Outras Notícias

Paz

  • As ameaças à Paz na Europa e no mundo estiveram em debate no colóquio que o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) promoveu esta segunda-feira, 20 de Julho, na biblioteca municipal de Vila Nova de Gaia sobre o tema "A situação na Europa e as ameaças à Paz". Teve a participação de Ilda Figueiredo, presidente da direcção nacional do CPPC, e de José Goulão, jornalista e membro da Presidência do CPPC, e de muitas dezenas de pessoas.

  •  

    O núcleo de Coimbra do CPPC realizou nesta 4ª Feira, 24 de Junho de 2015, na Pr. 8 de Maio, um debate com o tema: "A situação na Ucrânia fragiliza a PAZ na Europa" que contou com a presença de Luís Carapinha, especialista em questões internacionais.

    No debate foi referido o enquadramento histórico do conflito ucraniano, analisada a situação dos interesses envolvidos no conflito aberto na sequência dos acontecimentos na Praça Maidan e do golpe de estado subsequente apoiado e financiado pelos Estados Unidos da América e incentivado pela União Europeia, que levou ao poder as forças fascistas. Foi ainda sublinhada no debate a resistência das populações do Leste da Ucrânia ao golpe de Estado dito "pró-ocidental" e à guerra fraticida que foi movida pelo poder golpista à região do Leste da Ucrânia.

  • Abre amanhã, 8 de Julho, pelas 10 horas a exposição Artistas pela Paz, com obras de 31 artistas (pintura, escultura e fotografia) integrada na II Bienal de Arte Internacional Gaia 2017. Estará patente ao público até 30 de Setembro.

    Esta exposição de 31 obras de artistas empenhados na Paz, resulta de uma parceria ente o Conselho Português para a Paz e Cooperação e a Cooperativa Cultural Artistas de Gaia. Conta com o apoio da Câmara Municipal de Gaia.

    A curadoria da exposição da Paz é de Ilda Figueiredo e Mirene.

    Estão todos convidados para a inauguração.

  • Um grande concerto pela paz na cidade do Porto

    Promovido pelo CPPC realizou-se neste Domingo, dia 18, no histórico e lindíssimo Teatro Rivoli da cidade do Porto, mais uma sessão cultural pela Paz. Numa sala totalmente lotada pelas centenas de pessoas que afluíram ao belíssimo concerto de artistas e músicos portuenses, não podemos deixar de enaltecer o espírito presente em todos os que participaram neste evento, de alegria, confiança e apego aos valores da paz e da solidariedade com todos os povos do mundo.

  • Concerto pela Paz, promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, em Gaia, com apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e da Associação de Colectividades de Gaia, no dia 18 de Março, em que participaram: Academia de Música de Vilar do Paraíso, Associação Cultural e Musical de Avintes, Conservatório Superior de Música de Vila Nova de Gaia, Escola de Música de Perosinho, Ginasiano Escola de Dança, Ilha Mágica, Orfeão da Madalena e o pianista Sérgio Garcia. Apresentou a actriz Olga Dias.

  •  cppc em montemor o novo 1 20180906 1243261524

    O CPPC esteve presente em mais uma edição da Feira da Luz/Expomor, iniciativa promovida pelo município de Montemor-o-Novo e que este ano se realizou entre 29 de Agosto e 3 de Setembro. Com um rico programa de espectáculos, exposições e expositores de produtores e associações locais, a iniciativa reuniu novamente milhares de pessoas.

    Do programa constava uma Conversa Sobre a Paz, que se realizou no dia 31 de Agosto no auditório das freguesias. Na ocasião, Gustavo Carneiro, da direcção nacional do CPPC, adiantou as principais ameaças à paz e segurança internacional que marcam a actualidade e destacou a necessidade de uma maior mobilização em torno da salvaguarda da paz e da solidariedade aos povos vítimas da guerra e da opressão. Destacou, neste processo, a importância do Encontro pela Paz que o CPPC promove no próximo dia 20 de Outubro, em Loures, em conjunto com muitas outras organizações e autarquias.

    Dois dias antes, o vice-presidente da direcção nacional do CPPC, Amílcar Campos, esteve presente na cerimónia de abertura da Feira da Luz/Expomor 2018. Acompanhado pelo presidente do municipio, António Pinetra, o dirigente do CPPC visitou o stand no Movimento dos Municípios pela Paz, onde estava patente a exposição produzida pelo CPPC para sustentar a campanha adesão de Portugal ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares.

  • O CPPC apresentou no sábado, 22, o livro «Décadas de Luta pela Paz», numa sala do Fórum Lisboa. Com a presença dos activistas que mais directamente participaram na concepção do livro e dos presidentes da Direcção Nacional e da mesa da Assembleia da Paz, Ilda Figueiredo e António Avelãs Nunes, a sessão constou de uma abordagem ao conteúdo do livro, no qual estão expressas as principais causas, campanhas e acções realizadas pelo movimento da paz desde finais dos anos 40 do século XX e particularmente nas últimas quatro décadas, após a formalização jurídica do CPPC.
    Valorizada foi também a actualidade da obra, pois muito embora tenha um inegável carácter histórico, revela que as causas que ainda hoje movem o CPPC são, na sua maioria, as mesmas que motivaram o arranque do movimento da paz, poucos anos após o final da Segunda Guerra Mundial: a exigência de proibição das armas nucleares e de destruição massiva, a dissolução dos blocos político-militares, o fim das bases militares em território estrangeiro, a solidariedade aos povos que enfrentam a guerra, a opressão e a ingerência.
    Ilda Figueiredo e António Avelãs Nunes valorizaram a edição do livro, considerando-o uma homenagem a todos quantos, ao longo dos anos, se bateram pela paz e a solidariedade e um importante instrumento de acção do CPPC pelos seus objectivos.

  • No âmbito do protocolo entre o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) e a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, a presidente da direcção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, participou num animado debate, na biblioteca da Escola Sophia de Mello Breyner, em Arcozelo- Vila Nova de Gaia, sobre a importância da luta pela Paz, com a participação de várias turmas de alunos e alguns professores.

    Entretanto, no átrio da Escola, encontra-se a exposição "100 anos da Grande Guerra e a Luta pela Paz" que tem sido visitada por alunos e professores.

  •  debate sobre a paz com sindicalistas do porto 1 20181008 1619391363

    Em representação do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Ilda Figueiredo participou com Miguel Ângelo Pinto e Alcino Santos dirigentes do SITENOR/CGTP-IN, na Casa Sindical, no Porto, num debate com sindicalistas sobre a Paz, onde foram abordados diversos aspectos da situação internacional e das ameaças à paz que persistem em vários locais do Mundo, dando particular atenção ao Médio Oriente e à América Latina, à corrida aos armamentos e ao crescimento do fascismo, designadamente em vários países da Europa, o que exige um reforço do movimento da paz.

    Neste sentido, foi dada particular atenção à importância do Encontro pela Paz, que se vai realizar em 20 de Outubro, em Loures, que 12 organizações sociais estão a promover e que, entretanto, já ganhou o apoio de muitas mais.
    Temas como a Paz e o Desarmamento, a Cultura e a Educação para a Paz e a Solidariedade e Cooperação, que serão mesas de debate no Encontro pela Paz, tiveram particular destaque nesta iniciativa muito participada, com sindicalistas empenhados em dar o seu contributo na defesa da paz, tendo diversos manifestado a sua vontade de participar no próximo Encontro pela Paz, em Loures.

  • No Auditório Municipal Lourdes Norberto (Linda – a –Velha) realizou-se no dia 21 de Setembro uma Sessão Comemorativa do Dia Internacional da Paz.

    Na sessão - debate Intervieram Carlos Carvalho da Direcção Nacional do CPPC, Amilcar Campos activista do CPPC, Augusto Flor Presidente da Confederação Portuguesa das Colectividades de Recreio, Cultura e Desporto e Célia Portela da União dos Sindicatos de Lisboa / CGTP-IN, seguida de um animado debate com os participantes. Ao que se seguiu um acto cultural em que foi declamada poesia por Armando Caldas e Fernando Tavares Marques e um momento musical com a intervenção do cantor Batista.

     

  • Decorreu no passado dia 17 de março, uma palestra na Ancorensis Cooperativa de Ensino, na 10ª edição da Semana da Leitura com o lema "Elos para a construção de sociedades inclusivas" em que participou a presidente da Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação, Ilda Figueiredo, que teve a participação de mais de 100 alunos e alguns professores.

    No debate deu-se particular importância às condições de progresso e desenvolvimento social, à liberdade e à democracia, aos valores de Abril que a Constituição da República consagra, o que foi particularmente assinalado tendo em conta o seu 40º aniversário. Debateram-se também as causas e os responsáveis da situação dos refugiados e abordou-se a solidariedade, a necessidade de respeito pelos direitos e pela dignidade humana, criticando-se as posições de quem fomenta as agressões e as guerras, apelando-se a que cessem nas guerras e se apoie a recuperação para que haja desenvolvimento e progresso social e os refugiados possam voltar às suas terras de origem em condições de paz.

  •  encontro pela paz divulgado em viana do castelo 2 20181008 1285900206

    Com o tema " Pela Paz todos não somos demais" decorreu, no passado dia 3 de Outubro, em Viana do Castelo, no salão nobre do Vianense, um debate muito participada. Foram oradores a psicóloga Carla Oliveira, a professora Florbela Sampaio, o professor e sindicalista Francisco Vaz, a vereadora Cláudia Marinho e o padre Renato Oliveira.

    Ilda Figueiredo, presidente da direcção do Conselho Português para a Paz e Cooperação, moderou o debate onde se abordaram importantes temas da actualidade nacional e internacional, com destaque para a necessidade do desarmamento universal, simultâneo e controlado, dando particular atenção à necessidade de Portugal também assinar e ratificar o Tratado de Proibição de Armas Nucleares, se referiram causas e consequências das guerras que persistem em vários locais do mundo, se falou da necessidade de reforçar a cultura e a educação para a paz.

    Particular destaque foi dado ao Encontro pela Paz, a realizar em Loures, no próximo dia 20 de Outubro, e ao apelo à participação dos presentes.

  • O CPPC realizou hoje, 1 de Fevereiro, no Chiado em Lisboa uma conferência de imprensa sobre a campanha visando a adesão de Portugal ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares.

    Enquanto decorria a conferência de imprensa, activistas do CPPC distribuíram folhetos e recolheram assinaturas para a petição promovida pela campanha.

    O comunicado de imprensa:

  •  sessao debate na escola secundaria luis de freitas branco 1 20181209 1995855709

    No passado dia 29, realizou-se uma conferência/debate na Escola Secundária Luís de Freitas Branco (Paço de Arcos / Oeiras) que contou com a presença de mais de uma centena de alunos, professores e elementos da comunidade local, sócios da Associação “Desenhando Sonhos”.

    Esta Sessão teve por base a exposição do CPPC “Pela Paz, Pela Segurança, Pelo Futuro da Humanidade”, exposta na Escola, de 19 a 30 de Novembro, por iniciativa da Associação de Reformados “Desenhando Sonhos” e pelo Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos e a sua abertura foi marcada pela leitura, em grupo, de um poema alusivo à Paz, escrito por alunos do 1º Ano, no âmbito da disciplina de Português.

  • pela paz pela seguranca pelo futuro da humanidade pela assinatura por parte de portugal do tratado de proibicao de armas nucleares 1 20181014 1005751392

    Na sequência da entrega da petição “Pela Paz, Pela Segurança, Pelo Futuro da Humanidade – Pela assinatura por parte de Portugal do Tratado de Proibição de Armas Nucleares”, o Conselho Português para a Paz e Cooperação, representado por Ilda Figueiredo e por Filipe Ferreira, e a Associação Projecto Ruído, representada por Gonçalo Costa, foram ouvidos na Comissão Parlamentar de Negócios Estrangeiros da Assembleia da República, no passado dia 9 de Outubro.

    Nessa audição, as organizações, em nome dos peticionários, reafirmaram as razões da Campanha que promoveu a petição, sublinhando que salvaguardar a paz é um dos grandes desafios que está hoje colocado à Humanidade, pois sem paz não há progresso, desenvolvimento, justiça social, educação, saúde, cultura. As organizações lembraram ainda porque Portugal deve estar do lado da paz, do desarmamento, da soberania e da cooperação, do lado da Constituição da República Portuguesa que consagra no seu artigo 7.º a defesa da paz, a igualdade entre estados, a abolição de qualquer forma de dominação nas relações entre os povos, a abolição dos blocos político-militares e o desarmamento geral, simultâneo e controlado. não há «compromisso» na política externa do País maior e mais importante do que este.

    A petição será agendada para debate em Plenário da Assembleia da República, uma vez que conta com mais de 13 000 assinaturas, bastante acima das 4000 necessárias para que tal aconteça.

  • «Paz, Democracia e Cidadania» é o tema central da 9.ª edição do Encontro Intercultural Saberes e Sabores, promovido pela Câmara Municipal do Seixal, que tem lugar de 9 a 13 de março, no Pavilhão Municipal do Alto do Moinho, este ano sob o mote do Ano Internacional do Entendimento Global.

    9 de março, quarta-feira
    20.30 horas

    Sessão de Abertura
    Colóquio Paz: Uma Urgência dos Nossos Dias
    Org.: Conselho Português para a Paz e Cooperação
    Auditório | Espaço de Reflexão

  • 21 de setembro dia internacional da paz 1 20180924 2050152697

    Alarguemos a acção pela paz,
    pelo desarmamento, pela solidariedade

    Neste Dia Internacional da Paz, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) reafirma o seu compromisso de sempre de agir com todos quantos, na sua acção quotidiana, defendem os valores da paz, do desarmamento, do respeito pela soberania dos Estados e dos povos e a solidariedade com todos os que, por esse mundo fora, se batem pelo respeito do direito a decidir livremente do seu próprio futuro e pelo progresso social.

    A actual situação internacional, marcada por imensos riscos para a paz e segurança mundial, coloca a necessidade de uma ampla convergência de vontades em defesa da paz, pelo desanuviamento das relações internacionais, pelo respeito da soberania dos povos e da independência dos Estados, conforme preconizado na Carta das Nações Unidas e no direito internacional, pelo progresso, pela solidariedade, pela rejeição das guerras de agressão, pelo fim da corrida aos armamentos, pela abolição das armas nucleares, pelo encerramento das bases militares estrangeiras, pelo fim dos blocos político-militares, pelo fim da política de chantagem, de ingerência, de bloqueios e de sanções nas relações internacionais.

  • 21 de setembro dia internacional da paz 1 20180916 1617211584