Outras Notícias

Porto e Lisboa: a Venezuela Bolivariana não está só!

 porto e lisboa a venezuela bolivariana nao esta so 3 20190201 1364529631

 porto e lisboa a venezuela bolivariana nao esta so 1 20190201 2063713670

Como tantas vezes sucedeu nos últimos 20 anos, Porto e Lisboa deram expressão à solidariedade com a Venezuela Bolivariana, no momento em que está em curso mais uma operação golpista para derrubar as suas autoridades legítimas. Em Lisboa, a Casa do Alentejo transbordou, no dia 31, para condenar o golpe e a ingerência externa e manifestar confiança na capacidade do povo venezuelano em prosseguir o caminho que livremente decidiu, expresso em mais de duas dezenas de eleições, monitorizadas por observadores e organizações internacionais.

Pela tribuna passaram Amílcar Campos, do CPPC, Augusto Fidalgo, da Associação de Amizade Portugal-Cuba, Regina Marques, do MDM, Augusto Praça, da CGtP-IN, e os embaixadores de Cuba e da Venezuela, Mercedez Martínes e Lucas Rincón.

Ler mais...

Casa da Paz acolhe iniciativa de Solidariedade com a República Bolivariana da Venezuela

casa da paz acolhe iniciativa de solidariedade com a republica bolivariana da venezuela 1 20190129 1342138206

A Casa da Paz, sede do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), acolheu hoje, 23 de Janeiro, uma iniciativa de solidariedade com a República Bolivariana da Venezuela, num momento em que esta enfrenta e resiste ao bloqueio económico e diplomático dos EUA, coordenado com a desestabilização interna promovida pela oligarquia, e a uma poderosa ofensiva mediática.

Estiveram presentes o embaixador da República Bolivariana da Venezuela em Portugal, general-em-chefe Lucas Rincón Romero, e outros diplomatas, dirigentes e activistas do CPPC (entre as quais a presidente da direcção nacional, Ilda Figueiredo) e representantes de dezenas de sindicatos, associações e entidades.

Fim à desestabilização e ao bloqueio - Solidariedade com ao Revolução bolivariana e o povo venezuelano

fim a desestabilizacao e ao bloqueio solidariedade com a revolucao bolivariana e o povo venezuelano 1 20190129 1157440018

O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) defende o legítimo direito dos povos a decidirem soberanamente o seu rumo de desenvolvimento – um direito consagrado na Carta das Nações Unidas e no Direito Internacional –, uma sua posição de sempre que é tão mais importante reafirmar no momento em que se intensifica uma aberta e descarada ameaça, a pressão, a chantagem, o bloqueio e a interferência sobre a República Bolivariana da Venezuela, que visa atingir e agravar as condições de vida do seu povo.

O não reconhecimento do Presidente democraticamente eleito da Venezuela, Nicolás Maduro, é mais um episódio do longo processo de ingerência e desestabilização promovido e levado a cabo pelos Estados Unidos da América e pela oligarquia venezuelana e que dura há 20 anos, tantos quantos tem a Revolução Bolivariana – o golpe de Estado contra o Presidente Hugo Chávez em 2002, a sabotagem da empresa estatal de petróleo PDVSA, o terrorismo, o bloqueio e as sanções económicas e diplomáticas foram e são métodos utilizados para dificultar a acção e, se possível, derrubar o poder bolivariano, as instituições legítimas do país, sufragadas democraticamente ao longo de 20 anos.

Ler mais...