Outras Notícias

Saudação a Cuba e à República Bolivariana da Venezuela

O Conselho Português para a Paz e Cooperação congratula-se com mais uma importante vitória de Cuba na Assembleia–Geral da ONU na luta contra o bloqueio económico que o governo dos EUA continua a impor aos cubanos e ao Mundo, dado o seu carácter extra-territorial. Foi no passado dia 28 de Outubro que, mais uma vez, com 188 votos a favor, e pela vigésima terceira vez consecutiva, a Assembleia-Geral das Nações Unidas solicitou aos Estados Unidos da América que ponha fim ao bloqueio económico, comercial e financeiro contra Cuba.

Ler mais...

CPPC solidariza-se com Venezuela Bolivariana

O Conselho Português para a Paz e Cooperação condena veementemente a acção terrorista praticada por grupos para-militares de extrema-direita e fascistas contra as forças progressistas e revolucionárias venezuelanas, de que é exemplo recente o hediondo assassinato do dirigente e deputado do Partido Socialista Unificado da Venezuela (PSUV), Robert Serra, assim como da sua companheira e activista, María Herrera.

Ler mais...

Ébola

A evolução da situação do surto de vírus Ébola está a demonstrar a cínica e hipócrita atitude de países ocidentais, economicamente mais desenvolvidos, que em vez de utilizarem os vastos meios que têm ao seu alcance para combater o surto da doença no seu início e, desse modo, evitar o agravamento da situação e o alastramento do número de vítimas, intervieram promovendo o alarme mediático, por todo o mundo, e instrumentalizando a situação em função dos seus interesses.

Ler mais...

Solidariedade com o povo saarauí

 

A cidade de Dakhla, ocupada por Marrocos, viu declarado o estado de sítio após o anúncio da morte do preso político saarauí e activista dos direitos humanos, Hasena Elwali Aleya.

Hasena Elwali Aleya faleceu, no domingo à noite, num hospital militar marroquino na cidade de Dakhla. De acordo com a sua família, o seu estado de saúde era crítico em resultado de ausência de tratamento médico adequado.

Após a notícia do seu falecimento, manifestantes saíram à rua em protesto contra mais um crime hediondo perpetrado pelo regime marroquino.

Segundo a agência noticiosa Sahara Press Agency, as forças de ocupação marroquinas usaram gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes, deixando pelo menos 16 pessoas feridas.

O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) denuncia os actos criminosos perpretados pelas forças marroquinas, que, sucessivamente, contrariam e desrespeitam o direito internacional e as resoluções das Nações Unidas relativas ao direito à livre autodeterminação do povo saarauí.

Ler mais...