O Conselho Português para a Paz e Cooperação saúda a vitória da corajosa luta dos presos políticos palestinianos, em prisões israelitas, com a cedência das autoridades israelitas a justas exigências destes presos, na sequência do protesto “Liberdade e Dignidade”, em que mais de mil presos políticos palestinos se encontravam em greve de fome há já 40 dias.

Os presos políticos palestinianos suspenderam o seu protesto, após mais de vinte horas consecutivas de negociações, quando as autoridades israelitas acederam a várias das suas exigências como o direito a duas visitas mensais da família ou a receberem assistência médica condigna.

Mantendo a sua solidariedade para com estes presos políticos, o CPPC reafirma a sua solidariedade de sempre para com a luta do Povo palestiniano, e as exigências fundamentais para a solução do problema palestiniano: a libertação dos presos palestinianos nas prisões de Israel, o fim dos colonatos, do Muro de Separação e do bloqueio a Gaza, o respeito do direito de regresso dos refugiados, o fim da ocupação e a criação do Estado da Palestina, dentro das fronteiras de 1967, com capital em Jerusalém Leste.

Direcção Nacional do CPPC