Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

Neste Dia Internacional da Mulher, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) saúda todas as mulheres que lutam pela igualdade e contra qualquer tipo de discriminação, exigindo o cumprimento do artigo 13º da Constituição da República Portuguesa, dando, assim, um importante contributo para a Paz, o desenvolvimento e o progresso da humanidade.

Num momento tão complexo e contraditório como o que estamos a viver no plano nacional, europeu e internacional, a luta pela igualdade de direitos e oportunidades é uma questão central, exigindo que ninguém seja privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever, independentemente do sexo e orientação sexual, da raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução ascendência ou condição económica.

A emancipação e o progresso da humanidade só será possível com a paz construída no respeito pelo princípio da igualdade, onde haja uma solução pacífica dos conflitos internacionais, o respeito pelo direito soberano dos povos a escolher o seu destino, exigindo-se o fim do colonialismo e de quaisquer outras formas de agressão, domínio e exploração.

Por isso, neste 8 de Março, o CPPC saúda de modo particular as mulheres vítimas de guerras e agressões diversas, da pobreza, da destruição das suas vidas e apela a todas e todos para que se empenhem na luta pela Paz, progresso e desenvolvimento da humanidade.

Direcção Nacional do CPPC