Outras Notícias

Educação para a Paz

  • Hoje, na Escola Básica e Secundária do Cerco do Porto, na inauguração da exposição seguida de debate, sobre "Construir a Paz com os valores de Abril", também de uma exposição de alunos da Escola sobre o 25 de Abril, e de uma instalação preparada em conjunto com alunos e professsora. Estas iniciativas decorreram no âmbito do protocolo entre o Conselho Português para a Paz e Cooperação e a Câmara Municipal do Porto. Participaram quatro turmas de alunos e diversos professores, reafirmaram-se os valores de Abril inscritos na Constituição da República Portuguesa, que agora celebra 40 anos de existência, e falou-se das lutas pela Paz que o CPPC prossegue.

  • A convite da Professora de Filosofia Maria José Cantarinha, da Escola Secundária de Santo António, no Barreiro, o CPPC, por intermédio de Amílcar Silva Campos, participou a 7 de Março, num Colóquio subordinado ao tema “Cidadania, Direitos Humanos e Paz”.

    Esta iniciativa que suscitou o interesse e participação dos jovens presentes, realizou-se no âmbito do Plano Anual de Atividades do Grupo de Filosofia da referida Escola e dirigiu-se a duas turmas do 10º Ano que, no decurso do presente Ano Letivo, já haviam trabalhado e divulgado, junto das restantes Turmas, os temas da Paz e dos Direitos Humanos.

     

  • No âmbito do protocolo entre o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) e a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, a presidente da direcção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, participou num animado debate, na biblioteca da Escola Sophia de Mello Breyner, em Arcozelo- Vila Nova de Gaia, sobre a importância da luta pela Paz, com a participação de várias turmas de alunos e alguns professores.

    Entretanto, no átrio da Escola, encontra-se a exposição "100 anos da Grande Guerra e a Luta pela Paz" que tem sido visitada por alunos e professores.

  • Realizou-se, no Algarve, um conjunto de debates em três escolas secundárias - Olhão, Lagos e Loulé - envolvendo mais de 300 alunos e diversos professores, sobre a importância da luta pela Paz, num momento tão complexo como aquele que se vive, numa parceria que envolveu o Conselho Português para a Paz e Cooperação, o Sindicato dos Professores da Zona Sul, as direcções dos respectivos agrupamentos e, no caso de Loulé a Câmara Municipal de Loulé.

    A propósito do 40º aniversário da Constituição da República Portuguesa (CRP), a presidente da direcção nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação, Ilda Figueiredo, abordou a sua importância para a defesa e promoção da Paz, designadamente o seu artigo 7º, referindo-se à luta contra o colonialismo e o fascismo, à revolução de Abril e aos seus valores que a CRP consagra, de que a Paz é um dos mais importantes.

    Em Loulé, na noite do dia 12 Abril, realizou-se uma animada Conferência na Biblioteca Municipal de Loulé com largas dezenas de participantes, sobre a «Situação internacional, solidariedade com os refugiados e luta pela paz», numa parceria com a Câmara Municipal de Loulé, em que participaram, entre outros, Ilda Figueiredo pelo CPPC, o vereador João Martins e o Presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vitor Aleixo.

    Em Lagos, realizou-se uma reunião com a Presidente da Câmara Municipal, Maria Joaquina Matos, tendo sido abordada a possibilidade de realizar uma parceria entre a Câmara Municipal de Lagos e o CPPC visando a educação e a cultura para a Paz.

  • Hoje, em duas escolas de Perafita (Ribeiras e Perafita), em Matosinhos, a presidente da direcção nacional do CPPC participou em iniciativas de educação para a Paz, envolvendo mais de 150 alunos e diversos professores.

    Ali se falou da Paz, da sua importância, dos seus vários pressupostos, da revolução de Abril em Portugal que pôs fim ao fascismo e à guerra colonial, com a liberdade, a democracia, os direitos e progresso social, condições indispensáveis para a paz.

     

  • Na biblioteca da Escola Secundária Filipa de Vilhena, no Porto, onde está a exposição " Construir a Paz com os valores de Abril" do Conselho Português para a Paz e Cooperação, decorreu uma palestra com a participação da Presidente da Direcção Nacional do CPPC, Ilda Figueiredo e cerca de 100 alunos e diversos professores.

    Em debate estiveram a importância da revolução de Abril e a Constituição da República Portuguesa, pondo fim ao colonialismo e ao fascismo, definindo o caminho para se conseguir o desenvolvimento e progresso social, a paz, defendendo a soberania e independência nacionais, a solidariedade e a cooperação com todos os povos do mundo.

  • Decorreu no passado dia 17 de março, uma palestra na Ancorensis Cooperativa de Ensino, na 10ª edição da Semana da Leitura com o lema "Elos para a construção de sociedades inclusivas" em que participou a presidente da Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação, Ilda Figueiredo, que teve a participação de mais de 100 alunos e alguns professores.

    No debate deu-se particular importância às condições de progresso e desenvolvimento social, à liberdade e à democracia, aos valores de Abril que a Constituição da República consagra, o que foi particularmente assinalado tendo em conta o seu 40º aniversário. Debateram-se também as causas e os responsáveis da situação dos refugiados e abordou-se a solidariedade, a necessidade de respeito pelos direitos e pela dignidade humana, criticando-se as posições de quem fomenta as agressões e as guerras, apelando-se a que cessem nas guerras e se apoie a recuperação para que haja desenvolvimento e progresso social e os refugiados possam voltar às suas terras de origem em condições de paz.

  • importantes iniciativas do cppc no algarve 3 20191108 1441765580

    Nos dias 30 e 31 de outubro realizaram-se, no Algarve, importantes iniciativas do CPPC na área da educação para a paz, com debates muito participados em duas escolas de Faro (ES Tomás Cabreira e EB23 dr. Joaquim de Magalhães) e ES de Loulé onde se conversou com alunos e professores sobre a importância da luta pela paz, explicando os objetivos do CPPC e os seus princípios baseados no artigo 7º da Constituição da República Portuguesa.
    Foram dados alguns exemplos antigos e atuais, incluindo a importância da revolução de Abril, a luta contra o fascismo, o colonialismo e o nazi-fascismo, a defesa do desarmamento nuclear e das alternativas à guerra e ao militarismo, dando particular importância à cooperação e à solidariedade na defesa do direito soberano dos povos escolherem o seu caminho de progresso social e de paz.

  • na covilha centenas de estudantes marcharam pela paz 1 20180610 1813935373

    Os alunos do Agrupamento de Escolas Frei Heitor Pinto saíram à rua esta quarta-feira numa Marcha pela Paz. A iniciativa foi promovida por aquele estabelecimento de ensino e contou com o apoio e participação do Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC). A acção decorreu em simultâneo nas três escolas que compõem aquele agrupamento: na cidade da Covilhã e nas freguesias de Tortosendo e Paúl. Nos dias que precederam a Marcha, os alunos realizaram diversas actividades escolares relacionadas com o tema da educação para a paz. No final da Marcha, em que também participaram professores e encarregados de educação, foi inaugurado um mural, junto ao edifício – sede do agrupamento escolar, pintado pelos próprios alunos, com mensagens alusivas aos valores da paz, da cooperação, da igualdade, da tolerância e amizade com todos os povos do mundo.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação foi convidado a participar nas Comemorações do Dia Municipal da Comunidade Migrante junto das Escolas Secundárias do Seixal com o Colóquio “A Paz na Atualidade”.

    No passado dia 21, esteve na Escola Secundária Manuel Cargaleiro; no dia 26, na Escola Secundária da Amora; e, no dia 27, na Escola Secundária Alfredo dos Reis Silveira.

    O CPPC teve assim a oportunidade de afirmar os seus valores e de dar a conhecer as suas lutas desde a sua génese, à sua legalização (24 de abril de 1976) e aos dias de hoje.

    Todas as sessões realizadas foram marcadas pela grande recetividade às questões da Paz, da Solidariedade e da Cooperação, bem como aos Valores de Abril e à Constituição da República Portuguesa que os consagra, no contexto de um assinalável trabalho de coesão e inclusão social, realizado pelos Serviços Municipais junto das Escolas e, por outro lado, de uma preocupação efetiva das Escolas no desenvolvimento cívico dos seus alunos.

  •  sessao debate na escola secundaria luis de freitas branco 1 20181209 1995855709

    No passado dia 29, realizou-se uma conferência/debate na Escola Secundária Luís de Freitas Branco (Paço de Arcos / Oeiras) que contou com a presença de mais de uma centena de alunos, professores e elementos da comunidade local, sócios da Associação “Desenhando Sonhos”.

    Esta Sessão teve por base a exposição do CPPC “Pela Paz, Pela Segurança, Pelo Futuro da Humanidade”, exposta na Escola, de 19 a 30 de Novembro, por iniciativa da Associação de Reformados “Desenhando Sonhos” e pelo Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos e a sua abertura foi marcada pela leitura, em grupo, de um poema alusivo à Paz, escrito por alunos do 1º Ano, no âmbito da disciplina de Português.

  •  70 anos da declaracao universal dos direitos humanos barreiro 2 20190116 1495334778

    A convite do Agrupamento de Escolas do Barreiro, o CPPC participou na Comemoração dos 70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos que se realizou, no passado dia 10 de Dezembro, na Escola Básica D. Luís Mendonça Furtado, através de duas Sessões, uma com três Turmas dos 7º, 8º e 9º Anos e outra com duas Turmas dos 8º e 9º Anos, em que participaram dezenas de alunos e respetivas Professoras, bem como a Coordenadora da Cidadania, Prof.ª Célia Figueiredo. Anteriormente, em contexto de sala de aula e no âmbito da educação para a Cidadania, aqueles alunos tinham abordado os Direitos Humanos e, sobre eles, efetuado diversos trabalhos que se encontram expostos na Biblioteca.

  • Durante os dias 24 e 25 de Janeiro, uma delegação do CPPC incluindo Ilda Figueiredo, presidente da direcção nacional, e Sofia Costa, do núcleo do CPPC no Algarve, acompanhadas de Isa Martins, representante do Sindicato dos Professores da Zona Sul, reuniram com diversas instituições de Loulé, Faro, Olhão e Vila Real de Santo António, para programar actividades e parcerias no âmbito da educação para a paz, da cultura da paz e da campanha pela assinatura e ratificação por Portugal do Tratado de Proibição das Armas Nucleares.

  • agrupamento de escolas eduardo gageiro promove encontro pela paz 1 20190430 2086718295

    O CPPC participou, hoje, na iniciativa “Encontro Pela Paz” promovida pelo Agrupamento de Escolas Eduardo Gageiro e a Liga dos Amigos da Mina de São Domingos em Sacavém, Loures.

    Nesta iniciativa, onde também participaram representantes do Município de Loures, foram abordados temas como a luta pela paz, a educação e cultura da paz, a solidariedade e cooperação, sublinhando a importância do envolvimento da comunidade educativa nestas iniciativas.

  • coloquio pela paz todos nao somos demais 1 20190510 1962992522

  • Decorreu, no passado dia 20 de Abril, a Conferência sobre o Holocausto e a II Guerra Mundial, que o CPPC realizou em colaboração com o diretor da Escola Secundária Alexandre Herculano, no Porto, no âmbito do protocolo existente com a CMP, tendo a participação do professor universitário Manuel Loff, da presidente da direcção do CPPC, Ilda Figueiredo, e do diretor do agrupamento de escolas, Manuel Lima.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação realizou uma conferência na Escola Secundária Dr. Manuel Laranjeira, em Espinho, com a participação de Ilda Figueiredo, presidente da direção nacional do CPPC, tendo como tema os Direitos Humanos e a importância da Paz no mundo.

    A iniciativa foi muito participada, com cerca de 100 alunos e diversos professores, tendo-se também distribuído o boletim Notícias da Paz e recolhido assinaturas da Petição a exigir a assinatura por Portugal do Tratado de proibição das Armas Nucleares.

  • O CPPC participou, no dia 19, num debate na Escola Secundária Camões, em Lisboa, inserido na campanha pela adesão de Portugal ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares. A iniciativa nasceu dos próprios estudantes, que, em Reunião Geral de Alunos, mandataram a direcção da Associação de Estudantes para que promovesse acções pela Paz. Daí partiu o convite ao CPPC.

  • cppc fala sobre 25 abril em escolas de setubal 1 20190518 1165832279

    A convite de escolas de Setúbal, o Conselho Português para a Paz e Cooperação participou, através da dirigente Zulmira Ramos, em palestras, muito participadas, sobre o “25 de Abril e a Paz”: na Escola Lima de Freitas, no dia 26 abril, e na Escola Sebastião da Gama, no dia 30 de abril.

    Nas palestras, Zulmira Ramos referiu-se à situação de Portugal antes do 25 Abril que se caracterizava, por exemplo, pela existência de miséria, trabalho infantil, ausência de direitos das mulheres, repressão, guerra colonial, analfabetismo, ensino reservado para uns poucos, dando conta também das lutas diversas do povo português e dos povos das ex-colónias contra o fascismo e contra o colonialismo, o que culminaria com a acção do Movimento das Forças Armadas (MFA), que, em conjunto com o povo, pôs fim ao fascismo, permitiu acabar com a guerra colonial, realizar eleições democráticas, melhorar as condições de vida, viver em liberdade e em paz.

  • Nos passados dias 22 e 23 de Fevereiro realizaram-se no Algarve diversas iniciativas, envolvendo cerca de 400 pessoas, na sua maioria jovens, de diversas escolas secundárias onde se realizaram debates sobre a actualidade da luta pela Paz.

    Em colaboração com o Sindicato dos Professores da Zona Sul e as direcções das Escolas Secundárias de Tavira e Pinheiro e Rosa de Faro, Ilda Figueiredo, presidente da direcção nacional do CPPC participou em debates que abordaram diversas questões da actualidade e assinalaram o 40º aniversário da Constituição da República Portuguesa (CRP), abordando sobretudo o seu artigo 7º, onde se preconiza a defesa da solução pacífica dos conflitos internacionais, da não ingerência nos assuntos internos dos outros Estados e da cooperação com todos os povos para a emancipação e o progresso da humanidade.