Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

eua continuam a ameacar a paz nao a corrida armamentista nao a guerra 1 20200526 1139582948

Não à corrida armamentista! Não à guerra!

Foi com grande preocupação que o Conselho Português para a Paz e Cooperação registou as notícias de que os EUA pretendem abandonar mais dois importantes tratados internacionais destinados a limitar a proliferação de armamentos, incluindo nucleares, nomeadamente o Tratado sobre o Regime de Céu Aberto, em vigor desde 2002, que permite a fiscalização recíproca do território entre os 35 países signatários, e do Tratado de Redução de Armas Estratégicas Ofensivas (New START) que expira no início de 2021, esta última uma hipótese já diversas vezes referida por Donald Trump.

Recorde-se que os EUA se retiraram, por exemplo, do Tratado sobre Misseis Anti-balísticos (ABM), em 2002, e do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio, em 2019.

 

A intenção de retirada dos EUA do Tratado sobre o Regime de Céu Aberto anunciada pela administração dos EUA foi inclusive contestada, recentemente, pelo ministro da defesa alemão, que afirmou que todos os signatários devem fazer todo o possível para manter este importante tratado e ainda prevenir a saída dos EUA.

O lamentável abandono, pelos EUA, de importantes acordos e tratados internacionais destinados a limitar uma escalada belicista, ao mesmo tempo que promovem um colossal orçamento militar com enormes somas dedicadas à modernização do seu arsenal nuclear, acompanhadas de uma doutrina nuclear que admite a utilização deste armamento, mesmo num primeiro ataque, contra outros países, incluindo estados livres de armas nucleares, demonstram o seu propósito de procurarem manter, através da força, a sua hegemonia global.

Direção Nacional do CPPC
23 de Maio de 2020