Centenas de pessoas participaram hoje da acção "Palestina Livre! Fim à Agressão! Fim à Ocupação!", frente à embaixada de Israel em Lisboa.

Nas intervenções ficou expressa a solidariedade com o povo palestino e a necessidade de não esquecer e exigir a responsabilização do governo israelita pelos crimes cometidos, não só na recente agressão a Gaza, mas também ao longo das quase 7 décadas de ocupação.

 

A intervenção do CPPC:

Fim à agressão! Fim à ocupação!

Palestina livre e independente!

Caros amigos,

Em nome do Conselho Português para a Paz e Cooperação (o CPPC), saúdo todos os presentes nesta imprescindível e obrigatória acção de protesto contra a agressão de Israel à população palestina da Faixa de Gaza e de solidariedade com o povo palestino.

Estamos aqui para denunciar e condenar a brutal agressão ao povo palestino da Faixa de Gaza, que causou, como já foram referidos, quase dois mil mortos e cerca de 9000 feridos, na sua maioria civis, entre os quais milhares de crianças. Dezenas de famílias inteiras foram assassinadas, infra-estruturas básicas destruídas, centenas de milhares de desalojados.

Estamos aqui porque este crime de Israel não pode ficar impune!

Não podemos deixar esquecer, não podemos permitir que se silencie mais um massacre cometido pelo Estado israelita.

Crimes que não se cingem a esta recente agressão a Gaza, crimes que são cometidos há tantas décadas, tantas quanto dura a ocupação. E são já quase 7 décadas.

A agressão de Israel ao povo palestino continua!

Pela ocupação. Pela permanente opressão. Pela exploração. Pela violência! Pelo criminoso bloqueio contra a população de Gaza, que lhes nega. Inclusive, os bens mais essenciais.

Continua com o apoio cúmplice dos EUA e da UE.

Estamos aqui hoje pela justa causa Palestina. Para dizer BASTA! Para exigir o fim da agressão, o fim do criminoso bloqueio a Gaza, o fim da ocupação.

Desenvolvemos importantes iniciativas durante este último mês.

O CPPC, em conjunto com outras organizações como a CGTP e o MPPM entre outras, esteve na rua em Lisboa, no Porto, ainda ontem em Aveiro, e de novo no Porto no próximo Sábado. Participámos em iniciativas de solidariedade em Lisboa, em Almada, no Porto em Évora durante o acampamento pela Paz promovido pela Plataforma 40X25. Escrevemos uma Carta Aberta ao Governo Português exigindo, como obriga a Constituição da República, a condenação da agressão de Israel. Com fins semelhantes promovemos um abaixo-assinado que recolheu até o momento mais de 2000 assinaturas.

Escolhemos estar de um lado da barricada!

Do lado da vítima, contra o agressor!

Do lado do ocupado, contra o ocupante!

Do lado do oprimido, contra o opressor!

Do lado do explorado, contra o explorador!

O mesmo não podemos afirmar do Governo Português que se manteve vergonhosamente silencioso, não condenando a bárbara agressão Israelita. Perante a injustiça o silêncio é cumplicidade.

O CPPC continuará, como sempre tem sido, solidário com o Povo da Palestina. Solidário com a sua luta, com o seu direito a um estado livre e independente, com as fronteiras de 1967, com capital em Jerusalém Este. Com o respeito do direito de regresso dos refugiados palestinos. Solidário com direito do Povo Palestino a viver em Paz.

Daqui saudamos o movimento da Paz de Israel, que enfrentando grandes dificuldades e a repressão que é exercida sobre aqueles que ousam enfrentar e denunciar os crimes cometidos pelo seu governo, continuam a sua luta, solidários como povo irmão da Palestina.

No CPPC costumamos dizer que “pela paz todos não somos demais” e por isso contamos com todos vocês para continuar o caminho, que desejamos mais curto que longo, que percorreremos ao lado do povo da Palestina, pela sua justa causa e com a sua heroica luta. Até o dia em que a Palestina vencerá!

Palestina Vencerá!