos para atacar abertamente a Síria e manifesta a sua total e plena solidariedade com o povo da Síria.
Apelamos a todos os membros e amigos do CMP para estarem vigilantes e organizar protestos em todos os países sob os lemas : Tirem as mãos da Síria - Não aos planos imperialistas no Médio Oriente - Solidariedade com os povos da região.
 
O Secretariado do CMP - 28 de Agosto de 2013

 

Defender a Paz! Não à agressão à Síria

Perante a ameaça de uma escalada da agressão e de um ataque directo por parte dos EUA e seus aliados contra o povo sírio. o Conselho Português para a Paz e Cooperação, considerando que os amantes da Paz não podem deixar de fazer ouvir a sua voz e tentar impedir mais esta agressão, colocou à consideração das organizações portuguesas a subscrição do seguinte texto:

"Defender a paz! Não à agressão à Síria!

Com o pretexto, sem que tenham sido apurados factos, de que o governo Sírio terá usado armas químicas contra a sua população, os EUA, a França, o Reino Unido, a NATO e os seus aliados na região, tentam manipular a opinião pública para justificar mais um salto qualitativo na sua agressão à Síria.

Ler mais...