Outras Notícias

conferência

  • Mais de cem de participantes deram corpo ao Cordão Humano que no passado sábado, 9 de Maio, em Setúbal, partiu do Monumento aos Mortos da 1ª Guerra Mundial e percorreu a Baixa de Setúbal até ao Largo da Misericórdia, evocando os 70 anos da derrota do nazi-fascismo. Naquela data de 1945, forças nazis capitularam em Berlim, frente ao Exército Vermelho.

    A iniciativa foi promovida pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), União dos Sindicatos de Setúbal (USS), Movimento Democráticos de Mulheres (MDM), Comissão de Trabalhadores da Lisnave (ex-Setenave), União dos Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP), Sociedade Musical Capricho Setubalense e a sua Banda - que em 1985 promoveram idêntica acção -, a que se juntaram a Câmara Municipal de Setúbal e o Teatro do Elefante.

    Na parte da tarde decorreu, na Capricho Setubalense, uma conferência que foi precedida pela actuação da Banda dessa colectividade.

  • Realizou-se, no Algarve, um conjunto de debates em três escolas secundárias - Olhão, Lagos e Loulé - envolvendo mais de 300 alunos e diversos professores, sobre a importância da luta pela Paz, num momento tão complexo como aquele que se vive, numa parceria que envolveu o Conselho Português para a Paz e Cooperação, o Sindicato dos Professores da Zona Sul, as direcções dos respectivos agrupamentos e, no caso de Loulé a Câmara Municipal de Loulé.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) participou, no passado dia 8 de Julho, em Varsóvia, na Conferência Internacional contra a NATO, organizada pelo Conselho Mundial da Paz no dia em que se iniciava a cimeira desse bloco político-militar agressivo.

    Na conferência participaram dezenas de delegados de vários movimentos da Paz da Polónia e de mais de 20 outros países.

    Os delegados presentes na conferência participaram ainda na manifestação contra a NATO que ocorreu em Varsóvia no dia 9 de Julho.

     

  •  sessao debate na escola secundaria luis de freitas branco 1 20181209 1995855709

    No passado dia 29, realizou-se uma conferência/debate na Escola Secundária Luís de Freitas Branco (Paço de Arcos / Oeiras) que contou com a presença de mais de uma centena de alunos, professores e elementos da comunidade local, sócios da Associação “Desenhando Sonhos”.

    Esta Sessão teve por base a exposição do CPPC “Pela Paz, Pela Segurança, Pelo Futuro da Humanidade”, exposta na Escola, de 19 a 30 de Novembro, por iniciativa da Associação de Reformados “Desenhando Sonhos” e pelo Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos e a sua abertura foi marcada pela leitura, em grupo, de um poema alusivo à Paz, escrito por alunos do 1º Ano, no âmbito da disciplina de Português.

  • A 12 de abril, terça-feira, pelas 21h30, decorre na Biblioteca Municipal de Loulé a Conferência «Situação internacional, solidariedade com os refugiados e luta pela paz», que será apresentada por Ilda Figueiredo, presidente da direção nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação, e João Martins, vereador da Autarquia com o pelouro da Ação Social.

    Esta conferência, organizada em conjunto pela Câmara Municipal de Loulé e o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), pretende dar particular atenção às causas dos refugiados, às guerras de agressão no Médio Oriente e em África, à situação na Europa e à necessidade do reforço da luta pela paz, para conseguir parar as guerras, aumentar a cooperação e conseguir a paz, o desenvolvimento e o progresso social.

     

  • No âmbito do assinalar dos 68 anos da criação da Organização do Tratado do Atlântico Norte, a 4 de Abril de 1949, o Conselho Português para a Paz e Cooperação promove uma conferência sob o lema "Sim à Paz! Não à NATO!" no próximo dia 1 de Abril pelas 15h na sede nacional da CGTP-IN (Rua Vítor Córdon, nº1 em Lisboa).

    Para além de convidados nacionais participam nesta conferência a organização Italiana "Fórum contra a Guerra" e a organização Belga "INTAL".

    A conferência insere-se num conjunto de iniciativas que o CPPC promoverá de denúncia da natureza agressiva e belicista da NATO e da sua cimeira anunciada para Maio na Bélgica.

    PARTICIPA E DIVULGA!

  • Nos 70 anos da derrota do nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial
    Celebrar a vitória, defender a paz

    Quando se assinala o 70.º aniversário da vitória sobre o nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) reafirma a sua determinação em prosseguir e intensificar a acção de esclarecimento e mobilização da opinião pública para a defesa da Paz, da segurança e cooperação internacionais e para a amizade e solidariedade entre os povos, dando o seu contributo para que tragédia semelhante à que terminou há 70 anos nunca se venha a repetir.

  • Decorreu, no passado dia 20 de Abril, a Conferência sobre o Holocausto e a II Guerra Mundial, que o CPPC realizou em colaboração com o diretor da Escola Secundária Alexandre Herculano, no Porto, no âmbito do protocolo existente com a CMP, tendo a participação do professor universitário Manuel Loff, da presidente da direcção do CPPC, Ilda Figueiredo, e do diretor do agrupamento de escolas, Manuel Lima.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação promoveu no passado sábado a conferência "Celebrar a Vitória, Defender a Paz".

    A conferencia foi moderada por Abílio Fernandes, vice-presidente da Mesa da Assembleia da Paz do CPPC. Na mesa estavam Ilda Figueiredo e Rui Namorado Rosa da direcção nacional do CPPC, Mario Franssen da organização belga "International Action for Liberation - INTAL" e Roger Cole da organização irlandesa "Peace and Neutrality Alliance - PANA".

  • Ilda Figueiredo, presidente da direcção do CPPC, participa amanhã, dia 10 de Janeiro, numa conferência no Parlamento Europeu sobre o Tratado das Nações Unidas de Proibição de Armas Nucleares.
    A iniciativa é promovida pelo Grupo Confederal da Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Verde Nórdica e propõe-se debater num primeiro painel a importância e contributo deste Tratado para construir a paz e, num segundo painel, a acção pela sua ratificação nos diferentes países – com diversas intervenções de organizações do movimento pela paz que foram convidadas.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação participa, hoje em Varsóvia, na Conferência Internacional contra a NATO organizada pelo Conselho Mundial da Paz.

    Nesta conferência participam delegados de mais de 20 países e de organizações internacionais.

    Recordamos que hoje a NATO inicia a sua cimeira de Varsóvia, e que, tal como em vários outros países, em Portugal se realizam várias acções em defesa da Paz e contra os propósitos belicistas desta cimeira, nas quais o CPPC apela à participação de todos.

    8 de Julho

    LISBOA - 18h, na Rua do Carmo

    COIMBRA - 17h, Praça 8 de Maio

    9 de Julho

    PORTO - 11h, Rua de Santa Catarina

  •                                                             

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) participou, em Bruxelas, na Conferência pela Paz sob o lema "Há uma alternativa - Não à NATO!", iniciativa do GUE/NGL, através de Ilda Figueiredo, presidente da Direcção Nacional, Rui Namorado Rosa e José Goulão, da Presidência do CPPC. Também participou a Presidente do Conselho Mundial da Paz (CMP), Socorro Gomes.
    Esta conferência, em que participou um conjunto muito alargado de oradores, activistas e organizações do movimento da paz da Europa e do Mundo, foi organizada no âmbito da realização da Cimeira da NATO, que decorre nos próximos dias 8 e 9 de Julho em Varsóvia.
    Os representantes do CPPC e do CMP denunciaram, nas suas intervenções, o carácter cada vez mais agressivo e belicista da NATO, o novo conceito estratégico da NATO, aprovado na Cimeira de Lisboa, em 2010, que a transformou na principal ameaça à Paz na Europa e no mundo. Mas, como também sublinharam, a guerra não é inevitável! As forças da Paz, os trabalhadores e os povos têm uma palavra a dizer!
    O povo português, em importantes momentos, expressou a sua inequívoca opção pela Paz e contra a participação de forças portuguesas na agressão a outros povos.

  •  

    No dia em que se assinalam 72 anos do bombardeamento nuclear dos EUA contra Nagasáqui, a 9 de Agosto de 1945, divulgamos a declaração final da Conferência Mundial 2017 contra as bombas A & H, que decorreu na cidade de Hiroxima no Japão.

    Declaração

    No dia 7 de Julho deste ano, 72 anos após os bombardeamentos atómicos pelos EUA de Hiroshima e Nagasaki, foi finalmente aprovado um tratado para proibir as armas nucleares. Tendo trabalhado com os Hibakusha [os sobreviventes dos bombardeamentos] desde a Primeira Conferência Internacional contra as Bombas A e H em 1955 apelando para a prevenção da guerra nuclear, a eliminação das armas nucleares e a ajuda e solidariedade com os Hibakusha, saudamos calorosamente a aprovação do tratado como um acontecimento histórico e comprometemo-nos a avançar com determinação renovada para alcançar um "Mundo Livre de Armas Nucleares, Pacífico e Justo".

  • i conferencia internacional contra as bases militares estrangeiras dos eua e da nato dublin 16 a 18 de novembro 2018 1 20181202 1406508235

    Realizou-se, em Dublin, de 16 a 18 do corrente mês de Novembro, acolhida pela Aliança pela Paz e a Neutralidade (PANA) da Irlanda, a I Conferência Internacional Contra as Bases Militares dos EUA e da NATO, em que participaram organizações da paz e anti-imperialistas, entre elas o Conselho Português para a Paz e Cooperação, representado por Filipe Ferreira e Ilda Figueiredo que foi convidada a intervir (ver abaixo) no painel sobre a Europa e a NATO.

    Esta Conferência culminou um movimento lançado nos EUA pela Coligação Contra as Bases Militares dos EUA no exterior, composta por entidades de defesa da paz, do ambiente e dos direitos sociais, a que se associaram organizações de todo mundo, entre as quais o Conselho Mundial da Paz e o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC).

  • "Nos 70 anos da derrota do nazi-fascismo, celebrar a vitória, defender a Paz"

    Em nome do Conselho Português para a Paz e Cooperação saúdo os nossos convidados e aderentes, e de um modo particular Roger Cole do Movimento da Paz Irlandês (PANA), Mario Franssen do Movimento da Paz Belga (INTAL) e todos os participantes nesta importante conferência "Nos 70 anos da derrota do nazi- fascismo, celebrar a vitória, defender a Paz". Saúdo igualmente as organizações que aceitaram o nosso convite e aqui estão presentes, designadamente a CGTP-IN, o MDM, a embaixada da Venezuela, os representantes dos núcleos do CPPC de várias regiões do País, desde o Porto, Coimbra, Lisboa, península de Setúbal, Évora, Beja, Moura até ao Algarve.

    Em nome da direcção nacional informo também os nossos convidados que se realizou esta manhã a 26ª Assembleia da Paz que aprovou os nossos Relatórios de Actividades e de Contas e decidiu apelar ao empenhamento cada vez maior de todos os amantes da Paz, dada a complexidade da situação que se vive.
    Foi também com esse objectivo que decidimos realizar esta Conferência por consideramos importante assinalar o 70.º aniversário da vitória sobre o nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial, reafirmar a determinação do CPPC em prosseguir e intensificar a acção de esclarecimento e mobilização da opinião pública para a defesa da Paz, da segurança e cooperação internacionais e para a amizade e solidariedade entre os povos, dando o seu contributo para que tragédia semelhante à que terminou há 70 anos nunca se venha a repetir.

  • A Peace and Neutrality Alliance -PANA- foi fundada em 1996 para defender que a Irlanda deve ter uma política externa independente própria, com a neutralidade positiva como elemento fundamental. Fizemos isso porque estávamos convencidos de que a elite política irlandesa pretendia destruir a já longa política de neutralidade da Irlanda, que foi um valor histórico profundamente enraizado e entrelaçado com a nossa longa luta pela independência contra a União Britânica e o Império.

    Estávamos convencidos de que o seu propósito foi de assegurar a integração da Irlanda nas estruturas militares no eixo EUA/UE/NATO, a fim de garantir que a Irlanda tivesse um papel fundamental no compromisso com uma guerra perpétua do eixo e com a sua doutrina para garantir o domínio global no século XXI.

    Nós tivemos um papel fundamental em 2003 na mobilização de mais de 100.000 pessoas para marchar contra a guerra do Iraque e a participação da Irlanda nessa guerra ao permitir que as tropas dos EUA desembarcassem no aeroporto de Shannon a caminho de e para a guerra.

  • A vitória sobre o nazi-fascismo e a luta pela Paz

    A Segunda Guerra Mundial é dita decorrer entre 1939 e 1945. Será todavia mais elucidativo tomá-la como um processo histórico, com seus antecedentes, frequentemente remontando à Segunda Guerra Mundial ou à Grande Depressão, e com suas consequências próximas e as que projetou até hoje e no nosso futuro. Aquele período discreto de seis anos compreende a convergência e aceleração de um feixe de processos à escala global, e é pontuado por diversos eventos notórios que, uns e outros merecem a nossa atenção.

    Ao longo da década de 30, foram manifestas as aspirações hegemónicas do Japão e da Alemanha, suportadas nos respetivos ascensos industriais, regimes políticos autoritários e ultranacionalistas e posicionamento militarista.