Outras Notícias

  • CPPC expressa condolências pelo falecimento de Roland Weyl 30-04-2021

      O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta profundamente o falecimento de Roland Weyl, no passado dia 20 de abril. Advogado, anti-fascista,...

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

4 de Fevereiro de 1961 | Início da luta pela independência das antigas colónias portuguesas

4 de fevereiro de 1961 inicio da luta pela independencia das antigas colonias portuguesas 1 20210214 1263109789
 
A 4 de Fevereiro de 1961, há precisamente 60 anos, iniciou-se em Angola a luta pela independência do domínio colonial português. Nos anos seguintes, foi a vez dos povos da Guiné-Bissau e Moçambique se lançarem à conquista do seu futuro soberano e independente. A resposta da ditadura fascista é conhecida: a imposição de guerras coloniais, massacres, repressão, que se abateu também sobre todos quantos, em Portugal, exigiam a paz e a liberdade para os povos africanos.
Nesse duro mas exaltante combate, os povos das antigas colónias portuguesas não estiveram sós, contando sempre com a solidariedade do movimento da paz português, que se prolongou muito para lá das independências, nos momentos mais duros da ingerência e da desestabilização externas, e prossegue hoje, nas lutas pelo progresso, a justiça social e a soberania. A Constituição da República Portuguesa, obra desse Abril comum, fixou em novos moldes a relação entre Portugal e os países africanos de expressão portuguesa – Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe – como entre países iguais e soberanos, referindo, no seu artigo 7º, que Portugal mantém laços privilegiados de amizade e cooperação com os países de língua portuguesa.
Ao recordar o 4 de Fevereiro de 1961, o Conselho Português para a Paz e Cooperação evoca os povos que, como um só, exigiram e conquistaram a sua independência e, assim, contribuíram para o derrube do fascismo e do colonialismo portugueses, lembra lutas comuns e exalta uma mesma aspiração à paz, à solidariedade e à cooperação.
A Direção Nacional do CPPC
4 de Fevereiro de 2021

Sessão de educação para a Paz em Matosinhos

sessao de educacao para a paz em matosinhos 1 20210123 1288742451
 
Realizou-se, no passado dia 13 de janeiro, uma sessão de educação para a Paz, na EB1,2,3, em Matosinhos, em que participaram alunos de várias turmas do último ano e diversos professores. Na sessão intervieram Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC, e a prof. Olga Alpoim que abordaram as causas e consequências da Segunda Guerra Mundial e a necessidade de defender a Paz, tendo por base a exposição do CPPC que está exposta na biblioteca da escola, no âmbito do protocolo de colaboração do CPPC com a Câmara Municipal de Matosinhos.
Foi também lida poesia de alunos sobre o mesmo tema.

Exposição | 75 anos da vitória sobre o nazi-fascismo | Seixal

exposicao 75 anos da vitoria sobre o nazi fascismo seixal 3 20201229 1467338143

Inauguração, no Seixal, da exposição do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) relativa aos 75 anos da vitória sobre o nazi-fascismo que pôs fim à Segunda Guerra Mundial
Foi inaugurada nos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal a exposição do CPPC sobre a Segunda Guerra Mundial, com intervenções da vereadora da CM do Seixal, Manuela Calado, da diretora da Obra Católica Portuguesa das Migrações, Eugénia Quaresma, e de Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC, que destacaram a importância de conhecer as causas e as consequências do flagelo da guerra, os mais 60 milhões de mortos e os milhões de deslocados e refugiados com todo o horror dos crimes do nazi-fascismo e do holocausto.
A iniciativa teve a participação de autarcas das freguesias e de associações do Seixal tendo sido feito o apelo à mobilização de todos na defesa da paz e na preparação do próximo Encontro pela Paz que se irá realizar em 5 de junho, em Setúbal com o lema "Pela Paz, todos não somos demais".