Outras Notícias

Cooperação

  • Pela Paz, fim às armas nucleares!

    pela paz fim as armas nucleares 1 20200708 1021872975
     
    O Conselho Português para a Paz e Cooperação, em conjunto com a Movimento de Municípios pela Paz, assinalando o 3º aniversário da aprovação do Tratado de Proibição de Armas Nucleares nas Nações Unidas, inaugurou hoje, dia 7 de Julho, no centro comercial Rio Sul, no Seixal, uma exposição contra as armas nucleares que permanecerá exposta durante uma semana.
    Na inauguração participaram a vereadora da Câmara Municipal do Seixal, Manuela Calado, a presidente da direção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, e o diretor do centro comercial Rio Sul, Paulo Ruivo.
    Estiveram ainda presentes autarcas locais e representantes de associações.
  • Pela Paz, pelo Futuro da Humanidade | Um mundo sem armas nucleares é urgente

    pela paz pelo futuro da humanidade um mundo sem armas nucleares e urgente 1 20210123 1847639961
     
    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) saúda a entrada em vigor, no dia 22 de Janeiro, do Tratado de Proibição de Armas Nucleares, decorridos 90 dias da sua ratificação pelo 50º estado.
    Esta data constitui um momento histórico e uma significativa vitória dos que, em todo o mundo, se batem há décadas pela interdição deste tipo de armamento. Ao mesmo tempo que aumenta a pressão sobre os restantes Estados para que, com a sua adesão plena ao tratado, contribuam para um mundo livre de armas nucleares.
    O Tratado de Proibição de Armas Nucleares foi lançado em Julho de 2017 por 122 Estados participantes numa conferência das Nações Unidas realizada com o objetivo de negociar um instrumento juridicamente vinculativo para a proibição de armas nucleares, que conduza à sua total eliminação.
  • Plataforma Pela Paz e Desarmamento

    plataforma pela paz e desarmamento 1 20210217 2012657453
     
    A Plataforma para a Paz e o Desarmamento nasceu em fevereiro de 2018 pela necessidade de um conjunto de organizações e associações juvenis, estudantis, de movimentos pela Paz e contra a Guerra afirmarem os direitos da liberdade, da cooperação entre os povos, da auto determinação.
    Assim, esta Plataforma defende o fim da guerra, assume os valores da paz, da solidariedade, de transformação social. Defende o fim das armas nucleares e de destruição massiva, do desarmamento geral e simultâneo, da resolução pacífica de conflitos, o respeito pela soberania dos povos, como o determina a Carta das Nações Unidas e a Constituição da República Portuguesa.
    Esta Plataforma é responsável por várias iniciativas em torno da paz e da consciencialização da juventude, entre elas o Acampamento pela Paz, Acampamento este que visa juntar vários jovens a nível nacional com o mesmo objetivo – a promoção da Paz no mundo.
  • Por ocasião do 44.º aniversário do registo oficial do CPPC

    por ocasiao do 44 aniversario do registo oficial do cppc 1 20200428 1103359178

    A 24 de Abril de 1976, num ato formal mas carregado de simbolismo, foram registados os Estatutos do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC). Mas a luta pela Paz em Portugal é muito mais antiga e constituiu, para gerações de democratas, uma afirmação de que nas condições concretas do nosso país, submetido a um regime fascista, esta era simultaneamente a luta pela democracia.

    A institucionalização formal do CPPC só foi possível porque, dois anos antes, a 25 de Abril de 1974, o Movimento das Forças Armadas, indo ao encontro da luta e materializando a aspiração do povo português, e em aliança com este, derrubou o regime fascista, conquistando a liberdade, pondo fim a 13 anos de guerra colonial e dando início ao processo de democratização do país.

  • Povos Culturas e Pontes | Seixal

    povos culturas e pontes seixal 1 20190518 1627757480

    Integrada no projeto Povos Culturas e Pontes, realizou-se no dia 7 de maio na Escola da Amora no Seixal o “Dia da Paz e Cidadania Global”, tendo o CPPC feito uma intervenção sobre “Os valores da Paz e Cidadania”.
    Foram apresentados os trabalhos e atividades realizados pelos alunos durante os últimos 2 meses sobre “Comércio Justo”, “Migrações” e “Automatização do Trabalho”.
    Estiveram presentes cerca de 100 alunos, além de professores e o Diretor da Escola da Amora.

     

  • Programa do Encontro pela Paz

    programa do encontro pela paz 1 20210615 1799279018

  • Projeto "Povos, Culturas e Pontes" | Seixal

    projeto povos culturas e pontes seixal 1 20190524 1410573064

    O CPPC participou, no passado dia 16 de maio no Seixal, no encerramento das Oficinas da Paz e Cidadania Global integradas no Projeto “Povos Culturas e Pontes”, organizado pela comunidade escolar do Seixal e Câmara Municipal.
    Armando Farias, da Direção do CPPC, desenvolveu uma “Conversa sobre a Paz” para cerca de 4 turmas compostas por alunos dos 10 aos 16 anos, tendo sublinhado que, para além da ausência de ações beligerantes e de confrontos armados, a ausência de desigualdades económicas, sociais, culturais e políticas é uma condição fundamental na construção da Paz. Focou também o nível das despesas militares e as consequências das guerras com milhões de mortes, estropiados e refugiados.

    Os alunos transmitiram as conclusões das suas experiências desenvolvidas nas salas de aula sobre o tema dos refugiados, comercio justo e automatização do trabalho.

    Foi ainda apresentada uma pequena peça de teatro e foram declamados poemas em diversas línguas (crioulo de Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, árabe e português).
    A exposição “Décadas de luta pela Paz” esteve exposta assim como os desenhos sobre Direitos Humanos e a Paz.

    Zulmira Ramos, da Direção do CPPC, participou nas Bibliotecas Humanas transmitindo a sua vivência sobre a viagem em que participou, recentemente, à Palestina, referindo as atrocidades cometidas por Israel sobre o povo palestino.

  • Prossegue a preparação do Encontro pela Paz | Setúbal

    prossegue a preparacao do encontro pela paz setubal 1 20210507 1800193137

    Esta manhã reuniram-se na Câmara Municipal de Setúbal as organizações e entidades que estão a organizar o Encontro pela Paz, a realizar no Fórum Luísa Todi , no próximo dia 5 de Junho.
    No final da reunião, realizou-se uma conferência de imprensa para a divulgação do Encontro pela Paz, dos seus objetivos e da forma de funcionamento, incluindo o Desfile pela Paz que se realizará pela 17h.
  • Protocolo de Cooperação entre a Câmara Municipal de Évora e o CPPC

    A Câmara Municipal de Évora assinou um protocolo de cooperação com o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) no passado dia 16 de fevereiro, nos Paços do Concelho de Évora.
    O documento tem como principal finalidade definir o quadro de cooperação entre o Município e o CPPC em torno de projetos diversificados, nomeadamente na área da educação para a paz. Deste conjunto, destaca-se a realização de conferências e debates na defesa dos mencionados valores para a paz e cooperação entre os povos, promovendo também ações junto de escolas e associações.
    Cabe ao núcleo de Évora do CPPC realizar atividades na cidade e no concelho. O Município compromete-se a apoiar estas realizações nomeadamente em termos de comunicação e logística.
    Participaram na cerimónia de assinatura do protocolo o Presidente da Câmara de Évora Dr. Carlos Pinto Sá a Presidente do CPPC Ilda Figueiredo e, representando o Núcleo de Évora Abílio Fernandes, António Jara e Pedro Branco.

     

  • Região Europa do CMP reúne em Gaia

    regiao europa do cmp reune em gaia 1 20211115 1154414420

    A reunião das organizações da região Europa membro do Conselho Mundial da Paz, que teve lugar nos dias 12 e 13 de Novembro, em Vila Nova de Gaia, contou com a presença de organizações, de diversos países, designadamente: INTAL (Bélgica); Conselho da Paz de Chipre; Movimento Checo pela Paz; Movimento pela Paz (França); Aliança pela Paz e a Neutralidade (Irlanda); Conselho da Paz Alemão; Comité Grego para Détente e a Paz; Conselho de Defesa da Solidariedade e da Paz (Espanha); Comité da Paz da Turquia; e, naturalmente, o Conselho Português para a Paz e Cooperação.
    Foi um importante momento de debate da complexa situação internacional, de diálogo e de aprofundamento sobre as medidas a tomar para o reforço da solidariedade com os povos e de luta pela paz.
  • Respeitar a vontade do povo venezuelano

    respeitar a vontade do povo venezuelano 1 20201229 1090439141
     
    O CPPC promoveu, no dia 18, uma sessão pública sobre as recentes eleições legislativas na República Bolivariana da Venezuela, com o significativo lema «Respeitar a Vontade do Povo Bolivariano».
    De facto, é precisamente isto que está em causa nesta situação: acossada pelo imperialismo, a Venezuela e o seu povo defendem o seu processo democrático e soberano, iniciado com a vitória eleitoral da Hugo Chávez nas eleições de dezembro de 1998 e que o desde o início tem enfrentado a ingerência, o golpismo e o bloqueio do imperialismo norte-americano, apoiado pela UE, por alguns países da América Latina e pela oligarquia venezuelana.
    Estiveram presentes os embaixadores da Venezuela e de Cuba em Portugal, Lucas Rincón Romero e Mercedes Martínez, respetivamente, Luís Carapinha, do CPPC, e Sandra Pereira, deputada do Partido Comunista Português no Parlamento Europeu, que esteve como observadora no ato eleitoral.
    A sessão teve como objetivo principal dar informação sobre os últimos desenvolvimento da situação na República Bolivariana da Venezuela, não deixando de constituir um vibrante momento de solidariedade e de defesa do direito dos povos trilharem os seus próprios caminhos de desenvolvimento soberano, sem ingerência de qualquer espécie. A solidariedade internacional é, a par da resistência no próprio país, o caminho para vencer.
  • Respeite-se o direito internacional e a Constituição de Abril

    respeite se o direito internacional e a constituicao de abril 1 20190619 1151166933

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) repudia firmemente as declarações do Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, que constituem uma ameaça directa à República Bolivariana da Venezuela e uma inaceitável ingerência nos assuntos internos de um país soberano.

    Ao fazer depender uma não intervenção militar externa no pais sul-americano da realização de eleições, o ministro português associa vergonhosamente o nome de Portugal aos que pretendem, a todo o custo, derrubar o governo legítimo da Venezuela para, assim, inverter as conquistas políticas, económicas, sociais e culturais alcançadas nos últimos 20 anos pela Revolução Bolivariana e colocar os vastos recursos naturais do país ao serviço de interesses estrangeiros, em particular dos EUA.

  • Reunião | Encontro pela Paz 2020

    encontro pela paz 2020 1 20190921 1819605729

    No passado dia 12 de Setembro realizou-se uma importante reunião preparatória do próximo Encontro pela Paz, a realizar em 2020. A reunião decorreu na Câmara Municipal de Setúbal e incluiu a sua presidente, Dra. Maria das Dores Meira e o vereador Ricardo Oliveira, o presidente da Câmara Municipal do Seixal, Eng. Joaquim Santos, que coordena o Movimento dos Municípios pela Paz, e a vereadora Manuela Calado, a representante da Câmara Municipal de Loures, Carla Manso, onde se realizou o Encontro pela Paz de 20 de Outubro de 2018, o dirigente do MPPM, Vítor Pinto, a presidente da direção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, acompanhada dos dirigentes Armando Farias e Zulmira Ramos e de Deolinda Machado, membro da Presidência do CPPC.

    No próximo dia 23 de Outubro, na Casa da Paz, prosseguirá a preparação do próximo Encontro pela Paz numa reunião que incluirá as organizações que prepararam e dinamizaram o encontro de 2018.

  • Reunião com a Confederação das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto

    No passado dia 16 de Fevereiro reuniram-se na sede da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto (CPCCRD) delegações das Direcções Nacionais das duas organizações. Pelo CPPC estiveram a presidente da DN Ilda Figueiredo e o dirigente nacional Carlos Carvalho e pela CPCCRD participaram o seu presidente Augusto Flor e os dirigentes Fernando Vaz e Ema Borrego.

    Na reunião foram dadas informações sobre os objectivos e as actividades previstas tendo-se acordado na preparação de um Protocolo de colaboração entre o Conselho Português para a Paz e Cooperação e a Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto, visando a partilha de informações e o apoio mútuo em acções de promoção da Paz.

     

  • Reunião das organizações membro do Conselho Mundial da Paz na Europa

    reuniao das organizacoes membro do conselho mundial da paz na europa 1 20211115 1839381631

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), enquanto coordenador para a Europa do Conselho Mundial da Paz, promove e acolhe dias 12 e 13 de Novembro, em Vila Nova de Gaia, uma reunião das organizações membro do Conselho Mundial da Paz na Europa.
    Nesta reunião, em que se debaterá a situação internacional e o reforço do movimento da paz na Europa, participam as seguintes organizações membro do CMP: INTAL (Bélgica); Conselho da Paz de Chipre; Movimento Checo pela Paz; Movimento pela Paz (França); Aliança pela Paz e a Neutralidade (Irlanda); Conselho da Paz Alemão; Comité Grego para Détente e a Paz; Conselho de Defesa da Solidariedade e da Paz (Espanha); Comité da Paz da Turquia; e, naturalmente, o Conselho Português para a Paz e Cooperação.
    Participam também o Secretário executivo do CMP, o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz e como convidado o Comité Contra a Guerra Milão (Itália).
  • Reunião de preparação do II Encontro pela Paz

    reuniao de preparacao do ii encontro pela paz 1 20211216 1941890289

    Realizou-se, no dia 9 de Dezembro, na Casa da Paz, em Lisboa, uma reunião de organizações que prepararam o II Encontro pela Paz, realizado em 5 de Junho, em Setúbal.
    Na reunião, as organizações fizeram um balanço positivo e de valorização do Encontro e do Desfile que se seguiu, considerando mesmo que se devia integrar em encontros futuros.
    Entretanto, decidiu-se avançar com a publicação de um livro que inclua os documentos e intervenções deste importante encontro e com a preparação de iniciativas convergentes, designadamente assinalar, em Junho do próximo ano, o aniversário do II Encontro pela Paz. 🕊️
  • Reunião do Movimento dos Municípios pela Paz

    reuniao do movimento dos municipios pela paz 1 20210301 1419389476

    Realizou-se a 26 de Fevereiro uma reunião do Movimento dos Municípios pela Paz, coordenado pela Câmara Municipal do Seixal, e em que o CPPC participou tal como cerca de 50 municípios, alguns dos quais não são ainda membros do MMP, mas vários mostraram disponibilidade para aderir.
    Na reunião, realizada por videoconferência, ficou claro que a crise pandémica perturbou muito as atividades dos municípios também nesta área. Mas há uma grande vontade de retomar iniciativas, de diferentes formas, tendo sido aprovado um programa de actividades para 2021, dando particular atenção à preparação do próximo ENCONTRO PELA PAZ, a realizar em Setúbal, em 5 de Junho, à promoção da cultura e da educação para a paz, da luta contra as armas nucleares incluindo a petição pela assinatura e ratificação do Tratado de Proibição de Armas Nucleares, ao Dia Internacional do Desporto pela Paz, em 6 de Abril e ao Dia Internacional da Paz, em 21 de Setembro.
    O CPPC mostrou toda a disponibilidade para continuar e aprofundar a parceria com o Movimento dos Municípios pela Paz e com todos os municípios empenhados em realizar ações convergentes na defesa da paz.
  • REVOLUÇÃO DE ABRIL – VALORES ESSENCIAIS À PAZ

    revolucao de abril valores essenciais a paz 1 20200423 1785379436

    O Povo Português vai, mais uma vez, comemorar e defender os valores democráticos instituídos pela Revolução iniciada a 25 de Abril de 1974, um dos mais importantes acontecimentos da nossa História, semente para as profundas transformações do nosso País, abrindo as portas para os valores da liberdade, da democracia, do desenvolvimento, do progresso social, da soberania e independência nacional, da paz e da cooperação, com importantes repercussões também a nível internacional.

    O 25 Abril permitiu acabar com o fascismo e a guerra colonial, responsáveis pela repressão e miséria da grande maioria da população, conquistar liberdades políticas, sociais e sindicais, incluindo os direitos das mulheres, assim como combater e mais tarde eliminar o trabalho infantil e o analfabetismo.

  • São já 45 organizações e entidades que se associam ao Encontro pela Paz!

    preparativos do encontro pela paz 2 20181020 1665104025

    O Encontro pela Paz continua a crescer e para além das 12 organizações e entidades iniciais, mais 33 já se juntaram a este importante momento para defesa da Paz.

    Promotoras:

    Câmara Municipal de Loures
    Confederação Geral dos trabalhadores Portugueses – Intersindical
    Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto
    Conselho Português para a Paz e Cooperação
    Federação Nacional de Professores
    Juventude Operária Católica
    Liga Operária Católica – Movimento de Trabalhadores Cristãos
    Movimento Democrático das Mulheres
    Movimento Municípios pela Paz
    Movimento Pelos Direitos do Povo Palestino e Pela Paz no Médio Oriente
    Pastoral Operária
    União de Resistentes Antifascistas Portugueses

  • Saudação à Manifestação Nacional da CGTP-IN de dia 20 de Novembro

    saudacao a manifestacao nacional da cgtp in de dia 20 de novembro 1 20211124 1153853496

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) saúda a Manifestação Nacional, convocada pela CGTP-IN para o dia 20 de Novembro de 2021, e junta a sua voz aos que lutam por políticas que valorizem o trabalho e os trabalhadores, nomeadamente através do aumento real dos salários e das pensões, pela erradicação da precariedade e pela valorização das carreiras e das profissões, o que não tem sido devidamente assegurado pelas políticas governamentais. O mesmo tem acontecido no âmbito da política externa portuguesa, em que as políticas seguidas têm vindo a demonstrar uma total subserviência dos interesses nacionais às políticas da União Europeia e dos Estados Unidos da América.
    A exigência de uma política que valorize o trabalho e os trabalhadores, que promova uma mais justa redistribuição da riqueza criada, reforce os serviços públicos e a função social do Estado, constitui um imperativo nacional.
    O Conselho Português para a Paz e Cooperação defende um Portugal de Paz e de progresso só possível com novas políticas que garantam a independência económica e politica face ao exterior, que assegurem o bem-estar de todos os cidadãos, que permitam que todos os portugueses possam usufruir de uma vida digna no presente e assegurem o futuro das gerações vindouras, com paz e progresso social.