Outras Notícias

Educação para a Paz | Viana do Castelo

educacao para a paz viana do castelo 1 20200225 1510577561

Realizou-se na Escola Frei Bartolomeu dos Mártires em Viana do Castelo uma participada sessão, orientada por Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC. Na iniciativa que contou com a participação de cerca de 100 alunos e diversos professores, sobre a paz e o desarmamento nuclear tendo por base a exposição do CPPC sobre o mesmo tema.

Foram também abordadas propostas do CPPC no âmbito da educação para a paz, ilustradas com exemplos de trabalhos realizados noutras escolas, incluindo trabalhos plásticos, poesia, caminhadas pela paz e concertos pela paz. Foi anunciado o Concerto pela Paz, em Viana do Castelo, a 16 de maio e o próximo Encontro pela Paz, a 30 de maio, em Setúbal.

Conversa pela Paz na ARPI de Montemor-o-Novo

conversa pela paz na arpi de montemor o novo 1 20200225 1765449364

A convite da ARPI - Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Montemor-o-Novo, o CPPC participou, no dia 11 fevereiro de 2020 com a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, numa iniciativa de afirmação dos valores da Paz e da solidariedade entre os Povos.

Hortênsia Menino, Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, José Grulha, Presidente da ARPI e Zulmira Ramos e Armando Farias, da Direção do CPPC, partilharam com uma numerosa e interessada assistência reflexões muito atuais sobre causas antigas e de inegável importância, como a Paz, o desarmamento e a solidariedade com povos que enfrentam a situações de guerra e opressão, realçando as tarefas que hoje se colocam à Humanidade na luta pela Paz.

Zulmira Ramos anunciou a realização do próximo Encontro pela Paz no dia 30 maio de 2020, em Setúbal, para o qual pediu uma grande participação das gentes de Montemor-o-Novo.

A Presidente Hortênsia Menino reafirmou o compromisso da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo - que faz parte do Movimento de Municípios pela Paz - de continuar a desenvolver todos os esforços na defesa da Paz, da não ingerência e no desenvolvimento de relações amistosas entre os Povos.

José Grulha agradeceu a participação dos elementos da mesa e garantiu que a ARPI vai continuar a mobilizar os seus aderentes para a discussão e esclarecimento das questões da Paz.

Vozes pela Paz em Setúbal

vozes pela paz em setubal 1 20200225 1132636873

Cerca de duas dezenas de personalidades de diversificadas sensibilidades e variadas áreas convergiram na defesa da paz unindo as suas vozes à iniciativa promovida pelo CPPC e pela Câmara Municipal de Setúbal.

A iniciativa, enquadrada na preparação do Encontro pela Paz 2020 - que ocorrerá em Setúbal a 30 de Maio - foi dirigida pela presidente da CMS, Maria das Dores Meyra contou nas mesa ainda com a presidente do CPPC, Ilda Figueiredo e com o presidente da Câmara Municipal do Seixal e representante do Movimento de Municípios pela Paz, Joaquim Santos.

Conferência Internacional da CGTP-IN, no Seixal

conferencia internacional da cgtp in no seixal 1 20200225 1563597470

O CPPC participou, no dia 13, na Conferência Internacional promovida pela CGTP-IN sob o lema «Lutar pela valorização do trabalho e dos trabalhadores, a paz e a solidariedade», realizada no Seixal. Entre os oradores, representantes de organizações sindicais de dezenas de países e outras estidades, esteve a presidente da direção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo (na foto).

EDUCAÇÃO PARA A PAZ NA ESCOLA BÁSICA 2º E 3º CICLOS DE CORROIOS, SEIXAL

educacao para a paz na escola basica 2 e 3 ciclos de corroios seixal 1 20200212 1291660524

No passado dia 7 de fevereiro 2020, o CPPC realizou uma sessão sobre a Paz na escola básica 2º e 3º ciclos em Corroios, por solicitação da Câmara Municipal do Seixal.

Zulmira Ramos, da Direção do CPPC, dinamizou uma “Conversa sobre a Paz” para cerca de 12 alunos dos 10 aos 16 anos, tendo sublinhado que, para além da ausência de ações beligerantes e de confrontos armados, a ausência de desigualdades económicas, sociais, culturais e políticas é uma condição fundamental na construção da Paz. Focou também o nível das despesas militares, contrapondo a esta perigosa corrida armamentista a absoluta necessidade de construir escolas, hospitais e habitações em países que estão em extrema pobreza. Referiu as consequências das guerras, com milhões de mortes, estropiados e refugiados, incitando à participação cívica e à solidariedade e amizade entre todos, desde logo no ambiente escolar.

Os alunos participaram, ao longo da exposição, com dúvidas e apreciações.