Ontem, dia 7 de Março, pelas 18 horas, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) realizou, no Porto, no palacete Viscondes de Balsemão, uma sessão de solidariedade com a Palestina que teve a participação do embaixador da Palestina, Nabil Abuznaid, do escritor José António Gomes e de Ilda Figueiredo, presidente da direcção do Conselho Português para a Paz e Cooperação.

A sessão de correu numa sala cheia de empenhados ativistas da solidariedade com a Palestina, onde foi denunciada a ocupação israelita e a cumplicidade dos EUA, nomeadamente a recente declaração da Administração norte-americana de reconhecer Jerusalém como capital de Israel e de mudar para aí a sua embaixada, no total desrespeito das decisões da ONU. Foi igualmente lembrado o reconhecimento, em 2012, da Palestina como Estado Observador na ONU pela Assembleia Geral desta Organização e o reconhecimento do Estado da Palestina por mais de 135 Países, lamentando-se que o governo português ainda o não tenha feito apesar da recomendação nesse sentido por parte da Assembleia da República.

Foi referido também o caminho a percorrer para uma paz justa e duradoura na Palestina, que não sendo fácil, é a única solução possível. E esse caminho passa inevitavelmente por repor as fronteiras anteriores a 1964, pelo fim dos colonatos e da presença de forças israelitas nos territórios do Estado da Palestina. Pela libertação dos presos políticos (cerca de 6000 dos quais 300 são crianças), da liberdade de circulação de pessoas e bens entre a Cisjordânia e Gaza. Pelo direito de regresso dos refugiados. Pelo efectivo reconhecimento de Jerusalém Oriental como capital da Palestina. No fundo, aplicar as Resoluções da ONU produzidas ao longo de mais de 60 anos. Mesmo sabendo que cabe ao Povo Palestino o fundamental da luta pelos seus direitos, não deve ser subestimado o contributo da solidariedade e da cooperação internacionais.

Durante a tarde, houve também um encontro do embaixador da Palestina com o Reitor da Universidade do Porto, Prof. Doutor Sebastião Feyo de Azevedo, e foi recebido na Câmara Municipal do Porto pelo presidente da CMP, Dr. Rui Moreira, tendo-se aberto a possibilidade de uma exposição sobre a cultura na Palestina ser apresentada no Porto.