Outras Notícias

Realizou-se, no dia 21 de Abril, o terceiro Concerto pela Paz em Vila Nova de Gaia, no Auditório Municipal, promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, com apoio da Câmara Municipal de Gaia e da Federação das Colectividades de Gaia.

Cerca de 300 pessoas assistiram ao Concerto, ao som da música de jovens da Fundação Conservatório Regional de Gaia, da Escola de Música de Perosinho e da Academia de Música de Vilar do Paraíso, apreciaram a dança das jovens do Ginasiano Escola de Dança e a poesia dos actores e actrizes da Ilha Mágica.

A actriz Rebeca Cunha apresentou o Concerto, referindo que estava ali na defesa da Paz, dizendo não às agressões e violências que põem em causa o direito dos povos à felicidade e à Paz, após se ter ouvido os jovens artistas da Fundação do Conservatório Regional de Gaia, dirigidos pelo Prof. Mário Mateus, que interpretaram Divertimento Musical ao Teclado. A música e a alegria só possíveis com a paz.

De seguida, interveio Ilda Figueiredo que salientou a importância destes Concertos pela Paz, o envolvimento das pessoas, artistas, escolas e associações a testemunhar o nosso apelo à Paz e dizer não à guerra, não ao reforço do militarismo, num momento em que novas ameaças crescem no plano internacional, onde se mantêm graves conflitos, guerras e agressões em muitas zonas do mundo, particularmente no Médio Oriente e em África, e graves ameaças à Paz noutras zonas, desde a América Latina à Ásia, mas incluindo na Europa, sem esquecer o drama dos refugiados que continua. Mas tal como em Portugal foi possível pôr cobro ao fascismo e à guerra com a revolução do 25 de Abril, cujos 44 anos celebramos dentro de dias, também a luta dos povos tem permitido que a esperança renasça.

Neste concerto foi possível afirmar, a muitas vozes, a nossa indignação face às guerras de agressão e expressar, a muitas vozes também, a solidariedade com os povos vítimas do colonialismo, de actos de ingerência externa e de conflitos armados, de injustiças e desigualdades sociais, vítimas da opressão, do desrespeito da sua soberania e independência nacionais, proclamando-se "PAZ Sim! Guerra Não!”.

De seguida, ouviu-se a Orquestra de Guitarras, com direção de Augusto Pacheco, da Academia de Música de Vilar do Paraíso, assistiu-se à bela dança das jovens bailarinas da Kale Companhia de Dança e Ginasiano Escola de Dança, que executaram a peça “Space in Time”.Os quatro actores da Ilha Mágica trouxeram a poesia sobre o problema dos Refugiados, o que se revestiu da maior importância tendo em conta o tempo que vivemos com as constantes agressões e guerras que obrigam à deslocação de muitos milhões de pessoas.

O Concerto terminou com uma intervenção da Escola de Música de Perosinho, o Ensemble Per Filarmónica que deliciou com os seus acordeões.

No átrio podiam ver-se alguns trabalhos sobre a paz de alunos da escola básica de Santa Marinha.