Outras Notícias

Declaração Conjunta "Pela Paz – Solidariedade com os Refugiados"

declaracao conjunta pela paz solidariedade com os refugiados 1 20180621 1597162843

Declaração Conjunta
Pela Paz – Solidariedade com os Refugiados

As organizações promotoras do Encontro pela Paz, reunidas na Casa da Paz, em Lisboa, a 20 de Junho, Dia Mundial do Refugiado, expressam a sua solidariedade com os milhões de homens, mulheres e crianças que um pouco por todo o mundo procuram refúgio das guerras e das perseguições na busca de uma vida digna.

A defesa da paz e a recusa da guerra, com o seu rasto de barbárie e destruição, é cada vez mais um clamor que ecoa por todo o mundo, exigindo de todos o empenho e a solidariedade com as suas vítimas, entre as quais os refugiados.

Ler mais...

Sessão de Solidariedade com os povos da América Latina

sessao de solidariedade com os povos da america latina 3 20180610 1259679040

O CPPC promoveu no dia 7 de Junho na Casa do Alentejo, em Lisboa, uma sessão de solidariedade com os povos da América Latina. Intervieram Ilda FIgueiredo e Luís Carapinha, do CPPC, e Augusto Fidalgo, da Associação de Amizade Portugal-Cuba, os embaixadores em Portugal de Cuba e da Venezuela, Mercedez Martínez e Lucas Rincón, e ainda representantes do Partido dos Trabalhadores e do Partido Comunista do Brasil e activistas do Colectivo Andorinha.

Nas diversas intervenções denunciou-se a ingerência dos EUA nos assuntos internos dos países latino-americanos. valorizou-se as conquistas alcançadas pelos processos progressistas que marcaram e marcam a região e reafirmou-se a solidariedade aos povos na sua antiga e persistente luta pela soberania, o progresso e a justiça social.

Participaram ainda Joana Manuel e Rui Galveias, dos El Sur, que interpretaram temas de autores latino-americanos.

CPPC solidário com Venezuela Bolivariana

cppc solidario com venezuela bolivariana 1 20180523 1079343863

No próximo domingo, dia 20 de Maio, realizam-se eleições para a presidência da República Bolivariana da Venezuela, culminando um processo eleitoral que tem decorrido com normalidade, apesar da acção desestabilizadora que EUA e seus aliados continuam a protagonizar, seja através da aplicação de ilegais e inaceitáveis sanções e do bloqueio económico e financeiro, seja da ameaça de intervenção militar e do apoio a acções golpistas naquele país, criando acrescidas dificuldades ao povo venezuelano, e procurando desmobilizar a participação, criar medo e desconfiança no futuro, desacreditar ou mesmo impedir o processo eleitoral.

As constantes declarações de responsáveis dos EUA e seus aliados contra o Governo de Nicolas Maduro e a permanente tentativa do seu isolamento político visam dificultar a evolução da situação democrática no país e influenciar resultados eleitorais para facilitar a ingerência externa ao serviço da oligarquia venezuelana.

Ler mais...