Outras Notícias

 

No dia em que se assinala o 71.º aniversário da libertação do Campo de Concentração e Extermínio de Auschwitz pelo Exército Vermelho, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) reafirma o seu compromisso de tudo fazer, lado a lado com todos quantos defendem a paz, a solidariedade e os direitos humanos, para que tragédias como a ascensão do nazi-fascismo e a Segunda Guerra Mundial nunca mais voltem a ocorrer.

Ao assinalar esta data, consagrada pelas Nações Unidas como o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, o CPPC homenageia todos quantos, pelas suas convicções políticas e religiosas, pela sua etnia ou nacionalidade, foram vítimas da barbárie nazi-fascista, alertando ao mesmo tempo para as manifestações de xenofobia e intolerância que actualmente recrudescem em muitos países, incluindo na Europa, dirigida contra refugiados que procuram segurança para as suas famílias ou quaisquer outros.

 

Sendo fundamental lembrar os horrores praticados em Auschwitz, onde milhões de seres humanos foram assassinados, torturados e escravizados, o CPPC sublinha a necessidade de retirar daí os devidos ensinamentos, afirmando que as políticas de exploração e guerra que empurram os povos para a pobreza são as mesmas que geram, alimentam e apoiam forças racistas, xenófobas e fascizantes: exemplos como a ocupação da Palestina e o massacre do seu povo; a ingerência e guerra na Síria, Iraque e Afeganistão; o apoio dos EUA, UE e NATO ao novo poder ucraniano, onde pontificam movimentos de orientação militarista e neo-nazi; e as medidas de repressão e humilhação dos refugiados, como a que foi recentemente anunciada pelo governo da Dinamarca, têm demasiadas semelhanças com o nazismo hitleriano para serem ignorados.

Mais de sete décadas após a libertação de Auschwitz e a vitória sobre o nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial, é urgente unir esforços e vontades para defender a paz, a liberdade e os direitos. Para que nunca mais aconteça!