Outras Notícias

  • CPPC expressa condolências pelo falecimento de Roland Weyl 30-04-2021

      O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta profundamente o falecimento de Roland Weyl, no passado dia 20 de abril. Advogado, anti-fascista,...

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

Exmo. Senhor Lucas Rincón Romero,

Embaixador da República Bolivariana da Venezuela


Transmitimos-lhe e, por seu intermédio, ao povo venezuelano uma calorosa saudação pelas eleições presidenciais ontem realizadas, que elegeram Nicolás Maduro como Presidente da República Bolivariana da Venezuela.

 

 

Um resultado que expressa a vontade do povo venezuelano em defender e prosseguir a revolução bolivariana, o caminho de progresso e justiça sociais, de defesa da paz e da amizade e cooperação com todos os povos do mundo, de afirmação e respeito pela soberania dos povos – valores expressos e consagrados na Constituição Bolivariana.

Um resultado que representa uma vitória não só para o povo e as forças progressistas, democráticas e patrióticas venezuelanas mas, igualmente, para todos aqueles que, como em Portugal, lutam e têm como aspiração um mundo mais justo e de paz.

Denunciando as intenções das forças retrógradas e obscuras que querem recuar ao passado de pobreza e de subordinação do povo venezuelano a interesses estrangeiros, manifestamos a exigência do respeito pela vontade democrática e soberanamente expressa pelo povo venezuelano.

Expressando a confiança que o povo venezuelano continuará a encontrar as soluções para, ultrapassando os maiores desafios e exigentes obstáculos, prosseguir o caminho, encetado em 1998, de emancipação social e nacional, de paz, de amizade e solidariedade com todos os povos do mundo,

Enviamos-lhe saudações de paz,


A Direcção do Conselho Português para a Paz e Cooperação