Outras Notícias

  • CPPC expressa condolências pelo falecimento de Roland Weyl 30-04-2021

      O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta profundamente o falecimento de Roland Weyl, no passado dia 20 de abril. Advogado, anti-fascista,...

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

Condolências pelo falecimento de Mário Ruivo

O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), ao tomar conhecimento do falecimento de Mário Ruivo, prestigiado professor e investigador, ativista da democracia e da paz, membro da Presidência do CPPC, lamenta a perda do cidadão exemplar e expressa o seu pesar.

Ao longo de toda a sua vida, e desde ainda durante o fascismo, Mário Ruivo foi um combatente pela liberdade e pela democracia, tendo desempenhado funções nos governos provisórios durante a Revolução de Abril. Como professor e investigador ganhou grande projeção no domínio das ciências do mar, mantendo o empenhamento nas causas sociais e na promoção das causas da paz em particular, tendo participado em numerosas iniciativas de solidariedade com os povos vítimas da guerra e da opressão, com destaque para a causa da Palestina.

Neste momento difícil, a direção do CPPC expressa à família de Mário Ruivo as suas mais sentidas condolências e regista o reconhecimento pelo seu exemplo de destacado militante da democracia e de ativista da paz.

A Direcção Nacional do CPPC

Faleceu Fidel Castro

O Conselho Português para a Paz e Cooperação expressa o seu pesar pelo falecimento de Fidel Castro, líder da Revolução Cubana, ontem dia 25 de Novembro, aos 90 anos de idade, dirigindo as suas condolências ao Governo, ao Movimento Cubano pela Paz e pela Soberania dos Povos e ao povo cubanos neste momento de dor.

Ao longo da sua vida Fidel Castro foi um abnegado lutador pela Paz, a soberania, a democracia, a liberdade, o progresso social, pelo desarmamento nuclear, a justiça, a cultura, a amizade e cooperação entre os povos, pela causa libertadora dos trabalhadores e dos povos de todo o mundo. O seu exemplo permanecerá para sempre na memória de todos os amantes do progresso, justiça social e paz.

Afirmando que continuaremos a nossa luta pelos mesmos ideais que orientaram a sua vida, tomando o seu percurso de vida como um exemplo de compromisso com a justiça social e com a defesa da Paz.

Até a vitória, sempre!

26 de Novembro de 2016

Direcção Nacional do CPPC

Falecimento do Dr. Luís de Melo Biscaia, membro da presidência do CPPC

 

A Direcção Nacional do CCPC lamenta informar o falecimento do membro da sua Presidência Dr. Luís de Melo Biscaia, prestigiado antifascista que integrou a campanha do General Humberto Delgado. Autarca por três mandatos na Câmara Municipal da Figueira da Foz foi um destacado militante da causa da paz.

À sua família endereçamos sentidos pêsames.

A Direcção Nacional do CPPC

Cogumelo que era rosa

Cogumelo que era rosa

A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida

Vinícius de Moraes

Era uma vez um cogumelo que era uma rosa,
um poeta chamar-lhe-ia a anti-rosa.
A raiz era de fogo e negra a sua fecúndia
como o seu desígnio negro.
E a raiz caiu do céu.

Cada uma em seu dia, duas rosas bastaram
para varrer uns cento e trinta mil amigos
de crisântemos e flores de cerejeira,
de chá, caligrafia, minúsculos poemas,
libelinhas e templos na floresta.

O cogumelo venenoso era uma rosa sem rosa,
diria o poeta. Nem de espinhos,
nem de espinhos essa rosa americana precisou.

1 de Agosto de 2015

João Pedro Mésseder

 

Homenagem a Laura Lopes e Silas Cerqueira

 

Dezenas de pessoas compareceram à iniciativa que o Conselho Português para a Paz e Cooperação organizou, no passado Sábado dia 31, para homenagear Laura Lopes e Silas Cerqueira, dois históricos lutadores do movimento pela Paz.

A presidente do CPPC, Ilda figueiredo, que dirigiu a iniciativa apresentou cada um dos homenageados:

“LAURA LOPES tem a sua assinatura no documento que deu existência legal ao Conselho Português para a Paz e Cooperação, datado de 24 de Abril de 1976. Fosse só por isso e fazia já parte da história do movimento da Paz português. Mas essa assinatura, longe de ser um acto isolado, expressa um longo e corajoso compromisso com a luta pela Paz, pela justiça e pela liberdade, ao qual Laura Lopes se dedicou ao longo de décadas.

Nascida em Lisboa, em 1923, numa família operária

Ler mais...