Outras Notícias

exercicios militares

  • Realizou-se, na passada segunda-feira, em Lisboa, um Colóquio da campanha "Sim à Paz - Não aos Exercícios Militares da NATO".

    A iniciativa, que começou com poesia dita por Manuel Diogo e Rui Lopo, contou com intervenções de Augusto Praça da CGTP-IN, Ana Souto do MDM, Ricardo Brites da Associação de Estudantes do ISEL e Rui Rosa do CPPC.

  •  

    O Conselho Mundial da Paz (CMP) expressa sua condenação veemente sobre os pesados exercícios militares recentes e em curso dos Estados Unidos e da Coreia do Sul, denominados “Key Resolve” e “Eagle 16” em torno da Península Coreana, que colocam novos perigos à paz e à estabilidade na região, com o objetivo de aumentar a tensão através da pressão sobre a República Popular Democrática da Coreia (RPDC).

    Os exercícios militares mencionados, com mais de 300 mil soldados da Coreia do Sul e 27 mil soldados do norte-americanos, um porta-aviões e navios de guerra com armamentos pesados, são dos exercícios militares de maior envergadura da história da região e acontecem no mesmo momento em que sanções são impostas pelo Conselho de Segurança da ONU (Resolução 2270) contra a RPD da Coreia.

  • Sim à Paz! Não aos Exercícios Militares da NATO!

    Participa e divulga!

    24 de Outubro - 15h - LISBOA

    Desfile

    Rua do Carmo até à Praça Luís de Camões

     

  • No quadro de um crescendo de acções belicistas que a NATO tem vindo a desenvolver na Europa, começaram hoje, no Mar Negro, manobras navais conjuntas, desta organização com a Ucrânia, que envolvem ainda, para além dos países membro da NATO, a Suécia e a Moldávia.

    Estas manobras, que envolvem milhares de militares e meios navais, terrestres e aéreos, decorrem ao mesmo tempo que outras duas manobras da NATO, uma no Mar Báltico e outra na Alemanha, Itália, Bulgária e Roménia.

    O CPPC condena a escalada belicista impulsionada pela NATO e recorda que a aliança realizará a partir do início de Outubro manobras de grande escala que envolverão de forma particular o nosso país. Manobras já repudiadas por um conjunto de organizações portuguesas, que promovem o abaixo assinado disponível em http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT78172
    (atenção à necessidade de confirmar a assinatura clicando no link do email de confirmação).

     

  • Tendo sido anunciado pela NATO a realização de exercícios militares de grande escala, que envolverão directamente o nosso país, o Conselho Português para a Paz e Cooperação colocou à subscrição de organizações o seguinte texto:

    Paz sim! NATO não!
    Não à realização dos exercícios militares da NATO

    Considerando que a NATO anunciou a realização em Portugal e Espanha, com o apoio da Itália, dos maiores exercícios militares das últimas décadas, que ocorrerão entre 28 de Setembro e 6 de Novembro de 2015;

    Considerando que, num momento em que se multiplicam situações de tensão, de conflito e de guerra - inclusive na Europa - e aumentam a insegurança e a instabilidade internacionais, os exercícios militares desta organização belicista, envolvendo forças militares e território portugueses, não podem deixar de merecer o mais expressivo repúdio;

    Recordando que a Constituição da República Portuguesa defende a «dissolução dos blocos político-militares e o estabelecimento de um sistema de segurança colectiva, com vista à criação de uma ordem internacional capaz de assegurar a paz e a justiça nas relações entre os povos»;

    As organizações portuguesas abaixo-assinadas, comprometidas com a causa da Paz, da cooperação, do progresso e da justiça social:

    Repudiam a realização dos exercícios militares da NATO;

    Rejeitam a participação das forças portuguesas em agressões militares da NATO a outros povos;

    Afirmam ser urgente a dissolução da NATO, o fim das armas nucleares e de extermínio em massa, o fim das bases militares estrangeiras e o desarmamento geral e controlado;

    Reclamam das autoridades portuguesas o cumprimento das determinações da Constituição da República Portuguesa e da Carta das Nações Unidas, em respeito pelo direito internacional, pela soberania dos Estados e pela igualdade de direitos dos povos.

    Organizações subscritoras (até ao momento):

    Associação de Amizade Portugal-Cuba

    Associação Intervenção Democrática

    Associação Portuguesa de Amizade e Cooperação Iúri Gagárin

    Clube Estefânia

    Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional

    Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto

    Conselho Português para a Paz e Cooperação

    Coordenadora das Comissões de Trabalhadores da Região de Lisboa

    Ecolojovem - «Os Verdes»

    Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal

    Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais

    Interjovem – CGTP-IN

    Juventude Comunista Portuguesa

    Mó de Vida – Cooperativa

    Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Sul

     

  •  

    A NATO, aliança belicista, extensão do poder militar dos EUA e que actua em função dos seus interesses, vai realizar em Portugal, Espanha e Itália, de 28 de Setembro a 6 de Novembro de 2015, manobras militares de grande envergadura, que envolverão mais de 36 000 militares de todos os ramos das forças armadas dos Estados membro desta aliança e de outros 7 "países parceiros".

    Consideradas das maiores manobras militares da NATO de sempre, estas surgem na sequência de exercícios militares dos EUA e da NATO em diversas regiões da Europa: Mar Báltico, Europa de Leste (Estónia, Letónia, Lituânia, Polónia, Ucrânia), Mar Negro – que são entendidos como uma clara e continuada demonstração de hostilização à Federação Russa.

  • No momento em que se vão iniciar os maiores exercícios militares da NATO das últimas décadas, com o envolvimento directo de Portugal, Espanha e Itália, divulgamos o texto já subscrito por 29 organizações portuguesas, comprometidas com a causa da Paz, da cooperação, do progresso e da justiça social, que contestam a realização destes exercícios bélicos.

  • No quadro do reforço do seu carácter agressivo e expansionista, a NATO realiza entre 4 de Outubro e 6 de Novembro, em Portugal, Espanha e Itália, os maiores exercícios militares das últimas décadas. Estes exercícios ocorrem num momento em que se multiplicam situações de tensão, de conflito e de guerra, inclusive na Europa, e aumentam a insegurança e a instabilidade internacionais.

    Comprometidas com a causa da Paz, da cooperação, do progresso
    e da justiça social e repudiando a realização destas manobras, que envolvem território nacional e forças militares portuguesas, dezenas de organizações das mais variadas áreas de intervenção uniram-se para dar expressão pública à rejeição da participação das forças portuguesas em agressões militares da NATO a outros povos; à urgência da dissolução da NATO, do fim das armas nucleares e de extermínio em massa, do fim das bases militares estrangeiras e do desarmamento geral e controlado; e à reclamação perante as autoridades portuguesas do cumprimento das determinações da Constituição da República Portuguesa e da Carta das Nações Unidas, em respeito pelo direito internacional, pela soberania dos Estados e pela igualdade de direitos dos povos.

    Sim à Paz - Não aos Exercícios Militares da NATO

  • Lê o folheto: http://issuu.com/sim_a_paz/docs/folheto_fv

     

  • A alegria da luta pela Paz em Lisboa

    Foi com alegria e combatividade que este Sábado, 24 de Outubro, se realizou, em Lisboa, o desfile da campanha "Sim à Paz - Não aos Exercícios Militares da NATO", promovida por mais de trinta organizações portuguesas.

    O desfile, que terminou na Praça Luís de Camões, foi seguido de intervenções de Augusto Praça da CGTP-IN, Vítor Silva do MPPM, Ana Souto do MDM, Ricardo Brites da associação de estudantes do ISEL e Ilda Figueiredo do CPPC, contou ainda com a música de Luís e Francisco, Duarte e Sebastião Antunes e com poesia dita por Fernanda Lapa.

  • No Cais do Sodré, em Lisboa, activistas da Paz efectuaram uma acção de distribuição de documentos e recolha de assinaturas contra as manobras militares da NATO.

  • Lê o jornal: http://issuu.com/sim_a_paz/docs/jornal_net

     

  • Esta segunda-feira, no Porto, largas dezenas de activistas da Paz, participaram numa iniciativa pública que denunciou os exercícios militares da NATO que estão a decorrer em Portugal, Espanha e Itália até ao próximo dia 6 de Novembro.

    As intervenções de Tiago Oliveira (USP/CGTP), de Olga Dias( MDM) e Ilda Figueiredo (CPPC) repudiaram a realização dos exercícios militares da NATO, a participação das forças portuguesas em agressões militares da NATO a outros povos, afirmando ser urgente a dissolução da NATO, o fim das armas nucleares e de extermínio em massa, o fim das bases militares estrangeiras, defendendo o desarmamento geral e controlado e exigindo o respeito pela Constituição da República e da Carta das Nações Unidas. Distribuiram-se cerca de mil documentos "Sim à Paz, Não aos exercícios militares da NATO"

     

  • Organizações de vários países manifestam-se contra as manobras militares da NATO, com início marcado para dia 3 de Outubro.

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação divulga posição que se encontra a ser subscrita a nível internacional.

  •