Outras Notícias

  • CPPC expressa condolências pelo falecimento de Roland Weyl 30-04-2021

      O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta profundamente o falecimento de Roland Weyl, no passado dia 20 de abril. Advogado, anti-fascista,...

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

solidariedade

  • 75º aniversário da Vitória sobre o nazi-fascismo

    75 aniversario da vitoria sobre o nazi fascismo 1 20200507 1888887097

    Pela liberdade, a paz e a verdade
    Não ao fascismo e à guerra

    No dia 2 de Maio de 1945, o Exército Soviético tomou o Reichstag, em Berlim. Poucos dias depois, a 8 de Maio, a Alemanha nazi assinava a sua rendição incondicional. No dia seguinte, 9 de Maio, milhões de pessoas comemoraram o dia que passou à História como o dia da Vitória.

    A 6 e 9 de Agosto de 1945, os EUA lançavam o horror atómico sobre Hiroxima e Nagasáqui, cidades de um Japão já derrotado. No dia 2 de Setembro o militarismo japonês capitulava.

    Para trás ficava a maior tragédia humana que a História conheceu. Cerca de 75 milhões de pessoas morreram na Segunda Guerra Mundial. Auschwitz e os muitos outros campos de concentração e extermínio nazis figuram entre os mais hediondos crimes do nazi-fascismo.

  • A Centralidade do Movimento da Paz

    a centralidade do movimento da paz 1 20201102 1259954844
     
    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) realizou, no passado dia 31 de outubro, um debate subordinado ao tema “A Centralidade do Movimento da Paz”, na Sala de Actividades Culturais da Junta de Freguesia de Machico, cujo presidente saudou os presentes, e que contou com a presença e intervenção da presidente da direção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo.
    Com uma participação numerosa e animada, na sessão coordenada por Alex Faria, intervieram também, entre outros, o presidente da Câmara Municipal de Machico.
  • A defesa da paz em tempo de pandemia

    a defesa da paz em tempo de pandemia 1 20200326 1439962025

    O momento complexo e muito imprevisível que estamos a viver, que nos restringe a socialização habitual, exige de todos uma visão mais larga e uma reflexão mais atenta sobre o que se está a passar, designadamente sobre o sofrimento dos povos de países mais vulnerabilizados e o comportamento das grandes potências no plano europeu e mundial, quando se impõe mais solidariedade e cooperação e um esforço redobrado para pôr cobro ao inaceitável recurso à agressão económica e militar nas relações internacionais.

    Este é um momento onde a responsabilidade social não pode ser confundida com um clima de medo, que pode levar à sua banalização e às condições propícias à amputação de direitos, liberdades e garantias fundamentais, enfraquecendo a democracia e criando dificuldades acrescidas ao progresso social e à paz.

  • A justiça é a melhor retaliação

    Por Hikmat Ajjuri, Embaixador da Palestina em Portugal

    Imagens terríveis chegam de Gaza todos os dias desde que Israel começou o genocídio de palestinianos na Faixa de Gaza. Partes de corpos humanos, cabeças divididas a meio, mãe morta com filho bebé abraçados e famílias inteiras enterradas sob os telhados depois de terem sido bombardeadas pelos aviões militares israelitas, navios de guerra e tanques.

    Esta desproporcionalidade da força israelita é, só por si, um crime de guerra, de acordo com a lei da guerra. Se estes crimes tivessem sido perpetrados por qualquer outra força que não a da ocupação israelita, não há dúvida de que a reação da comunidade internacional teria sido obviamente diferente.

    Neste contexto, emergem duas questões legítimas. A primeira n: poderá alguém, com algum senso de humanidade, justificar este genocídio em Gaza às mãos do ocupante contra o ocupado? A segunda é: Não será este assassinato constante dos palestinianos inocentes – enfrentado por um silêncio vergonhoso da comunidade internacional em favor de Israel – o que terá alimentado a criação do radicalismo islâmico?

  • A paz também é “Salário, Emprego, Direitos!”

    a paz tambem e salario emprego direitos 1 20210226 1636350445

    Reafirmando que a defesa da Paz é indissociável da luta dos trabalhadores e dos povos por melhores condições de vida e contra as desigualdades e as injustiças sociais, o Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC) expressa o seu apoio e adesão à jornada nacional de luta convocada pela CGTP-IN para o dia 25 de Fevereiro sob o lema “Salário, Emprego, Direitos!”.

    Um mundo mais justo, mais solidário, de cooperação e de Paz é possível e necessário para assegurar o nosso futuro comum. O CPPC junta-se neste dia 25 de Fevereiro, aos homens e mulheres, à juventude, que estarão em luta pelos seus direitos, porque a defesa da Paz, sendo inseparável da luta pelos direitos laborais e sociais é, também, condição essencial à vida humana, indispensável para garantir a liberdade, a soberania, a democracia e o progresso social.

    Para defender a Paz, para construir um mundo melhor, todos não somos demais!

    Participa!

  • A paz também é “Salário, Emprego, Direitos!” | Lisboa

    a paz tambem e salario emprego direitos lisboa 1 20210301 1213248430

    Reafirmando que a defesa da Paz é indissociável da luta dos trabalhadores e dos povos por melhores condições de vida e contra as desigualdades e as injustiças sociais, o Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC) participou na jornada nacional de luta convocada pela CGTP-IN para o dia 25 de Fevereiro.

  • A paz também é “Salário, Emprego, Direitos!” | Porto

    a paz tambem e salario emprego direitos porto 1 20210301 1392527826

    Reafirmando que a defesa da Paz é indissociável da luta dos trabalhadores e dos povos por melhores condições de vida e contra as desigualdades e as injustiças sociais, o Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC) participou na jornada nacional de luta convocada pela CGTP-IN para o dia 25 de Fevereiro.

  • A REVOLUÇÃO BOLIVARIANA NÃO ESTÁ SÓ!

    a revolucao bolivariana nao esta so 1 20190225 1582449919

    a revolucao bolivariana nao esta so 3 20190225 2026399360

    a revolucao bolivariana nao esta so 2 20190225 1726671317

  • A Venezuela não é uma ameaça!

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação participou no lançamento, em Lisboa, da campanha de recolha assinaturas pela retirada da nota presidencial de Barack Obama, que reforçou as sanções contra a República Bolivariana da Venezuela, considerando que esta representa uma "ameaça inusual e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos". Uma nota que consiste em mais um grave passo na continuada campanha de pressão e ingerência que os EUA têm dirigido contra o povo venezuelano.
    Nesta iniciativa participaram dezenas de portugueses e também de venezuelanos que se encontram no nosso país.
    Lembramos que pode apoiar esta iniciativa em www.change.org/p/presidente-de-ee-uu-barack-obama-retiro-in…

  • A Venezuela no contexto mundial - Seixal

    Realizou-se, no passado dia 27 de Novembro, no auditório dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal, o colóquio “Venezuela no contexto mundial” visando divulgar as importantes conquistas do povo venezuelano durante os 16 anos da Revolução Bolivariana, quando se aproximam as eleições legislativas de 6 de Dezembro e há uma forte campanha mediática de desinformação sobre a situação na República Bolivariana da Venezuela.

  • Acampamento pela Paz - Évora 2015

  • Acampamento pela Paz - Évora 2017

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação, enquanto membro do Comité Nacional Preparatório do 19º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes, apela à participação no Acampamento pela Paz!

  • Acampamento pela Paz | Serpa | 27 a 29 de julho

  • Acampamento pela Paz 2014

    O documento de divulgação do Acampamento pela Paz já está nas ruas.
    Nos próximos dias 25, 26 e 27 de Julho em Évora! Muita animação, convívio, desporto, cultura, debates - claro tudo pela Paz

    Para participares manda mail para Este endereço de correio electrónico está protegido contra leitura por robôs. Necessita activar o JavaScript para o visualizar.

    https://www.facebook.com/plataforma40x25

  • Acampamento pela Paz 2016

  • Ação de Luta da CGTP-IN | 26 de Setembro

    acao de luta da cgtp in 26 de setembro 1 20200929 1917620524

     

    O CPPC - Conselho Português para a Paz e a Cooperação, consciente que a defesa da Paz é indissociável da luta dos trabalhadores e dos povos por melhores condições de vida e contra as desigualdades e as injustiças sociais, expressa o seu apoio e adesão à ação de luta convocada pela CGTP-IN para dia 26 de Setembro.
    Conscientes de que é possível e imprescindível construir um mundo mais justo, mais solidário, de cooperação e de Paz. O CPPC junta-se neste dia 26 aos trabalhadores, os homens e as mulheres, a juventude, que estarão em luta pelos seus direitos, porque a defesa da Paz, sendo inseparável da luta pelos direitos laborais e sociais é, também, condição essencial à vida humana, indispensável para garantir a liberdade, a soberania, a democracia e o progresso social.
    Para defender a Paz, para construir um mundo melhor, avançando nos direitos e valorizando o trabalho e os trabalhadores, todos não somos demais!
    O CPPC participará nas ações em:
    Lisboa
    Local de encontro – placa central do Rossio 14h30
    Porto
    Local de encontro - junto da estação de metro do Campo 24 de Agosto - 15 horas
  • Acção de solidariedade com a Palestina. Paz, Liberdade e Independência!

  • Acção de solidariedade com o povo da Venezuela

    A Venezuela está a ser alvo de uma acção de ingerência e  desestabilização que, explorando reais problemas económicos, visa paralisar a acção do seu legítimo governo, confrontar a Constituição venezuelana e atacar o processo bolivariano e as suas realizações.

     Não são os interesses do povo venezuelano que estão por detrás do boicote económico, açambarcamento e especulação. Não são os valores democráticos que estão por detrás dos actos de violência com que grupos reaccionários e de extrema direita tentam lançar o caos naquele País. Não é a verdade que se defende quando se apresenta como opressor um governo democraticamente eleito que tenta manter a ordem e assume a defesa da lei e da Constituição. Não são os interesses da Venezuela e os valores da paz que estão por detrás das acções de uma “oposição” que instiga à agressão externa contra a Venezuela.

  • Acto público em apoio à democracia no Brasil

    acto publico em apoio a democracia no brasil 1 20180817 1070708196

    Ontem, 15 de Agosto, dia em que Lula da Silva oficializou a sua candidatura, o CPPC participou, com várias outras organizações, no Largo Camões em Lisboa, no acto público em apoio à democracia no Brasil e ao direito a Lula da Silva sair em liberdade e poder se candidatar, em pé de igualdade com os restantes candidatos, às eleições presidenciais no Brasil.

  • Acto público em Lisboa Pela Paz! Fim à agressão à Síria!

    Condenando o ataque dos EUA, do Reino Unido e da França contra a República Árabe Síria, na madrugada de 14 de Abril, e que contou com o expresso apoio da NATO, da União Europeia e de Israel, um conjunto de organizações promove um acto acto público pela paz e pelo fim da agressão à Síria, no próximo dia 19 de Abril, Quinta-feira, no Largo Camões, em Lisboa.

    Esta agressão a um Estado soberano, em completo desrespeito pelos princípios da Carta das Nações Unidas e pelo direito internacional, e sob o pretexto de uma alegada utilização de armas químicas, até ao momento não comprovada, foi desencadeada quando a Síria e o seu povo têm obtido diversas vitórias face aos grupos terroristas – apoiados pelos EUA e diversos países seus aliados – e quando foram alcançados, pelo diálogo e esforços de vários países, importantes avanços no caminho da paz.