Outras Notícias

Palestina

  • Convite | Solidariedade com a Palestina | Exposição de Fotografia

    convite solidariedade com a palestina exposicao de fotografia 1 20210629 1728128418

  • Cordão Humano | Paz no Médio Oriente! Palestina Independente!

    IMG-20240205-WA0032.jpg

    No próximo dia 19 de fevereiro realizamos um novo Cordão Humano pela Palestina.
    Vamo-nos concentrar às 18h na Praça dos Leões (Junto à reitoria da Universidade do Porto).
    Palestina Vencerá!
  • Cordão humano no Porto

    411221875_633406032337509_5075452869746210275_n.jpg

    Com muitas centenas de pessoas realizou-se, hoje, dia 19 de dezembro, um Cordão Humano, no Porto, com o lema “Pela Paz no Médio Oriente / Palestina independente!
    Partindo do largo da estação da Trindade, centenas de pessoas gritaram Não à guerra! Não ao massacre! Palestina vencerá!
    Caminharam até à avenida dos Aliados e juntaram-se na praça Humberto Delgado ao lado da árvore de Natal, onde houve várias intervenções.
    Com apresentação de Taylor, do Projecto Ruído - Associaçao Juvenil, ali se salientou as inúmeras manifestações e concentrações, incluindo no Porto, que ao longo dos dois últimos meses têm, por todo o país, levantado bem alto a sua voz pela paz no Médio Oriente e pela Palestina independente.
    Ali se denunciou que continuamos a assistir à impunidade de Israel que, com o apoio dos seus aliados de sempre, continua a bombardear incessantemente Gaza e agredir o povo palestiniano na Cisjordânia, levando a cabo o massacre mais atroz que vimos neste século e se exigiu, mais uma vez, um cessar-fogo imediato, duradouro e sustentado na Palestina.
    É extremamente urgente um verdadeiro cessar-fogo, como 153 países também o declararam na Assembleia Geral das Nações Unidas e como o têm feito milhares de portugueses nas muitas sessões e manifestações em diversas zonas do país.
    Intervieram o escritor José António Gomes pelo MPPM, o professor Henrique Borges, o sindicalista Miguel Ângelo, pela USP/CGTP-IN e Ilda Figueiredo pelo CPPC.
    Ali se proclamou: Há que pôr fim à guerra!
    Nada justifica o massacre que Israel continua a levar a cabo, depois das terríveis consequências de décadas de brutal ocupação, ampliação de colonatos, cerco, repressão, violências e discriminações de todos os tipos contra o povo palestiniano. E se referiu que continuaremos a sair à rua em solidariedade com a Palestina:
    - Exigindo um cessar-fogo imediato e permanente!
    - Exigindo o fim dos bombardeamentos e ataques israelitas!
    - Exigindo a urgente ajuda humanitária e a reconstrução da Faixa de Gaza!
    - Exigindo o fim da violência dos militares e colonos israelitas na Cisjordânia!
    - Exigindo a criação e o reconhecimento do Estado da Palestina, com o cumprimento das resoluções das Nações Unidas!
    Pela paz!
    Pelos direitos do povo palestiniano!
    PALESTINA VENCERÁ!
  • Cordão Humano pela Palestina - Viana do Castelo | 16 de fevereiro

    421568584_654061893605256_6460238305501513938_n.jpg

    No próximo dia 16 de fevereiro, às 17h30, realiza-se um Cordão Humano em Viana do Castelo, estendendo-se da estação da CP até à Praça da Liberdade.
    Participa!
    Pela Paz no Médio Oriente!
    Palestina Vencerá!
  • CPPC condena decisão dos EUA de reconhecer Jerusalém como capital de Israel e reafirma solidariedade com o povo palestiniano

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) condena firmemente o reconhecimento pelos EUA de Jerusalém como capital de Israel e a anunciada intenção de transferência da embaixada norte-americana para esta cidade, decisão que significa um autêntico acto de agressão ao povo palestiniano, com imprevisíveis e perigosas consequências para a paz em toda a região.

    Com este inaceitável e provocatório passo, os EUA dão uma vez mais, e de forma aberta, cobertura à política sionista de ilegal ocupação de territórios da Palestina, incluindo a ocupação total da cidade de Jerusalém por parte de Israel. Um acto que desmascara o cínico papel dos EUA, que desde sempre apoiou a ocupação e agressão Israelita contra o povo palestiniano, ao mesmo tempo que se apresenta como “mediador imparcial” no conflito.

  • CPPC CONDENA O ASSASSINATO DO MINISTRO PALESTINO ZIAD ABU EIN POR SOLDADOS ISRAELITAS

    O Ministro palestino Ziad Abu Ein, Presidente da Comissão da Autoridade Palestiniana contra o Muro de Separação e os Colonatos e membro do Conselho Revolucionário da FATAH, foi ontem assassinado por soldados israelitas, enquanto participava numa acção pacífica na aldeia de Turmusaya, perto de Ramallah.

    Abu Ein e a população palestina da vila de Turmusaya plantavam oliveiras, um acto simbólico de esperança num futuro de paz para o povo palestino, quando foi brutalmente agredido por soldados israelitas, acabando por falecer.

  • CPPC condena os violentos ataques de Israel ao povo palestino

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) condena de forma veemente os ataques do exército israelita contra o povo palestino, que estão a assumir uma forma ainda mais brutal contra o campo de refugiados palestinos de Jenin.
    Na passada segunda-feira, Israel lançou mais de uma dezena de ataques aéreos contra Jenin, uma agressão que assumiu uma cruel dimensão, resultando pelo menos 10 mortos e muitas dezenas de feridos, alguns deles em estado crítico.
    A escalada da violência por parte das forças e grupos de colonos israelitas tem sido uma constante na região da Cisjordânia. A ilegal ocupação de territórios da Palestina pela força das armas, com o apoio e a cumplicidade das potências ocidentais, mata, martiriza e oprime, há décadas, o povo palestino.
    O CPPC reitera a sua solidariedade com o povo palestino, que sofre, mas também resiste à colonização e à opressão, e apela a que os ativistas pela paz denunciem a ilegal ocupação de territórios palestinos por parte de Israel, os seus criminosos ataques e a escalada de violência no território e promovam a exigência do imediato cumprimento do direito do povo palestino a um Estado soberano e independente, com as fronteiras de 1967 e capital em Jerusalém Oriental, assim como do direito ao retorno dos refugiados, consagrado em inúmeras resoluções da ONU.
    A Direção Nacional do CPPC
    4 de julho de 2023
  • CPPC denuncia, uma vez mais, a violência de Israel contra a Palestina

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) vem, uma vez mais, denunciar a crescente escalada de violência de Israel contra o povo palestino. A violência iniciada a 14 de Julho na Cidade Velha de Jerusalém, território ocupado ilegalmente por Israel, de que resultaram cinco mortos acrescida do encerramento e proibição de entrada de palestinos na Esplanada das Mesquitas (local sagrado do Culto Islâmico), viola todas as normas das Nações Unidas e do Direito Internacional.

    Como protesto, os crentes islâmicos recusaram-se a entrar nos locais sagrados e passaram a fazer as suas orações na rua, sendo acompanhados por muitos cristãos, que igualmente rejeitam a ocupação daquela que é, também para eles, a Cidade Santa.

  • CPPC recebe na Casa da Paz o Dr. Nabil Abuznaid e Haya Eleyan

    cppc recebe embaixador palestina

    Na manhã de dia 23 de fevereiro, Ilda Figueiredo e Julie Neves, da DN do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), receberam, na Casa da Paz - sede do CPPC - o Dr. Nabil Abuznaid, Embaixador da Palestina em Portugal, e Haya Eleyan, da Missão Diplomática da Palestina.
    O Sr. Embaixador deu informações sobre a situação difícil que se vive na Palestina ocupada por Israel, onde o povo palestino continua a sofrer as agressões permanentes dos ocupantes. Foi referido e denunciado o assassinato de 10 palestinos, que teve lugar no dia anterior, pelo exército israelita.
    O CPPC reafirmou a sua solidariedade de sempre com a Palestina e o seu povo e expressou a sua vontade de continuar a realizar iniciativas públicas de denúncia da ocupação e agressão israelita, exigindo a criação do Estado da Palestina nas fronteiras anteriores a junho de 1967, com capital em Jerusalém Oriental; o cumprimento dos direitos do povo palestino e das resoluções da ONU.
  • CPPC saúda condenação dos colonatos de Israel na Palestina

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) saúda a importante resolução do Conselho de Segurança da ONU, que aprovou no dia 23 de Dezembro passado uma resolução condenando as medidas de Israel contra o território palestino, designadamente as que «visam alterar a composição demográfica, o carácter e o estatuto do Território Palestino ocupado desde 1967, incluindo Jerusalém Oriental, incluindo, entre outros, a construção e expansão de colonatos, a transferência de colonos israelitas, a confiscação de terra, a demolição de casas e o desalojamento de civis palestinos, em violação do direito humanitário internacional e das resoluções relevantes».

  • CPPC subscreve apelo à suspensão do Acordo de Associação entre a União Europeia e Israel

     

    O Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e a Paz no Médio Oriente (MPPM), em representação das 14 organizações subscritoras, enviou ontem aos destinatários, o documento "Em nome da Paz e dos Direitos Humanos apelamos à suspensão do Acordo de Associação entre a União Europeia e Israel".

  • CPPC visitou a Palestina de 28 março a 3 de abril de 2019

      cppc visitou a palestina de 28 marco a 3 de abril de 2019 2 20190410 1011004817

    O CPPC deslocou-se à Palestina a convite do Sr. Embaixador da Palestina em Portugal de 28 de março a 3 de abril de 2019, integrado numa delegação do Movimento dos Municípios pela Paz composta por representantes das Câmaras do Fundão, Soure, Seixal, Moita, Cuba, Évora, Lagoa e Loulé, tendo tido reuniões com Governadores e Presidentes de Câmara de diversas cidades e com representantes da Universidade e de agricultores.

    Nesta visita constatou-se as dificuldades que o povo palestino enfrenta no seu dia a dia devido à ocupação ilegal que Israel exerce sobre o seu território, à revelia de várias resoluções da ONU, nomeadamente devido ao controlo de centenas de check points, existência dos colonatos que limitam a utilização da terra, limitação do fornecimento de água e eletricidade, de construção de casas e escolas, destruição de colheitas, provocações e prisões de milhares de homens, mulheres e crianças que não se resignam a esta violência e humilhação.

  • CPPC, solidário com a Palestina, denúncia recente legislação de Israel

    O parlamento israelita aprovou recentemente a lei que visa dar cobertura “legal” retroactiva a cerca de 4000 casas já construídas por israelitas nos territórios palestinianos ocupados, em colonatos que sempre foram e são ilegais à luz do Direito Internacional e que também o eram pela lei israelita antes daquela aprovação.

    Ao colocar sob jurisdição civil a construção de colonatos nos territórios palestinianos ocupados a lei aprovada consubstancia igualmente a política de anexação que o Estado de Israel tem prosseguido na região e da qual nunca desistiu.

    Como se isso não bastasse, o governo de Israel, usando da impunidade com que a comunidade internacional lhe tem permitido actuar, anunciou já projectos de construção de novos colonatos – cerca de mais 6000 casas – nos territórios palestinianos da Cisjordânia e Jerusalém Oriental.

  • CRIANÇAS PALESTINAS HOMENAGEADAS NO BRASIL

     

    No passado dia 25 de Agosto, quando se assinala um ano sobre a mais recente agressão de grande escala de Israel contra o território palestino da Faixa de Gaza, foi assinalado no Brasil, com a plantação de um bosque dedicado às 551 crianças assassinadas durante a operação.

    Foi desta forma que o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ), encerrou o ciclo “Ocupação e Resistência na Palestina – Um ano da Ofensiva israelense”.

    No local da plantação das 551 árvores também foi instalada uma placa com os nomes das crianças palestinas vitimadas e suas idades. Das 2.251 pessoas mortas pela agressão de Israel em 2014, um quarto eram crianças.

    A iniciativa que contou com a participação do Embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Alzeben, da presidente do CEBRAPAZ e do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes (na foto), de autoridades locais e de cerca de 30 alunos do sexto ano da escola Senador Luís Carlos Prestes, teve lugar na Cidade Tiradentes e reafirmou a solidariedade dos brasileiros com o povo palestino, na luta pela paz e na resistência contra a ocupação israelita.

  • Criminosa é a ocupação! Palestina vencerá!


    Mais de 700 assinaturas recolhidas! Assine e divulgue!

    http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT74233

     

  • Cultura pela Palestina

    434109467_687232953621483_8809604592769660284_n.jpg

    Realizou-se, no dia 24 de março, uma sessão cultural de solidariedade com a Palestina.
    No Rossio, em Lisboa, a sessão, apresentada e dirigida por Domingos Pereira, do Projecto Ruído, contou com a participação do @baquemulherlisboa e da leitura de poemas por Fernando Rebelo.
    Intervieram ainda Mariana Silva, do CENA-STE, e José Oliveira, do MPPM, que reafirmam a sua solidariedade com o povo palestiniano e a urgência de um cessar-fogo permanente e imediato.
    Houve ainda tempo e espaço para se continuar a pintura, com impressões digitais, da Bandeira da Palestina!
    434114732_18330526888191345_8971255555825094950_n.jpg
     
  • Dar voz à solidariedade com a Palestina

    A agressão israelita ao povo palestino agrava-se diariamente.
    Ao arrepio das resoluções da ONU e do direito internacional:
    - prossegue a ocupação por Israel dos territórios palestinos, que dura desde 1967
    - intensifica-se a construção de colonatos de Israel nos territórios ocupados palestinos, em que já vivem mais de 600.000 colonos
    - está em risco a sobrevivência dos dois milhões de palestinos em Gaza, cercada há mais de 10 anos por Israel
    - acelera-se o plano do governo israelita de extrema-direita para a anexação dos territórios palestinos ilegalmente ocupados.
    - acentua-se a natureza segregacionista e xenófoba do Estado de Israel.
    - agravam-se as ingerências e a política agressiva de Israel no Médio Oriente

  • Dar voz à solidariedade com a Palestina - Lisboa

    Lisboa voltou a ser palco de um acto público de solidariedade com a Palestina, ao final da tarde de dia 31 de Janeiro junto à Embaixada de Israel.

    Convocada pelo CPPC, CGTP-IN, MDM e MPPM, a iniciativa reuniu mais de uma centena de pessoas, que acompanharam a delegação que naquele dia dirigiu uma carta ao primeiro-ministro de Israel. Momentos antes, na Embaixada dos Estados Unidos, tinha sido entregue outra missiva, endereçada ao presidente Donald Trump.

  • Dar voz à solidariedade com a Palestina - Porto

  • Debate | Liberdade para a Palestina | Fim à ocupação

    debate liberdade para a palestina fim a ocupacao 1 20200526 1768352217