Outras Notícias

FacebookTwitterRSS Feed

Divulgamos texto publicado pelo Centro brasileiro de solidariedade com os povos e luta pela paz:

"Cebrapaz repudia a perseguição contra os movimentos sociais e manifesta solidariedade ao MST

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) manifesta seu profundo repúdio e consternação pela invasão da Escola Nacional Florestan Fernandes pela Polícia Civil de São Paulo, nesta sexta-feira (4 de novembro de 2016). Manifestamos também nossa determinada solidariedade ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), vítima da arbitrariedade cometida pelas autoridades paulistanas.

Somamo-nos às forças progressistas brasileiras e internacionais que, no grave momento de abusos e perseguições que se instala no país, denunciam, repudiam e combatem a criminalização dos movimentos sociais no Brasil e das ações dos que seguem firmes na luta em defesa da democracia e da justiça social.



As imagens da invasão da Escola Nacional Florestan Fernandes, assim como a da repressão aos protestos ou à ocupação das escolas públicas pelos estudantes insatisfeitos com o descaso com a educação -- repressão conduzida de forma brutal pela Polícia Militar em estados como Santa Catarina e São Paulo -- têm chocado os que não arredam o pé da luta democrática.

Estes são verdadeiros testemunhos do rumo autoritário, arbitrário e abusivo das forças reacionárias no Brasil, que têm se refestelado no golpe contra a presidenta Dilma Rousseff e na crescente perseguição instaurada contra as forças progressistas e democráticas do País.

Por isso, manifestamos nossa grave preocupação com a relativização dos direitos civis e políticos e com a manipulação da opinião pública contra partidos e movimentos sociais que protestam contra o rumo tomado antes e depois do golpe pelas forças reacionárias e crescentemente fascistas.

Continuaremos defendendo a democracia e os nossos direitos à reivindicação por justiça social e progresso comum, protestando contra as arbitrariedades instauradas seja por mecanismos jurídicos e políticos, seja pela força bruta da repressão.

Não nos calaremos! Toda a nossa solidariedade ao MST, aos valentes estudantes nas ocupações das escolas e a todos os que lutam contra a escalada, contra a criminalização dos movimentos sociais, que é o projeto das forças reacionárias instauradas ilegitimamente no poder.

Somamo-nos a todos e todas engajadas nesta luta!

Socorro Gomes,
Presidenta do Cebrapaz"