Outras Notícias

sim a paz nao a nato 1 20180704 1593137836

Realizou-se no dia 28, na baixa lisboeta, uma conferência de imprensa das organizações e movimentos que integram a campanha «Sim à Paz! Não à NATO!», que deram nota das iniciativas previstas e explicitaram os seus objectivos. Em seguida, o texto da Conferência de Imprensa e as organizações promotoras.

......

Organizações e movimentos sociais portugueses das mais variadas áreas de intervenção (ver lista abaixo) uniram-se para dar expressão pública à defesa da paz e à denúncia da natureza belicista da NATO e dos perigosos objectivos anunciados para Cimeira que este bloco político-militar realiza nos dias 11 e 12 de Julho, em Bruxelas, na Bélgica.

A NATO anunciou como prioridades para a sua Cimeira: o gradual aumento das despesas militares dos membros europeus da NATO para dois por cento do seu Produto Interno Bruto, até 2024 – recorde-se que os 29 países da NATO são já responsáveis por mais de metade dos gastos militares mundiais; a presença militar da NATO no Afeganistão, no Iraque e na Líbia, países destruídos por guerras de agressão da responsabilidade da NATO e de seus membros; o reforço do estacionamento de forças militares da NATO, incluindo dos EUA, no Leste da Europa, visando a Federação Russa; e o reforço da União Europeia como «pilar europeu» da NATO.
Considerando a NATO como principal ameaça à paz e à segurança no mundo, rejeitando o militarismo e a guerra, defendendo a paz e o desarmamento, as organizações e movimentos decidiram realizar actos públicos sob o lema «Sim à Paz! Não à NATO!», no dia 9 de Junho, às 18h00, no Largo Camões, em Lisboa, e no dia 12 de Julho, às 18h00, na Rua de Santa Catarina, no Porto.
Para além destes actos públicos, as organizações e movimentos sociais promovem um conjunto de iniciativas onde são afirmadas importantes exigências em defesa da paz, como: a dissolução da NATO; o fim das guerras de agressão da NATO; o desmantelamento do sistema anti-míssil THAAD dos EUA/NATO e o encerramento das bases militares em território estrangeiro; a abolição das armas nucleares e de outras armas de destruição massiva; o fim da corrida aos armamentos e o desarmamento geral, simultâneo e controlado; o apoio aos deslocados e refugiados, vítimas das guerras que a NATO promove e apoia; a assinatura e ratificação por Portugal do Tratado de Proibição de Armas Nucleares; e o cumprimento, pelas autoridades portuguesas dos princípios consagrados na Constituição da República Portuguesa e na Carta das Nações Unidas, de respeito pela soberania, independência, igualdade de direitos e resolução pacífica dos conflitos entre os Estados.
Para dar a conhecer as suas acções em defesa da paz e do desarmamento e de rejeição do militarismo e da guerra, organizações e movimentos promotores realizam uma conferência de imprensa no dia 28 de Junho às 14h00 no Largo do Chiado, em Lisboa, junto à saída do Metro.
Pela sua importância e actualidade, esperamos poder contar com a presença desse órgão de comunicação social,

As Organizações subscritoras (até o momento):

A Voz do Operário
Associação Água Pública
Associação Conquistas da Revolução
Associação de Amizade Portugal – Cuba
Associação Intervenção Democrática
Associação Portuguesa de Amizade e Cooperação Iúri Gagárin
Associação Portuguesa de Juristas Democratas
Coletivo Andorinha - Frente Democrática Brasileira de Lisboa
Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional
Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto
Confederação Portuguesa de Quadros Técnicos e Científicos
Conselho Português para a Paz e Cooperação
Coordenadora das Comissões de Trabalhadores da Região de Lisboa
Ecolojovem - «Os Verdes»
Federação dos Sindicatos da Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal
Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações
Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Eléctricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas
Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais
Federação Portuguesa dos Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro
Federação Portuguesa dos Sindicatos de Comércio, Escritórios e Serviços
Inter-Reformados / CGTP-IN
Interjovem
Juventude Comunista Portuguesa
Movimento Democrático de Mulheres
Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente
Sindicato dos Professores da Região Centro
Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal
Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional, Empresas Públicas, Concessionárias e Afins
União dos Sindicatos de Aveiro
União dos Sindicatos de Braga
União dos Sindicatos de Lisboa
União dos Sindicatos de Setúbal
União Sindicatos de Évora
União Sindicatos de Lisboa
União Sindicatos de Porto
União Sindicatos do Algarve