No dia em que se assinala o 69º aniversário da Nakba («catástrofe», em árabe, que marca o início da ocupação da Palestina), o Conselho Português para a Paz e Cooperação apela a todos quantos defendem valores humanistas e o respeito pelos direitos dos povos a que reforcem a sua solidariedade ao povo palestiniano, e à sua luta por uma Palestina livre, independente e soberana.

Este aniversário da Nakba assinala-se em plena greve da fome de cerca de 1500 presos palestinianos em cadeias israelitas, pela sua dignidade e liberdade. Dando expressão concreta a esta solidariedade, o CPPC promoveu uma moção de apoio a esta luta, já subscrita por organizações de 11 países e que continua aberta a novos apoiantes.

A ocupação israelita, que priva os palestinianos dos seus mais elementares direitos, é marcada desde o início pela mais brutal violência: massacres, deportações forçadas, destruição de aldeias, imposição de um regime de apartheid, a prisão de muitos milhares de palestinianos, a generalização de colonatos, a construção do Muro de Separação e o cerco a Gaza.

Devido a esta ocupação, que viola sucessivas resoluções das Nações Unidas, Israel ocupa hoje 80 por cento do território da Palestina histórica, e não os 52% estipulados no Plano de Partilha elaborado pela ONU em 1947. Este contínuo desrespeito pelo direito internacional e pelos direitos dos povos só é possível com o apoio militar, económico, político e diplomático desde sempre concedido pelos Estados Unidos da América a Israel, que se assume como uma peça central da estratégia de dominação norte-americana no Médio Oriente.

Perante a brutal ocupação israelita e renovando a sua solidariedade de sempre para com a luta do povo da Palestina, o CPPC reafirma as exigências fundamentais para a solução do problema palestiniano: o fim dos colonatos, do bloqueio a Gaza e do Muro de Separação; a libertação dos presos palestinianos nas prisões de Israel e o respeito do direito de regresso dos refugiados; o fim da ocupação e a criação do Estado da Palestina, dentro das fronteiras de 1967, com capital em Jerusalém Oriental.

15 de Maio de 2017

Direcção Nacional do CPPC