Outras Notícias

educação

  •  70 anos da declaracao universal dos direitos humanos barreiro 2 20190116 1495334778

    A convite do Agrupamento de Escolas do Barreiro, o CPPC participou na Comemoração dos 70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos que se realizou, no passado dia 10 de Dezembro, na Escola Básica D. Luís Mendonça Furtado, através de duas Sessões, uma com três Turmas dos 7º, 8º e 9º Anos e outra com duas Turmas dos 8º e 9º Anos, em que participaram dezenas de alunos e respetivas Professoras, bem como a Coordenadora da Cidadania, Prof.ª Célia Figueiredo. Anteriormente, em contexto de sala de aula e no âmbito da educação para a Cidadania, aqueles alunos tinham abordado os Direitos Humanos e, sobre eles, efetuado diversos trabalhos que se encontram expostos na Biblioteca.

  • agrupamento de escolas eduardo gageiro promove encontro pela paz 1 20190430 2086718295

    O CPPC participou, hoje, na iniciativa “Encontro Pela Paz” promovida pelo Agrupamento de Escolas Eduardo Gageiro e a Liga dos Amigos da Mina de São Domingos em Sacavém, Loures.

    Nesta iniciativa, onde também participaram representantes do Município de Loures, foram abordados temas como a luta pela paz, a educação e cultura da paz, a solidariedade e cooperação, sublinhando a importância do envolvimento da comunidade educativa nestas iniciativas.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação realizou uma conferência na Escola Secundária Dr. Manuel Laranjeira, em Espinho, com a participação de Ilda Figueiredo, presidente da direção nacional do CPPC, tendo como tema os Direitos Humanos e a importância da Paz no mundo.

    A iniciativa foi muito participada, com cerca de 100 alunos e diversos professores, tendo-se também distribuído o boletim Notícias da Paz e recolhido assinaturas da Petição a exigir a assinatura por Portugal do Tratado de proibição das Armas Nucleares.

  • cppc fala sobre 25 abril em escolas de setubal 1 20190518 1165832279

    A convite de escolas de Setúbal, o Conselho Português para a Paz e Cooperação participou, através da dirigente Zulmira Ramos, em palestras, muito participadas, sobre o “25 de Abril e a Paz”: na Escola Lima de Freitas, no dia 26 abril, e na Escola Sebastião da Gama, no dia 30 de abril.

    Nas palestras, Zulmira Ramos referiu-se à situação de Portugal antes do 25 Abril que se caracterizava, por exemplo, pela existência de miséria, trabalho infantil, ausência de direitos das mulheres, repressão, guerra colonial, analfabetismo, ensino reservado para uns poucos, dando conta também das lutas diversas do povo português e dos povos das ex-colónias contra o fascismo e contra o colonialismo, o que culminaria com a acção do Movimento das Forças Armadas (MFA), que, em conjunto com o povo, pôs fim ao fascismo, permitiu acabar com a guerra colonial, realizar eleições democráticas, melhorar as condições de vida, viver em liberdade e em paz.

  • Celebra-se hoje, 30 de Janeiro, o Dia Escolar da Não-Violência e da Paz, criado por iniciativa do poeta, pedagogo e pacifista espanhol Llorenç Vidal. Desde 1964 que a celebração deste dia pretende sensibilizar políticos, governantes, pais, educadores, professores e jovens para a necessidade de uma educação permanente pela não-violência e pela paz.

    A comemoração deste dia vai de encontro ao espírito do Preâmbulo da Constituição da UNESCO, que consagra a necessidade de educar para a solidariedade e para o respeito pelos outros, porque «uma vez que as guerras nascem na mente dos homens, é na mente dos homens que deve edificar-se a paz». A escolha do dia, longe de ser um acaso, recaiu na data do assassinato de Mahatma Ghandi, dirigente político indiano, intransigente defensor da paz, da não violência, da justiça e da tolerância entre os povos.

  • educacao para a paz 5 20190215 1573917718

    Integrado no programa Educação para a Paz, que o Conselho Português para a Paz e Cooperação está a desenvolver, realizaram-se, em 13 de Fevereiro, no Algarve, dois debates com alunos e professores das Escolas EB Júdice Fialho, em Portimão, e da EB do Parchal, em Lagoa.

    Nos debates, bastante participados, intervieram, designadamente, a professora Isa Martins, da direcção do SPZS, e Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC, tendo sido dada particular atenção à importância da defesa da Paz num momento tão complexo como o que estamos a viver. Houve boa receptividade por parte de alunos e professores.

  • educacao para a paz vila nova de gaia 1 20190408 1575961353

    Em Vila Nova de Gaia, integrado no programa de Educação para a Paz, que o CPPC está a promover em colaboração com a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e as escolas que aderiram, professores e alunos organizaram trabalhos sobre a Paz que esta semana estão expostos nas sedes de alguns agrupamentos de escolas.

    No agrupamento de Escolas Soares dos Reis decorreu ontem, dia 3 de Abril, uma sessão pública com música e poesia que os alunos apresentaram e uma palestra em que interveio a diretora do agrupamento Maria Manuela Vieira Machado e a presidente da Direção Nacional do CPPC, Ilda Figueiredo.

    Nos trabalhos dos alunos, na música e na poesia, a defesa da paz são os denominadores comuns, contrapondo-os à guerra e às tragédias que provoca de destruição, sofrimento e morte. Ilda Figueiredo saudou estes importante contributos para a educação para a paz e para a construção de um mundo com justiça, progresso social e paz, a via necessária para garantir a possibilidade de serem felizes.

    Foram também distribuídos documentos do CPPC.

  • educacao para a paz gaia 1 20190409 2039031994

    No projecto de Educação para a Paz que está a ser desenvolvido em escolas de Vila Nova de Gaia, numa colaboração que o Conselho Português para a Paz e Cooperação lançou em com a respectiva Câmara Municipal, estão a ser expostos trabalhos que alunos realizaram durante o segundo período de aulas. É o caso da Escola Secundária António Sérgio, em cujo átrio está uma exposição de trabalhos de alunos do Agrupamento de Escolas, com professoras que trabalharam na sua execução e montagem.

    No mesmo local está a exposição do CPPC contra as armas nucleares, que inspirou alguns alunos para os trabalhos realizados.

  • educac 1 20190410 1259323092

    Realizou-se um importante de bate orientado por Ilda Figueiredo, sobre o desarmamento nuclear, na Escola Secundária de Canelas, em que participaram cerca de 100 alunos, diversos professores e o director do Agrupamento de Escolas de Canelas, em Vila Nova de Gaia.

    Os alunos realizaram também um grande painel alusivo ao tema e na escola esteve também a exposição do CPPC sobre o perigo das armas nucleares e a exigência da assinatura e ratificação, por Portugal, do Tratado de Proibição das Armas Nucleares.

  • marcha da paz em gaia mobilizou mais de 500 criancas e jovens 1 20190619 1880111559

    Na manhã do passado dia 14 de Junho, mais de 500 crianças, jovens, professores e outros membros da comunidade educativa de cinco agrupamentos de escolas do município de Vila Nova de Gaia realizaram uma marcha pela Paz, entre a praça do Corte Inglés e a praça da Câmara Municipal, ao som dos mareantes, grupo de jovens estudantes de uma das escolas da cidade que tocam bombos.

    Na marcha, desfilaram com faixas e outros materiais pintados pelos alunos nas escolas apelando à paz e denunciando os flagelos da guerra, como aconteceu com os bombardeamentos nucleares de Hiroxima e Nagasaqui, pelos EUA, no final da Segunda Guerra Mundial.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação(CPPC) foi copromotor da grandiosa Marcha em defesa da Escola Pública que se realizou no dia 18 de Junho, em Lisboa.

    O CPPC sublinha a grande importância desta Marcha dado que demonstra o apoio inequívoco do povo português aos princípios constitucionais de defesa da Escola Pública. É através dela que se promove o desenvolvimento de crianças e jovens para que sejam mulheres e homens cultos, responsáveis e solidários, sem preconceitos elitistas, religiosos, políticos, étnicos ou outros, obrigação inalienável do estado que a Escola Pública assegura, formando cidadãs e cidadãos abertos ao mundo e à sua época, patriotas e solidários, indispensáveis para construir a Paz.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação(CPPC) é co-promotor da Marcha em defesa da Escola Pública que se vai realizar no próximo dia 18 de Junho, pelas 14,30, a partir da Praça Marquês de Pombal, em Lisboa.

    É através da Escola Pública que o estado promove o desenvolvimento de crianças e jovens para que sejam mulheres e homens cultos, responsáveis e solidários. E fá-lo sem preconceitos elitistas, religiosos, políticos, étnicos ou outros, porque assume a sua obrigação inalienável de formar cidadãs e cidadãos abertos ao mundo e à sua época, patriotas e solidários, o que é indispensável para se construir a Paz.

    Assim, apelamos a que divulguem e participem na Marcha em defesa da Escola Pública.
    Para os amigos que queiram participar com o CPPC, o ponto de encontro é no Marquês de Pombal / Duque de Loulé (frente ao Banco do Brasil), pelas 14h30.

    A Direcção Nacional do CPPC

  • povos culturas e pontes seixal 1 20190518 1627757480

    Integrada no projeto Povos Culturas e Pontes, realizou-se no dia 7 de maio na Escola da Amora no Seixal o “Dia da Paz e Cidadania Global”, tendo o CPPC feito uma intervenção sobre “Os valores da Paz e Cidadania”.
    Foram apresentados os trabalhos e atividades realizados pelos alunos durante os últimos 2 meses sobre “Comércio Justo”, “Migrações” e “Automatização do Trabalho”.
    Estiveram presentes cerca de 100 alunos, além de professores e o Diretor da Escola da Amora.

     

  • projeto povos culturas e pontes seixal 1 20190524 1410573064

    O CPPC participou, no passado dia 16 de maio no Seixal, no encerramento das Oficinas da Paz e Cidadania Global integradas no Projeto “Povos Culturas e Pontes”, organizado pela comunidade escolar do Seixal e Câmara Municipal.
    Armando Farias, da Direção do CPPC, desenvolveu uma “Conversa sobre a Paz” para cerca de 4 turmas compostas por alunos dos 10 aos 16 anos, tendo sublinhado que, para além da ausência de ações beligerantes e de confrontos armados, a ausência de desigualdades económicas, sociais, culturais e políticas é uma condição fundamental na construção da Paz. Focou também o nível das despesas militares e as consequências das guerras com milhões de mortes, estropiados e refugiados.

    Os alunos transmitiram as conclusões das suas experiências desenvolvidas nas salas de aula sobre o tema dos refugiados, comercio justo e automatização do trabalho.

    Foi ainda apresentada uma pequena peça de teatro e foram declamados poemas em diversas línguas (crioulo de Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, árabe e português).
    A exposição “Décadas de luta pela Paz” esteve exposta assim como os desenhos sobre Direitos Humanos e a Paz.

    Zulmira Ramos, da Direção do CPPC, participou nas Bibliotecas Humanas transmitindo a sua vivência sobre a viagem em que participou, recentemente, à Palestina, referindo as atrocidades cometidas por Israel sobre o povo palestino.

  • um mundo de paz para as criancas crescerem felizes 1 20190605 1592630334

    No momento em que se assinala o Dia da Criança, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) reafirma a sua determinação em prosseguir a sua acção em prol da paz, da cooperação e do progresso, essenciais para que as crianças possam ver consagrados e plenamente respeitados os seus direitos a uma vida feliz, saudável e plena.

    Hoje, por todo o mundo, milhões de crianças sofrem com a guerra, a pobreza, a opressão, a doença, a destruição do meio ambiente. Recursos, essenciais para lhes garantir segurança, educação, saúde e habitação condigna são desviados para o armamento e para a guerra – uma pequena parte dos gastos militares mundiais resolviam os principais problemas que afectam os povos do mundo, e particularmente as crianças. Cruéis bloqueios económicos privam-nas de bens e serviços essenciais.