Outras Notícias

Dia Internacional de Solidariedade com os Presos Políticos Palestinos em Prisões Israelitas

 

Desde 1974, no dia 17 de Abril, assinala-se uma jornada internacional que expressa solidariedade aos presos políticos palestinos que permanecem nas prisões israelitas.
 
São milhares os presos políticos palestinos, entre os quais se incluem menores de idade, que se encontram encarcerados nas prisões israelitas, muitos dos quais ao abrigo das chamadas detenções administrativas – detenções arbitrárias, emitidas pelos militares israelitas e aprovadas pelos seus tribunais militares, podendo ser continuamente renovadas, impondo anos de prisão sem culpa formada ou julgamento.
 
Apesar de detidos, os presos políticos palestinos tomam parte na resistência do povo palestino, realizando corajosas lutas denunciando o desrespeito dos seus direitos e a violência de que são alvo, incluindo através da realização de greves de fome, pondo em causa as suas condições de saúde e a própria vida.
 
O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) denuncia a detenção dos presos políticos palestinos pelas autoridades de Israel, a negação dos seus mais básicos direitos, incluindo o direito ao julgamento, as situações de humilhação e tortura, a renovação das detenções administrativas – mais um flagrante exemplo de desrespeito do direito internacional por parte de Israel.
 
Um dia após o Dia Internacional de Solidariedade, o CPPC apela a todos os amantes e defensores da Paz que exijam a libertação dos Presos Políticos Palestinos em Prisões Israelitas, o fim da repressão e ocupação israelita, e a implementação do direito do povo palestino ao seu Estado independente e soberano nas fronteiras anteriores a 1967 e com capital em Jerusalém Oriental, do direito de regresso dos refugiados palestinos como consagrado pelas resoluções das Nações Unidas.
 
Palestina Vencerá!
 
A Direção Nacional do CPPC

CPPC no Encontro Intercultural Saberes e Sabores 2022 - Seixal

Realizou-se, entre 1 e 3 abril , no Alto dos Moinhos, no Seixal, o "Encontro Intercultural Saberes e Sabores 2022" em que o CPPC participou com uma banca com os seus materiais de divulgação da Paz, tendo recolhido várias assinaturas para a petição contra as armas nucleares.
O evento tem como objetivo mostrar as atividades desenvolvidas pelas várias associações multiculturais do concelho no âmbito do artesanato, gastronomia, teatro, dança, música e desporto.

Fim à ocupação israelita - Solidariedade com o povo palestino!

 

O Conselho Português para a Paz e Cooperação assinala e comemora o Dia da Terra Palestina que se celebra hoje, dia 30 de Março, reafirmando o fim da ilegal ocupação de territórios palestinos por parte de Israel e a exigência do cumprimento do direito internacional, designadamente dos direitos nacionais do povo palestino.
No dia 30 de Março de 1976, seis jovens palestinos foram assassinados, centenas foram feridos e detidos por tropas israelitas durante a greve geral e grandes manifestações contra a ilegal e violenta expropriação de terras palestinas por parte de Israel, tornando esta data um momento marcante da legítima resistência do povo palestino contra a ocupação, da sua justa luta por uma Palestina livre e independente.
46 anos depois dos acontecimentos de 30 de março de1976, mantém-se o desrespeito do direito internacional, incluindo de múltiplas resoluções da ONU, por parte do Estado de Israel, continuando a verificar-se a ilegal ocupação de territórios palestinos, sustentada na política colonialista e xenófoba das autoridades israelitas, que é apoiada política, financeira e militarmente pelos Estados Unidos da América, mas também pela União Europeia.
Ao evocar o Dia da Terra, o CPPC reafirma a sua condenação da política criminosa das autoridades israelitas e apela ao prosseguimento da ação de solidariedade para com a heróica resistência do povo palestino, exigindo o cumprimento pelos seus inalienáveis direitos nacionais.
O CPPC reafirma que é urgente um caminho que almeje a Paz, caminho esse que tem justamente de passar pelo cumprimento do direito internacional, logo pelo fim da ilegal ocupação dos territórios palestinos por parte de Israel, por um Estado da Palestina livre e independente, nas fronteiras de 1967 e com capital em Jerusalém Leste, conforme as resoluções da ONU, pelo respeito do direito de regresso dos refugiados palestinos, pela libertação dos presos políticos palestinos encarcerados nas prisões israelitas.
O CPPC insta o governo português, no quadro dos princípios da Constituição da República Portuguesa, da Carta das Nações Unidas, do direito internacional, a agir de forma efectiva, nas instituições internacionais, onde se faz representar em prol do cumprimento dos direitos nacionais do povo palestino, há décadas brutalmente desrespeitados por Israel.

Leilão Solidário - Vila Nova de Gaia

Realizou-se, no dia 29 de março, o Leilão Solidário promovido pela Cooperativa Artistas de Gaia e de solidariedade com o povo ucraniano, no Espaço Paz, do Conselho Português para a Paz e Cooperação, que acolheu as obras de 120 artistas, e que teve o apoio da CM de Vila Nova de Gaia, que também se fez representar, incluindo a vereadora do Pelouro da Cultura e o Presidente da Assembleia Municipal.
O leilão foi um êxito, com a venda da maioria das obras adquiridas pelo público numeroso que acorreu ao Espaço da Paz.

Alcácer do Sal | Parar a Guerra! Dar uma Oportunidade à Paz!

 

Também em Álcacer do Sal, no passado dia 26 de março, se realizou uma iniciativa intitulada "Parar a Guerra! Dar uma Oportunidade à Paz!", onde intervieram Rui Garcia, vice-presidente do CPPC, José Santana, pela União Local de sindicatos de Sines e Vítor Proença, presidente da Câmara Municipal. Reafirmou-se a urgência de pôr fim à guerra na Ucrânia e no mundo e promover as negociações alcançado soluções que sirvam aos povos e à Paz!